Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
PREVALÊNCIA DE PATÓGENOS EM ALIMENTOS DE ORIGEM ARTESANAL. UMA META-ANÁLISE DE ARTIGOS PUBLICADOS.
Daiane Gaudencio Alves da Silva

Última alteração: 22-10-18

Resumo


A produção de alimentos de origem artesanal no Brasil é, em grande parte, informal. A partir do dia 23 de Maio de 2018, quando foi aprovado o projeto de lei complementar (PLC) 16/2018 que altera a Lei nº 1.283, de 18 de Dezembro de 1950, fica permitida a comercialização interestadual de produtos alimentícios produzidos de forma artesanal. Os produtores destes tipos de alimentos poderão vender seus produtos em todo território nacional. A nova lei trouxe também mudanças no que diz respeito à inspeção e fiscalização dos produtos artesanais de origem animal que passam a ser realizados pelos órgãos de saúde de cada estado, que só poderia antes ser realizada pelo Serviço de Inspeção Federal (S.I.F.). A criação do selo único com a indicação ARTE poderá impulsionar a produção de alimentos artesanais e tradicionais, liberando-os do cadastro no Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal. Porém, não se sabe ao certo qual o risco associado a esses produtos no que diz respeito à contaminação por patógenos e transmissão de doenças de origem alimentar. O objetivo deste estudo foi verificar a prevalência de patógenos em produtos artesanais através de meta-análise. A meta-análise (do grego μετα, "depois de/além", e ανάλυση, "análise") é uma técnica estatística especialmente desenvolvida para integrar os resultados de estudos independentes, sobre uma mesma questão de pesquisa, combinando seus resultados. Foi realizada uma revisão sistemática dos artigos publicados eletronicamente nos últimos 20 anos nos portais científicos PubMed, Scielo e Science Direct. A estratégia de busca foi elaborada para rastrear artigos cujos títulos, palavras-chave ou resumos contivessem os termos food, artisanal, handmade, food safety, food microbiology, Salmonella, Staphylococcus, Escherichia coli, Listeria monocytogenes, Mycobacterium bovis ou Bacillus cereus. Inicialmente foram localizados 377 artigos originários de todos os países. Os artigos revisados e selecionados foram aqueles que atendiam aos critérios: estudos originais, desenvolvidos com alimentos para humanos e utilizando métodos de análises oficiais ou bem aceitos pela comunidade científica. Um total de 92 artigos foram selecionados e passarão pelo crivo de outro pesquisador com experiência na área. Após terminada a fase de seleção, serão extraídos dados para analisar a prevalência dos patógenos em alimentos artesanais, de acordo com a localização, tipo de alimento e condições de produção. A avaliação destes índices poderá contribuir com informações pertinentes para a regulamentação do monitoramento que será realizado pelos estados. Além disso, a qualidade microbiológica de alimentos artesanais será avaliada e poderá contribuir para o planejamento e execução de ações efetivas no controle de Doenças Transmitidas por Alimentos.



Palavras-chave


ARTISANAL, HANDMADE, FOOD SAFETY, FOOD MICROBIOLOGY

Referências


Projeto de Lei da Câmaranº 16, de 2018 (nº 3.859, de 2015, na Casa de origem) que altera a Lei nº 1.283, de 18 de dezembro de 1950.

B. Vieira, et. al. Does citric acid improve performance and bone mineralization of broilers when combined with phytase? A systematic review and meta-analysis. Animal Feed Science and Technology: 07, 2017.