Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
Análise técnica e econômica do processamento semimecanizado de toras de madeira de Tectonas Grandis L.F. identificada com código de barras
Eudes Santos Silva

Última alteração: 22-10-18

Resumo


A inserção de novas tecnológicas na produção de madeira pode impactar todo um sistema produtivo, bem como o custo final de produção. Conhecer e compreender os impactos das inovações tecnológicas  na produção de madeira em toras, bem como analisar suas vantagens e limitações, sob o pontos de vista técnico e econômico pode contribuir para o planejamento das atividades de colheita e transporte florestal. Neste sentido, o trabalho teve como objetivo o analisar o “modus operandi” do processamento semi-mecanizado de toras de madeira de Tectonas grandis – L. f.; identificadas com códigos de barras, determinando sua produtividade e o custo final de produção. Os dados foram coletados na fazenda Campina, distrito do Pirizal,  município de N. Sra. Do Livramento/MT. Para avaliação técnica, foi utilizada a técnica de estudos de tempos e movimentos, onde foi possível determinar o tempo efetivo do ciclo operacional do processamento de toras de madeira com código de barras. Para análise econômica, foi utilizado o método de contábil de custos, onde se utiliza valores reais e estimados. Deste modo, foi possível obter os seguintes resultados para produtividade por hora efetiva trabalhada de 42,84 m³cc/he e uma eficiência operacional de 88,93 %. Custos operacionais por efetiva de trabalho para as máquinas avaliadas de motosserra e leitor óptico (scanner) foram de R$54,77/he e R$38,74 he, respectivamente. Sendo que 74 % custos operacionais foram gastos somente com mão-de-obra. Já os custos de produção por hora efetiva de trabalho do processamento de toras de madeira identificada com código de barras foi de R$ 2,18 /m³ cc. Pela observação dos aspectos analisados, é possível concluir que no processamento de toras de madeira, a operação de identificação  e registro de  toras com código de barras, coloquialmente denominada de “chipagem” foi a que demandou o menor tempo para finalização do ciclo operacional do processamento, quando comparados às demais operações do ciclo. Este ganho de tempo se deve a automatização parcial dos processos de produção de madeira nas atividades colheita e transporte, além disto, constatou-se um baixo impacto nos custos finais de produção com a inserção da tecnologia.


Palavras-chave


Custos, produção, toras de madeira