Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
Fertilizantes organominerais fosfatados para produção de rúcula
Marcos Vinicius Chapla, Fabiano André Petter, Ciro Augusto de Souza Magalhães, Bruno Dalpiaz Haga, Marina Moura Morales, Isabela Volpi Furtini

Última alteração: 15-10-18

Resumo


Os adubos fosfatados convencionais apresentam baixa eficiência agronômica, devido à alta fixação de P no solo. Fontes fosfatadas com tecnologia agregada podem minimizar as perdas, aumentando a eficiência da adubação e diminuindo os custos de produção. Diante do exposto, o presente trabalho teve como objetivo avaliar o efeito de fertilizantes organominerais a base de MAP na produção da rúcula. O experimento foi realizado em casa de vegetação na Embrapa Agrossilvipastoril. O delineamento estatístico foi em blocos casualizados, em esquema fatorial 4x6x2, sendo: quatro fertilizantes: MAP, MAP+biochar, MAP+cama-de-frango, MAP+biochar+cama-de-frango, seis doses (0; 50; 100; 200; 400 e 800 mg dm-3 de P) e dois solos (50 e 13% de argila), com três repetições. Os solos foram coletados em área de mata, incubados com calcário por 45 dias, para elevar a saturação por bases a 50%. Cada parcela experimental foi constituída por um vaso de 1 dm³ e uma planta, utilizando-se uma cultivar comercial de rúcula (Rucula Cultivada). Os fertilizantes foram misturados aos solos 10 dias antes da semeadura. A semeadura foi relizada no dia 17/07/2018, com 3 sementes de rúcula por vaso. Após emergência, foi realizado o desbaste, deixando-se  1 planta por vaso. Aos 14 dias após semeadura (DAS) foi aplicado sulfato de potássio diluído em água, para fornecimento de 150 mg dm-3 de K. Aos 36 DAS foram avaliados: altura de plantas e número de folhas, além de ser feito o corte da parte aérea para determinação da massa seca da parte aérea (MSPA). Para altura de plantas, houve diferença entre os fertilizantes e doses, em que o fertilizante MAP+cama-de-frango e MAP+biochar+cama-de-frango proporcionaram as maiores alturas. Para número de folhas, houve diferença significativa entre solos, fertilizantes e doses. O solo com 50% de argila proporcionou maior número de folhas, e os dois fertilizantes citados para altura foram superiores (8,7 folhas por planta, na dose 538 mg dm-3). Em relação a MSPA, não houve diferenças entre os solos, mas entre fertilizantes e doses. Novamente os dois fertilizantes com cama-de-frango se destacaram na produção de MSPA. As doses do fertilizante MAP+biochar+cama-de-frango resultaram na produção máxima  de 3,2 g de MSPA/planta na dose de 638 mg dm-3. Já o fertilizante MAP+cama-de-frango apresentou a maior produção de MSPA (3,3 g de MSPA/planta), na maior dose (800 mg dm-3).


Palavras-chave


Biocarvão, MAP, cama-de-frango