Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
O SINTEP/MT como lócus de formação dos profissionais da educação da rede pública de Mato Grosso
Edna Bernardo da Silva

Última alteração: 14-10-18

Resumo


Mestranda: Edna Bernardo da Silva -  ednabernardo14@hotmail.com

Orientadora: Profª Drª Ozerina Victor de Oliveira - ozerina@ufmt.br

RESUMO

Esta pesquisa de mestrado está ancorada no campo da formação de profissionais da educação e parte do seguinte questionamento: como as atividades desenvolvidas pelo Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Público de Mato Grosso - SINTEP/MT tem contribuído com o processo formativo de seus filiados? O objetivo é compreender como se desenvolvem essa formação e como os filiados a percebem. A justificativa para desenvolver a pesquisa se dá por entender que o tema é de relevância social e política, por ser pouco explorado nas pesquisas acadêmicas e com poucas publicações na área de educação. O referencial teórico sobre formação está fundamentado na perspectiva epistemológica da pedagogia crítica, tendo como principais referências os autores Paulo Freire (1979; 1986; 1996; 2000; 2001) e Henry Giroux (1986; 1997). Como método de análise usamos o Ciclo de Políticas proposto pelo sociólogo Stephen J. Ball, que recomenda a análise das políticas educacionais a partir de contextos. A proposta de Ball possibilita uma compreensão de como as políticas são construídas de forma imbricada entre os contextos, oportunizando uma pluralidade de olhares para os dados. A abordagem metodológica é qualitativa, de caráter bibliográfico, documental e com entrevistas semiestruturadas. O campo de coleta de dados são atividades realizadas pelo SINTEP/MT, sendo elas: seminários, encontros, congressos e conselhos de representantes, por meio dos registros de Atas, cadernos de formação, listas de frequência e periódicos publicados pela organização. Até o momento foram realizadas 15 entrevistas. Participaram: professores, técnicos administrativos educacionais e apoios administrativos educacionais. A escolha desses atores está relacionada a participação recorrente nas atividades nos últimos cinco anos. O trabalho está em fase coleta e análise dos dados e produção escrita. Como resultados parciais destacamos a ênfase na fala dos entrevistados que a participação nas atividades formativas contribuiu para mudar sua visão e sua maneira de ser no mundo.

Palavras-chave: Sindicato. Profissionais da Educação. Formação.


Palavras-chave


Sindicato. Profissionais da Educação. Formação.

Referências


REFERÊNCIAS

 

AGUIAR, Márcia Ângela da S.. Políticas de currículo e formação dos profissionais da educação básica no Brasil: desafios para a gestão educacional. Espaço do Currículo, v.10, n.1, p. 49-61, janeiro a abril de 2017

 

ALENCAR, Jaqueline da Silva. A Atuação do Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Público de Mato Grosso (SINTEP/MT): Uma Análise Sócio- histórica (1988-2012). Dissertação Mestrado. Instituto de Ciências Humanas e Sociais. Departamento de História. UFMT. Cuiabá-MT. 2013

 

ALVARADO-PRADA, Luis Eduardo, FREITAS, Thaís Campos, FREITAS, Cinara Aline. Formação continuada de professores: alguns conceitos, interesses, necessidades e propostas. Rev. Diálogo Educ., Curitiba, v. 10, n. 30, p. 367-387, maio/ago. 2010

 

ALVES, José Eustáquio Diniz. Análise de conjuntura: teoria e método. Disponível em: http://www.ie.ufrj.br/aparte/pdfs/analiseconjuntura_teoriametodo_01jul08.pdf acesso em 20 agosto de 2018.

 

ANDRÉ, Marli. O que é um estudo de caso qualitativo em educação? Revista da FAEEBA – Educação e Contemporaneidade, Salvador, v. 22, n. 40, p. 95-103, jul./dez. 2013

 

APPLE, Michel W., AU, Wayne, GANDIN, Luis Armando. Educação Crítica uma análise Internacional. Tradução Vinicius Figueira. Artmed. 2011.

 

AU, Wayne. Lutando com o texto: contextualizar e recontextualizar a pedagogia  crítica de Freire. In: APPLE, Michel W., AU, Wayne, GANDIN, Luís Armando. Educação Crítica uma análise Internacional. Tradução Vinicius Figueira. Artmed. 2011

BALL, Stephen J. Sociologia das Políticas Educacionais e Pesquisa crítico-social: uma revisão pessoal das políticas educacionais e da pesquisa em política educacional. Currículo sem Fronteiras, v.6, n.2, pp.10-32, Jul/Dez 2006.

BDTD – Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações. Disponível em:< http://bdtd.ibict.br/vufind/> Acesso em: junho 2017

 

BOGDAN, Roberto C., BIKLEN, Sari Knopp. Investigação qualitativa em educação. Coleção Ciências da Educação. (não tem?? ed.) Porto Editora. DEZ/1999 ISBN 972-0-34112-2

 

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, http://www2.camara.leg.br/legin/fed/consti/1988/constituicao-1988-5-outubro-1988-322142-publicacaooriginal-1-pl.html acesso em setembro de 2017

 

BRASIL, Decreto Executivo nº 8.752 de 09 de maio de 2016. Dispõe sobre a Política Nacional de Formação dos Profissionais da Educação Básica. Diário Oficial República Federativa do Brasil, Brasília, 10 de maio de 2016. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2016/decreto/d8752.htm> Acesso em: 20 set. 2018.

 

BRASIL, Lei nº 13.005 de 25 de junho de 2014. Dispõe sobre o Plano nacional de Educação – PNE. Diário Oficial República Federativa do Brasil, Brasília, 26 jun. 2014. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/CCIVIL_03/_Ato2011-2014/2014/Lei/L13005.htm > Acesso em: 20 set. 2018.

 

BRASIL, Lei nº 9.394 de 20 de dezembro de 1996. Dispõe sobre as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 23 dez. 1996. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9394.htm>. Acesso em: 20 set. 2018.

 

BRASIL, Lei nº 12.014 de 06 de agosto de 2009. Altera o art. 61 da Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, com a finalidade de discriminar as categorias de trabalhadores que se devem considerar profissionais da educação. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 07 de ago. de 2009 . Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2009/Lei/L12014.htm>. Acesso em: 20 set. 2018.

 

Brasil, Emenda Constitucional nº 53, de 19 de dezembro de 2006. Dá nova redação aos arts. 7º, 23, 30, 206, 208, 211 e 212 da Constituição Federal e ao art. 60 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias.  Diário Oficial da República Federativa do Brasil,19 de dez. de 2006. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/emendas/emc/emc53.htm>. Acesso em: 20 set. 2018.

 

 

BRASIL, MEC. Resolução CEB/CNE nº02/09. Fixa as Diretrizes Nacionais para os Planos de Carreira e Remuneração dos Profissionais do Magistério da Educação Básica Pública. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 29 de maio de 2009. Disponível em: < http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/resolucao_cne_ceb002_2009.pdf >. Acesso em: 20 set. de 2018

 

BRASIL, MEC. Resolução CEB/CNE nº05/10.Fica as diretrizes nacionais para os planos de carreira e remuneração para os funcionários da educação básica pública. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 4 de agosto de 2010. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=6322-rceb005-10&Itemid=30192>. Acesso em: 20 set. de 2018

 

BRASIL, MEC. Projeto do Curso de Profissionalização dos Funcionários da Educação – PROFUNCIONÁRIO. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/valtrabedu_cur.pdf> acesso em:   outubro de 2018

 

BRZEZINSKI, Iria. Formação de profissionais da educação (2003-2010) / Iria Brzezinski – Brasília: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, 2014. http://portal.inep.gov.br/informacao-da-publicacao/-/asset_publisher/6JYIsGMAMkW1/document/id/493484 acesso em junho de 2018.

 

CAPES – Centro de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Catálogo de teses e dissertações. Disponível em: <http://catalogodeteses.capes.gov.br/catalogo-teses/#!/> Acesso em: junho 2017.

 

CHARLOT, Bernard. A pesquisa educacional entre conhecimentos, políticas e práticas: especialidades e desafios de uma área do saber. Revista Brasileira de Educação, v. 11, n.31, jan./abr.2006.

 

DINIZ, Eder Carlos Cardoso. Sindicalismo, Docência e Formação Política do Professor Da Educação Básica Pública. Dissertação de Mestrado. Instituto de Ciências Humanas e Sociais. UFMT. Rondonópolis-MT. 2014

Estatuto do Sindicato dos trabalhadores do Ensino Público de Mato Grosso – SINTEP/MT, Certidão do Tabelionato e Registro de Títulos Documentos e Pessoas Jurídicas - Serviço Notarial e Registral de Cuiabá-MT, Registro n. 24627, datado de 29/04/2015.

 

FREIRE, Paulo. Educação e Mudança. 12ª Ed. Paz e Terra. Rio de Janeiro, 1979.


_______, Paulo. Pedagogia da autonomia. 39ª ed. Paz e Terra. Rio de Janeiro. 1996.

 

_______, Paulo. Pedagogia da indignação: cartas pedagógicas e outros escritos / Paulo Freire. Editora UNESP,  São Paulo 2000.

 

_______, Paulo. Política e educação. 5ª ed - São Paulo, Cortez, 2001. (Coleção Questões de Nossa Época; v.23)

 

 

GATTI, Bernardete Angelina. A construção da pesquisa em educação no Brasil. Brasília: Plano Editora, 2002. Série Pesquisa em Educação, v. 1.

 

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4.ed. São Paulo. Atlas. 2002.

 

GINDIN, J. Sindicalismo dos trabalhadores em Educação: tendências. Educar em Revista, Curitiba, Brasil, n. 48, p. 75-92, abr./jun. 2013. Editora UFPR

 

GIROUX, Henry A. Os professores como intelectuais: rumo a uma pedagogia crítica da aprendizagem. Tradução Daniel Bueno. Artes Médicas, Porto Alegre. 1997.

 

HERGESEL, Salatiel dos Santos. A participação do Sindicato dos professores no Ensino Oficial do Estado de São Paulo – APEOESP na formação político pedagógica do professor.  2005. 172 f. Dissertação (Mestrado em Educação) Faculdade de Educação. Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2005.

 

IMBERNÓN, Francisco. Formação Permanente do professorado: novas tendências; tradução de Sandra Tabucco Valenzuela. 1ed. São Paulo: Cortez, 2009

 

MAINARDES, Jefferson. Abordagem do ciclo de políticas: uma contribuição para a análise de políticas educacionais. Educação & Sociedade, Campinas, v. 27, n. 94, p. 47-69, jan./abr. 2006. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/es/v27n94/a03v27n94.pdf Acesso em: julho 2018

 

 

MONLEVADE, João Antonio Cabral. História do Movimento Sindical da Educação no Brasil e Mato Grosso. Cadernos do Programa de Formação Sindical. 2007

 

NETO, João Cabral de Melo. Poema Tecendo a manhã disponível em: http://www.jornaldepoesia.jor.br/joao02.html. Acesso em junho de 2018.

 

 

ROMANOWSKI, J. P.; ENS, R. T. As pesquisas denominadas do tipo “estado da arte”. Diálogo Educacional , Curitiba, v. 6, n. 19, p. 37-50, set. 2006.

 

PORTO, Rita de Cassia Cavalcanti, LIMA, Taissa Santos de. O legado de Paulo Freire para a formação permanente: uma leitura crítica das dissertações e teses sobre a formação de professores. Revista e-Curriculum, São Paulo, v.14, n.01, p. 186 – 210 jan./mar.2016 disponível em: <revistas.pucsp.br/index.php/curriculum/article/view/26351/19392> acesso em outubro de 2018

 

PUCCI, Bruno. Teoria Crítica e Educação: contribuições da Teoria Crítica para a formação do professor. Espaço Pedagógico, v. 8, p. 13-30, 2001. Disponível em: http://www.unimep.br/~bpucci/teoria-critica-e-educacao.pdf. Acessado em: 02 de setembro de 2018.

 

 

ROMANOWSKI, Joana Paulin; ENS, Romilda Teodora As Pesquisas denominadas do tipo “Estado da Arte” em Educação. Diálogo Educacional, Curitiba, v. 6, n.19, p.37-50, set./dez. 2006.

 

SANTOS, Adriana Regina de Jesus et al. Referências freireanas para a formação de educadores. In: V Encuentro Internacional Fórum Paulo Freire, em Valência, Espanha, setembro de 2006. Disponível em: http://www.acervo.paulofreire.org:8080/jspui/bitstream/7891/4029/1/FPF_PTPF_01_0688.pdf. Acesso em: 20 de agosto de 2018.

 

SANTOS, Maria Oliveira dos. Prática sindical docente e seus nexos com a formação política dos professores. 2012. 135 f. Dissertação (Mestrado em Educação) Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, 2012.

 

SHOR, Ira, FREIRE, Paulo. Medo e Ousadia – O Cotidiano do Professor / tradução de Adriana Lopez; revisão técnica de Lólio Lourenço de Oliveira. –Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1986. (Coleção educação e Comunicação, v. 18)

 

SHOR, I.; SAUL, A.; SAUL, A. M. O poder que ainda não está no poder: Paulo Freire, pedagogia crítica e a guerra na educação pública. Educar em Revista, Curitiba, Brasil, n. 61, p. 293-308, jul./set. 2016

 

 

SILVA, Reni Gomes da. Educação: campo de luta – um estudo sobre os congressos do Sindicato dos professores no Ensino Oficial do Estado de São Paulo – APEOESP – (1997-2006). 2008. 238 f. Dissertação (Mestrado em Educação) Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2008.

 

VIEIRA, Josenilton Nunes. O sindicato como espaço de construção da profissão docente. 2009. 221 f. Tese (Doutorado em Educação) Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Natal, 2009.

 

ZEICHENER, Ken, FLESSNER, Ryan. Educando os professores para uma educação crítica. In: APPLE, Michel W., AU, Wayne, GANDIN, Luís Armando. Educação Crítica uma análise Internacional. Tradução Vinicius Figueira. Artmed. 2011