Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
AVALIAÇÃO DO EFEITO DA BOTRIOSFERANA SOBRE O DESENVOLVIMENTO TUMORAL EM RATOS OBESOS E NÃO OBESOS
Danielli Geraldelli, Mariana Costa Ribeiro, Tulio Couto Medeiros, Kamila Ortega Martins, Matheus Fiori, Pamela Alegranci, Eveline Aparecida Isquierdo Fonseca de Queiroz

Última alteração: 05-10-18

Resumo


Câncer é uma doença multifatorial, caracterizada pelo crescimento descontrolado de células, e tem a obesidade como um importante fator de risco. β-glucanas são substâncias produzidas por micro-organismos e descritas por serem efetivas em tratar várias doenças. Botriosferana, uma β-(1→3)(1→6)-D-glucana produzida pelo fungo Botryosphaeria rhodina, exibiu efeito antimutagênico, antiproliferativo, pró-apoptótico, hipoglicemiante e hipocolesterolêmico. Assim, o objetivo deste estudo foi analisar o efeito da botriosferana sobre o desenvolvimento tumoral em animais obesos e não obesos. Foram utilizados ratos Wistar machos divididos em dois grupos: Controle e Obeso. Os animais controle receberam ração padrão e os obesos ração hiperlipídica e água com sacarose para indução da obesidade. Após 9 semanas, foram inoculadas 1x107 células do tumor de Walker-256, subcutaneamente, no flanco superior direito dos animais. No mesmo dia, iniciou-se o tratamento com botriosferana (30mg/kg, via gavagem, durante 15 dias), e os respectivos controles receberam solução salina. Os animais foram subdivididos em 4 grupos: Controle Tumor(CT), Controle Tumor Botriosferana(CTB), Obeso Tumor(OT) e Obeso Tumor Botriosferana(OTB). Ao final da 11ª semana todos os animais foram avaliados. Foram analisados a evolução ponderal dos animais, consumo alimentar, testes de tolerância à glicose oral (OGTT) e à insulina intraperitoneal (IPITT), e perfis glicêmico e lipídico. Foi realizada a caracterização da obesidade através da determinação do Índice de Lee, peso relativo das gorduras e da massa magra, e análise do desenvolvimento tumoral por meio do peso do tumor, porcentagem de pega e índice de caquexia. O desenvolvimento tumoral foi significativamente menor nos animais CTB e OTB quando comparado com os animais CT e OT, respectivamente, demonstrando que a botriosferana auxilia na redução do desenvolvimento tumoral tanto em animais não obesos, quanto em animais obesos. Não houve diferença significativa no ganho de peso e no consumo alimentar entre os animais CT vs CTB, e OT vs OTB. Os animais CTB apresentaram aumento significativo do músculo EDL, e redução do fígado e adrenais, quando comparados ao grupo CT, bem como apresentou redução dos triglicerídeos e aumento do HDL-colesterol. O grupo OTB apresentou diminuição significativa da gordura mesentérica, e aumento do músculo sóleo, quando comparado ao OT. Ainda, a botriosferana aumentou significativamente a sensibilidade à insulina nos animais obesos com tumor. Os demais índices bioquímicos e o OGTT não apresentaram diferença estatística. Assim, pode-se concluir que a botriosferana foi eficaz em reduzir o desenvolvimento tumoral, e isso pode estar associado com a melhora dos parâmetros metabólicos tanto em animais obesos como não-obesos.


Palavras-chave


Câncer; Obesidade; Botriosferana; β-(1→3)(1→6)-D-glucana