Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
Linguagem poética do corpo: a Rítmica de Émile jaques-Dalcroze e Orff-Schulwerk de Carl Orff na aulas de Educação Física
Tassia Luiz da Costa Porto

Última alteração: 14-10-18

Resumo


Os Parâmetros Curriculares Nacionais (1997) destacam as atividades rítmicas e expressivas como conteúdo importante para à formação integral do indivíduo e traz a compreensão que a aula de Educação Física pode proporcionar experiências corporais que envolvam o educando para além da dimensão técnico-cientifica (BETTI e BETTI; 1996). A prática pedagógica do professor de Educação Física tem sido amplamente discutida no contexto de ressignificar sua ação no âmbito escolar para além do conteúdo de esportes (BETTI e BETTI, 1996); (KUNZ 2010); (GRUNENNVALDT, ALVES, FÁVERO, 2016).  As atividades rítmicas e expressivas aparecem como um caminho possível para acrescentar na aula de Educação Física um repertório de atividades motoras, cognitivas e afetivas que apresentem ao educando novos caminhos de aprendizado, tão importante quanto o esporte (BRASIL, 1997). Émile Jaques – Dalcroze (1865 – 1950) e Carl Orff (1895 – 1982), foram pioneiros em conceber o corpo, bem como atividades que envolvam a expressão, o movimento e o ritmo como essenciais na construção de suas propostas metodológicas. Portanto, as metodologias em educação musical de Émile Jaques – Dalcroze e Carl Orff mostram-se um viés de possibilidades para aplicação de atividades pedagógicas que envolvem música e movimento (MADUREIRA, 2008). O presente trabalho buscou refletir sobre possíveis desdobramentos do conteúdo de atividades rítmicas e expressivas na aula de Educação Física por meio da Rítmica de Émile Jaques-Dalcroze e o “Orff-Schulwerk” de Carl Orff oportunizando formação educativa destes teóricos por um período de 12 (doze encontros) para um único professor de Educação Física. Concomitantemente ao período de formação, desenvolveu-se em conjunto com o sujeito da pesquisa uma Unidade Didática que envolveu ambas as pedagogias em educação musical e o conteúdo de atividades rítmicas e expressivas nas aulas de Educação Física em uma escola de ensino privado na região da cidade de Várzea Grande. Para coleta de dados utilizou-se o diário de campo de autoria do sujeito participante da pesquisa, que relatou tanto o período de formação quanto o período de intervenção. Barreiro (2009) nos mostra que a pesquisa-formação possibilita a compreensão de singularidades plurais e de pluralidades singulares, característica desta pesquisa de caráter formativo. As atividades pedagógicas desenvolvidas nas aulas de Educação Físicas foram selecionadas e planejadas em conjunto entre pesquisador e sujeito, sendo que sua aplicação realizou-se primeiramente com auxílio do professor pesquisador, e em seguida, o professor de Educação Física interviu sem acompanhamento. Ao compreender o espaço escolar como um ambiente de múltiplas expressões corporais, e ainda, a aula de Educação Física como um cenário possível para a atuação do professor com as atividades rítmicas e expressivas, é possível justificar a pertinência em refletir metodologias que percebam o corpo como integrante desta relação entre música e movimento.


Palavras-chave


atividades rítmicas e expressivas; Émile Jaques-Dalcroze; Carl Orff; educação física escolar, educação musical.

Referências


ARTAXO, I. e MONTEIRO, G. A. Ritmo e Movimento – teoria e prática. 4 ed. São Paulo: Phorte, 2008.

BETTI, I.C.R e BETTI, M. Novas perspectivas na formação profissional em Educação Física. Motriz – Volume 2, Número 1, Junho/1996.

 

BRASIL, Ministério da Educação. Secretaria de Educação fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: Educação Física. Brasília: SEF/ MEC, 1997.

DORFLES, G. O devir das artes. Trad. Pier Luigi Cabra. São Paulo, Martins Fontes, p.177 -89, 1992.

FRANCO, Marilia Amelia. Prática pedagógica e docência: um olhar a partir da epistemologia do conceito. Rev. bras. Estud. pedagog. (on-line), Brasília, v. 97, n. 247, p. 534-551, set./dez. 2016.

 

GRUNENNVALDT, J. T.; ALVES, E. S.; FÁVERO, G. A Educação física e o Ensino Médio: pela possibilidade da mediação entre o “fazer com” e o “falar de”. Dialogia, São Paulo, n. 24, p. 39-51, jul./dez.2016.

KUNZ. E. Didática da educação física 2. 3 ed. Ijuí: Unujuí, 2005.

_______. Transformação Didático- Pedagógico do Esporte. Ijuí: Editora da Unujuí, 2010.

 

MADUREIRA, J. R. Émile Jaques-Dalcroze: sobre a experiência poética da Rítmica: uma exposição em 9 quadros inacabados. Campinas: Faculdade de Educação da Unicamp, 2008, 209p. (tese de doutorado).

MATO GROSSO. Orientações Curriculares: área de linguagens - Educação Básica. Cuiabá, MT: SEDUC/MT, 2010. 126p.

SILVA, L. Cultura da infância, música tradicional da infância. In: Gisele Jordão; Renata R. Alluci, Sergio Molina, Adriana Miritello Terahata. (Org.) A música na escola. 1ed. São Paulo: Alluci & Associados Comunicações, 2012, v. 1, p. 146 – 151.

SOARES, C. L.; MADUREIRA, J. R.  Educação física, linguagem e arte: possibilidades de um diálogo poético do corpo. Movimento, Porto Alegre, v. 11, n. 2, p.75-88, maio/agosto de 2005

TIBEAU, C. Motricidade e Música: Aspectos relevantes das atividades rítmicas como conteúdo da educação física. Revista Brasileira de Educação Física Esporte, Lazer e Dança, v. 1, n. 2, p. 53-62, jun. 2006.

VERDUM, P. Prática Pedagógica: o que é? O que envolve? Revista Educação por Escrito – PUCRS, v.4, n.1, jul. 2013.