Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
Metacognição no Ensino-Aprendizagem de Porcentagem na Educação de Jovens e Adultos
Mariana Figueira Secafim, Marta Maria Pontin Darsie

Última alteração: 07-10-18

Resumo


Neste texto apresentamos a pesquisa de mestrado desenvolvida junto ao Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Mato Grosso - UFMT, na linha de pesquisa em Educação em Ciências e Matemática, sob a orientação da Profa. Dra. Marta Maria Pontin Darsie juntamente com o Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Matemática - GRUEPEM. Buscamos investigar a contribuição do uso de estratégias metacognitivas na resolução de problemas de porcentagem na Educação de Jovens e Adultos (EJA). Para esse fim realizamos uma pesquisa qualitativa de análise descritiva e interpretativa tendo por método a pesquisa-ação. A produção das informações foi realizada no contexto da Escola Estadual Antônio José de Lima, localizada no município de Juscimeira – MT, em uma turma do 2º ano do Ensino Médio, com sete participantes, sendo o professor regente de matemática e seis estudantes. Para a produção das informações contamos com o auxílio dos seguintes procedimentos e instrumentos: observação, aula interventiva, questionários com questões abertas e fechadas, registro dos alunos, entrevista semiestruturada, videos e gravação de áudio, pré-teste, pós-teste, aplicação de estratégias metacognitivas no processo de resolução de problemas matemáticos de porcentagem e texto reflexivo dos estudantes. A questão norteadora da pesquisa foi a seguinte: O uso de estratégias metacognitivas auxilia os estudantes da EJA na resolução de problemas com porcentagem? Para discutirmos sobre a aprendizagem de matemática na Educação de Jovens e Adultos nos reportamos a: Paiva (1987), D’Ambrósio (1995, 1997), Darsie (1998), Medeiros (1999), Ribeiro (2001), Di Pierro (2005), Fonseca (2005), Pais (2008), Nogueira (2010), Leite (2011), Palma e Darsie (2013), Ribeiro (2007, 2014), dentre outros. Para discutirmos sobre metacognição e estratégias metacognitivas nos respaldamos em: Flavell (1987, 1976, 1979), González (1996), Jalles (1997), Lafortune e Saint-Pierre (1996), Oliveira (2002), Ferreira (2003), Murad (2005), Sousa (2007), Dreher (2009), Araújo (2009), Leite (2011), Portilho (2011) e Santos (2015), entre outros. Em resposta à problemática da investigação pode-se considerar a contribuição das estratégias metacognitivas no ensino-aprendizagem dos estudantes da EJA, já que é possível perceber um avanço significativo com relação ao desempenho dos aprendizes no processo de resolução de problemas de porcentagem. Além disso verificamos que durante o processo os estudantes revelaram natureza da própria aprendizagem, tomando consciência das estratégias utilizadas e controle sobre o processo de resolução dos problemas, explicitando todas as etapas do processo, oralmente ou por meio da escrita. Desse modo consideramos que os resultados obtidos contribuem para o processo de ensino-aprendizagem da matemática na EJA.

Palavras-chave


Estratégias Metacognitivas; Resolução de Problemas Matemáticos; Ensino-aprendizagem; Educação de Jovens e Adultos

Referências