Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
UM ESTUDO SOBRE A CRIANÇA NA FASE INICIAL DA ESCRITA: ALFABETIZAÇÃO COMO UM PROCESSO DISCURSIVO
Cristiane Dias Santos Delmondes Da Silva, BARBARA CORTELLA PEREIRA DE OLIVEIRA

Última alteração: 07-10-18

Resumo


Com o objetivo de contribuir para a compreensão e o fortalecimento da alfabetização como um processo discursivo em escolas públicas de Mato Grosso, apresentam-se neste texto os principais elementos do projeto de dissertação de mestrado vinculado à linha de pesquisa “Cultura escolar e linguagens” do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Mato Grosso (PPGE/UFMT) e ao Projeto trienal (2018/2021) do “Grupo de estudo e Pesquisa Linguagem oral, Leitura e escrita na Infância” (GEPLOLEI). Mediante pesquisa bibliográfica e documental, busca-se compreender a alfabetização como processo discursivo – proposta político-pedagógica pioneira defendida pela Profa. Dra. Ana Luiza Bustamante Smolka em 1987 – que compreende o processo de alfabetização como sucessivos momentos de apropriação por parte da criança de uma forma de linguagem por meio da interação verbal com o(s) Outro(s) que são atividades que demandam um trabalho simbólico e “gestos de ensinar” capazes acolher os diferentes espaços-tempos de elaboração da criança. Formulou-se como objetivos específicos da pesquisa: ampliar a compreensão acerca da abordagem teórico-metodológica sobre a alfabetização como um processo discursivo elaborada por  Smolka; Localizar, reunir, selecionar e analisar a bibliografia De e Sobre SMOLKA; e Analisar a configuração textual de A criança na fase inicial da escrita: a alfabetização como um processo discursivo. A pesquisa ancora-se na teoria Histórico-cultural de Vygotsky (2007) que considera como fator primordial para o processo de ensino-aprendizagem a interação social, assim como  a teoria da enunciação de Bakthin (1981)  que contribui de maneira significativa pois considera o fenômeno social da interação verbal tanto nas suas formas orais  quanto nas escritas. Para a consecução desses objetivos, utiliza-se o método derivado do conceito de análise da configuração textual (Mortatti, 2000) buscando compreender o conjunto de aspectos inter-relacionados  constituem um determinado texto de maneira a compreender: Quem é Ana Luiza B Smolka (infância, juventude e carreira acadêmica)?; Qual a tese defendida por ela em seu doutorado (aspectos conteudísticos)?; Como ela escreveu sua tese de doutorado (aspectos estruturais-formais)? Para que(m) ela escreveu sua tese (finalidade)?; e Em que momento histórico social, cultural, político e educacional escreveu sua tese? Até o momento, constatou-se após a publicação dessa tese em 1988 começa a ser disseminado no Brasil o pensamento desta autora tencionando um novo olhar para o processo de alfabetização que não se dá isolado a historicidade da criança que ao nascer que já encontra um mundo repleto de representações com significados variados, porém essa concepção nas escolas públicas do Mato Grosso apesar de 30 anos de existência, ainda é pouco compreendida e utilizada na prática pedagógica dessas alfabetizadoras.


Palavras-chave


Alfabetização. Processo discursivo. Ana Luiza B. Smolka.