Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
CONTEXTO GEOLÓGICO DAS MINERALIZAÇÕES DE OURO DE CASTELO DOS SONHOS, SUL DO PARÁ
Luana Castelo Branco Paniz, Carlos Humberto da Silva, Fábio Mozzer, Fernanda Viegas Nogueira Bretas

Última alteração: 26-10-18

Resumo


A região de Castelo dos Sonhos, situada no sul do Pará produz ouro e tem sido alvo de intensa atividade por parte de garimpeiros desde a metade de 1980. Após vários episódios de violência e o estabelecimento da ordem, a região conheceu a calmaria o que possibilitou a chegada de empresas de mineração para desenvolver pesquisa mineral. Desde 2011 a empresa Tristar Mineração do Brasil Ltda vem realizando uma extensa quantidade de trabalhos exploratórios na região o que tem contribuídopara o conhecimento dos depósitos de ouro da região.Os depósitos primários de ouro dessa região estão condicionados às ocorrências da Formação Castelo dos Sonhos, que é constituída por uma sequência metassedimentar, formadas por metarenitos na base, metaconglomerados na porção intermediária, e metarenitos notopo. Foram ainda identificada também rochas denominada de metarenito conglomeráticos que seria uma fácies de transição entre o sedimento mais grosso (conglomerados) e o sedimento mais fino (metarenito). Por sua vez essas porções aparecem de forma lenticular umas dentro das outras, evidenciando pela sua disposição uma deposição distal e proximal de canais fluvias entrelaçados. Estruturalmente as rochas sedimentares da Formação Castelo de Sonhos que abrange uma área de aproximadamente 20 km N-S por 17 km E-W, representa uma estrutura sinformal com eixo NE-SW na parte norte, onde o flanco leste apresenta direção N-S com mergulhos de 30 a 35 graus para oeste, o flanco leste apresenta direção NE-SW com mergulhos de 60 a 80 graus para SE. Na parte sul observa-se uma inflexão no flanco leste, possivelmente ocasionado por uma zona de cisalhamento, e fez com que a direção desse seguimento do flanco obtivesse direção NE-SW com mergulhos de 30 a 35 para NW, dando um contorno que lembra uma ferradura a essa antiformal. A mineralização aurífera evidenciada tanto pelas as anomalias geoquímicas de solo, como por interceptações em furos de sondagem ocorrem exclusivamente associadas ao pacote de metaconglomerados, que chegam a atingir até 200 metros de espessura e se estendem por aproximadamente 16 quilômetros, correspondendo a um depósito do tipo paleoplacer modificado. A idade máxima dessa formação obtida a partir de zircões detríticos de metarenito foi 3.103 a 2.083 Ma (U-Pb, SHRIMP) indicando como possível fonte as rochas dos domínios arqueanos Carajás e Rio Maria situados a leste.

Palavras-chave


Formação Castelo de Sonhos; ouro; paleoplacer

Referências


SANTOS, J. O. S., 2003. Geotectônica do Escudo das Guianas e Brasil Central. In: L. A. BIZZI, C. SCHOBBENHAUS, R. M. VIDOTTI & J. H. GONÇALVES (Eds.): Geologia, tectônica e recursos minerais do Brasil: 169-226. Serviço Geológico do Brasil, Brasília.

 

VASQUEZ, M. L., L. T. ROSA-COSTA, C. M. G. SILVA, P. S. F. RICCI, J. P. O. BARBOSA, E. L. KLEIN, E. C. S. LOPES, E. M. B. MACAMBIRA, C. L. CHAVES, J. M. A. CARVALHO, J. G. F. OLIVEIRA, G. C. ANJOS & H. R. SILVA, 2008b. Unidades litoestratigráficas. In: M. L. VASQUEZ & L. T. ROSA-COSTA (Eds.): Geologia e recursos minerais do Estado do Pará: Sistema de Informações Geográficas e SIG: texto explicativo dos mapas geológico e tectônico e de recursos minerais do Estado do Pará. Escala 1:1.000.000. CPRM – Serviço Geológico do Brasil, Belém. 1 CD-ROM.