Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
Análise crítica da cartografia geográfica crítica e da maquete como forma de representação do espaço e suas aplicações ao ensino de Geografia
Telio Donizeth Fernandes

Última alteração: 26-10-18

Resumo


A cartografia dentro da ciência geográfica, sobre tudo com o surgimento e desenvolvimento da geografia crítica, passou a ser entendida muito mais como uma técnica de representação do espaço do que como uma ciência que trata da representação do espaço geográfico, como o meio onde as relações sociedade e natureza se dão. Contudo entendemos que a retomada da cartografia pela geografia, tem um papel essencial como forma de fortalecimento de ambas; a cartografia ganhará força dentro da geografia crítica do espaço, sendo ela capaz de representar não apenas os aspectos físicos e suas localizações e espacialidades, mas também as transformações e readequações que no espaço ocorrem ao longo do tempo, assim como as contradições que no espaço se materializam, de tal forma as representações ganharão o caráter crítico  pertinente a geografia em sua vertente crítica. Através da cartografia crítica geográfica as representações tornam-se muito mais eficientes, pois, serão capazes de carregar informações espaciais mais completas, tratando paralelamente aspectos físicos e humanos, desta forma contribuindo com a superação da dicotomia entre as duas grandes áreas da geografia, e assim fortalecendo a mesma enquanto ciência, que tem como maior objeto de estudo a relação indissociável da sociedade e da natureza. Outro ponto a ser analisado nesta pesquisa, será a forma como a cartografia vem sendo tratada, tanto como área do conhecimento escolar quanto do acadêmico, como a própria função de representação da realidade. Para alcançar os objetivos desta pesquisa será feita uma análise crítica da cartografia geográfica, através da sistematização e construção de maquetes que sejam capazes de relacionar os aspectos físicos e sociais, debater sua aplicação no ensino como um material didático pedagógico. Tais analises serão feitas a partir de três escalas pré-selecionadas, que são: Território brasileiro, estado de Mato Grosso, e Região Metropolitana do Vale do Rio Cuiabá. A presente pesquisa visa tratar questões físicas e humanas da geografia, através, da construção e aplicação das maquetes ao ensino de geografia, tendo em vista, que a geografia ao longo de seu desenvolvimento enquanto ciência, busca a compreensão do espaço geográfico e suas relações, não apenas das questões físicas referente aos fatores de formação e modificação da natureza, mas também, dos fatores sociais. Compreendendo o espaço como um conjunto de totalidades entre o homem como ser social, que modifica o espaço através da sua produção, sendo que na medida que a sociedade evolui, a ação social atua sobre o espaço, já anteriormente modificado, readequando-a a suas necessidades e ambições. Desta forma, pensar as questões físicas e humanas, relacionando-as no espaço geográfico, utilizando escalas diferentes, para pensar o processo cartográfico e a elaboração das maquetes, torna-se importante assim como é importante o uso dos mapas em aulas de geografia, porém as maquetes geográficas apresentam vantagens neste sentido, principalmente, devido ao seu aspecto tridimensional que diminui o nível de abstração existente nos mapas, permitindo uma leitura mais precisa do espaço representado e dos demais elementos nele contido e representado através de maquetes geográficas.

 


Palavras-chave


cartografia; ensino; geografia; maquete