Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
Síntese de derivados indólicos e avaliação da atividade larvicida em Aedes aegypti (Diptera: Culicidae)
JANAINA ROSA DE SOUSA

Última alteração: 25-10-18

Resumo


Frente aos desafios de controle do vetor Aedes aegypti e de um quadro crítico do seu papel como vetor de arboviroses, é imprescindível a adoção de estratégias que proporcionem o controle rápido e eficiente do inseto, aliado a segurança ambiental. Neste trabalho avaliamos a atividade larvicida de compostos indólicos sobre larvas de A. aegypti. Para tal, foi realizada a síntese de seis compostos, e determinada à atividade larvicida, a toxicidade em células de macrófagos Raw 264.7, Vero, Chlorella vulgaris BR017 e Scenedesmus obliquus BR003, bem como a persistência larvicida sob condições laboratoriais.As larvas de A. aegypti foram susceptíveis aos compostos C1, C2, C4 e C5 avaliados, com destaque à maior atividade para o composto C1 com valores de CL50 (9.36 µM) e CL90 (15.47 µM). Cloro e bromo presentes no anel aromático destes compostos promoveram o aumento da atividade larvicida. Nas avaliações de toxicidade em macrófagos RAW 264.7 e Vero, os compostos C1, C2, C4 e C5 não diminuíram a viabilidade celular após serem expostos às concentrações analisadas. Os compostos C1, C2 e C5 não afetaram o crescimento de C. vulgaris BR017 e S. obliquus BR003. C1, C2, C4 foram persistentes por 30 dias resultando em 100% de mortalidade das larvas em apenas 2 horas. Os resultados da pesquisa demonstram que C1, C2, C4 e C5 são compostos efetivos no controle de larvas de A. aegypti e não apresenta toxicidade a células de mamíferos e algas.

 

Palavras-chave: indóis, larvas, toxicidade, vetor.