Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
Escola Normal Regional em Mato Grosso-1940-1974
Marilu Marqueto Rodrigues, Nilce Vieira Campos Ferreira

Última alteração: 07-10-18

Resumo


Resumo: Objetivamos investigar a institucionalização e organização da Escola Normal Rural em Mato Grosso no período de 1940 a 1974. A pesquisa insere-se no campo da História da Educação. Propomos uma pesquisa bibliográfica e documental, fundamentada pela Nova História. Temos como fontes de pesquisa os Relatórios da Instrução Pública do estado, Leis, Decretos, boletins da Instrução Pública, jornais, fotografias e mensagens dos presidentes do Estado de Mato Grosso e dos Presidentes do Brasil. As fontes foram recolhidas no Arquivo Público de Mato Grosso (APMT) na cidade de Cuiabá-MT, no Instituto Memória do Poder Legislativo de Mato Grosso, no Arquivo Público da Coordenadoria Regional de Educação de Ponta Porã-MS, no Arquivo Permanente da Escola Estadual Adê Marques-MS na cidade de Ponta Porã-MS, no Centro de Memória Viva do Instituto de Educação – CMVIE-UFMT, e no Center Research  Libraries. Procuramos responder: Como foi institucionalizada e organizada a Escola Normal Rural Mato-Grossense? Ponderamos que: a Escola Normal Rural foi criada para conter o êxodo rural; carecia de condições econômicas para sua manutenção e desenvolvimento e, como responsabilidade dos governos regionais diferenciava na qualidade e nos investimentos econômicos; sua implantação teve uma perspectiva de modernização e progresso do meio rural bem como do país; ainda foi uma campanha de solução das questões sociais e principalmente de higiene e profilaxia. O governo do estado de Mato Grosso pelo Decreto n. 1.251 de 27 de agosto de 1959 criara a primeira escola normal regional pública do estado, a Escola Normal Regional de Ponta Porã.

 


Palavras-chave


Palavras-chave: Escola Normal Rural; Formação de professores; Mato Grosso.

Referências


Referências

ALMEIDA, Jane Soares de. Mulher e educação: a paixão pelo possível. São Paulo. Unesp, 1998. (prismas)

BACELLAR, Carlos. Uso e mau uso dos arquivos. In: PINSKY, Carla Bassanezi. (Org.). Fontes históricas. 2. ed. São Paulo: Contexto, 2008, p. 23-79.

BEZERRA, Artur D’Amico. A Escola Normal de Ponta Porã, Sul de Mato Grosso (1959-1974). Dissertação de mestrado. Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Campo Grande, 2015.

BLOCH, Marc. Apologia do Historiador. Trad. Armand Colin. Rio de Janeiro. Ed. Zahar, 2002.

CERTEAU, Michel de. A Escrita da história. Tradução de Maria de Lourdes Menezes. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1982.

FERREIRA, Nilce Vieira Campos. Economia Doméstica: Ensino Profissionalizante no Triangulo Mineiro (Uberaba-MG- 1953-1997). Jundiaí, Paco Editorial, 2014.

__________. Escola Normal Rural brasileira nos anos de 1938-1963. Disponível em: Anais Eletrônicos do IX Congresso Brasileiro de História da Educação. João Pessoa Universidade Federal da Paraíba – 15 a 18 de agosto de 2017, p. 1897. Acesso em 28/10/17.

FERREIRA, Nilce Vieira Campos; GELES, Yésica Paola Montes. Origen de las escuelas normales: una breve mirada a las escuelas normales brasileñas y colombianas. Revista Educação Pública. Cuiabá, v. 27, n. 65/1, p. 487-506, maio/ago. 2018.

LE GOFF, Jacques. História e memória. Trad. Bernardo Leitão... et al. Campinas, SP. ed. Unicamp, 1990.

LOURENÇO FILHO, Manoel Bergström. A formação de professores: da Escola Normal à Escola de Educação. Organização: Ruy Lourenço Filho. Brasília: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas educacionais. 2001.

LOURENÇO FILHO, Ruy; MONARCHA, Carlos. (Org.). Manoel Bergström Lourenço Filho: Tendências da educação brasileira. 2. ed. Brasília: MEC/Inep, 2002.

LOURO, Guacira Lopes. Mulheres na sala de aula. In: PRIORI, Mary Del (org.). História das Mulheres no Brasil. São Paulo: Contexto, 2011, p.443-481.

MENDONÇA, Rubens de. Evolução do ensino em Mato Grosso. Cuiabá-MT, 1977.

ROMANELLI, Otaíze de Oliveira. História da Educação no Brasil (1930-1973). 8ª ed. Ed. Vozes Petrópolis, 1986

Decretos e Leis

MATO GROSSO. Decreto n. 112, de 29 de dezembro de 1937. Incorporou a escola Normal “Pedro Celestino” ao Liceu Cuiabano.

MATO GROSSO. Decreto n. 229, de 27 de dezembro de 1938. Cria o Liceu Campograndense.

MATO GROSSO. Decreto lei n. 834, de 31 de janeiro de 1947. Cria duas Escolas Normais, na capital do estado de Mato Grosso e em Campo Grande.

MATO GROSSO. Decreto n. 1.251 de 27 de agosto de 1959. Cria a primeira escola normal regional pública do estado de Mato Grosso.

Fontes

LOURENÇO FILHO, Manoel Bergström. Boletim no 22: Organização do Ensino Primário e Normal, XVII, Estado do Mato Grosso. Brasília: INEP, 1942.

MATO GROSSO. Mensagem. José Marcelo Moreira. Interventor Federal do estado de Mato Grosso. 1947.

_____________. Relatório apresentado ao Exmº. Sr. Dr. Getúlio Vargas, presidente da República pelo Bel. Júlio Strübing Müller, Interventor Federal de Mato Grosso. Arquivo Público de Mato Grosso-APMT. Cuiabá-MT, 1941-1942.

Jornais

QUEIROZ, Carlos Garcia de. A Escola Normal Primária. A Cruz. Cuiabá, 09 de nov. de 1944, p. 2.

Sites

<https://www.ibge.gov.br/>