Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
A variabilidade sazonal, horária e o comportamento espaço-temporal da temperatura da superfície na área urbana de Cuiabá e entorno
Hugo Vilela Lemos Ferreira

Última alteração: 26-10-18

Resumo


Os diferentes arranjos espaciais da superfície promovem diferentes interações com os sistemas climáticos que operam em escalas de abrangência espacial igual, menor ou maior. As especificidades em escalas locais revelam únicas configurações climáticas, seja do clima urbano, seja de aspectos regionais que se associam a tipos de uso e ocupação do solo rural, como áreas de proteção da vegetação, de pastagem, ou cicatrizes de solo exposto. A temperatura da superfície (Ts) é uma propriedade física dos objetos que se relaciona com os fluxos de energia que governam o clima nas mais diferentes escalas. Em ambientes urbanos, os materiais artificiais apresentam singulares configurações da Ts, o que por sua vez cria condições de mudanças climáticas a nível local. Esta Ts é detectável, sob condições de generalização, em produtos do sensoriamento remoto orbital. Sua análise permite traçar um perfil térmico de sua intensidade e configuração espacial. Este trabalho tem como objetivo analisar o comportamento da temperatura da superfície (Ts) na área urbana de Cuiabá-MT, comparando produtos MODIS LST diários do tipo MOD11A1 e MYD11A1, do ano de 2017, de modo a verificar sua variabilidade espacial e temporal em função das características das superfícies urbana e do entorno rural próximo. Se analisou a variabilidade sazonal e horária dos produtos para toda a área urbana da Cuiabá, pelo contraste da variação dos níveis de intensidade da Ts e seu padrão espacial. Comparou-se o comportamento sazonal e diário da Ts com dados da estação meteorológica convencional do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) de Cuiabá. E foram selecionadas amostras de diferentes áreas intra-urbanas e do entorno próximo da cidade, áreas edificadas, de vegetação densa, pasto, e de configurações mistas, e comparou-se o comportamento da Ts em função dos diferentes tipos de arranjos espaciais. Se verificou que a Ts na área urbana de Cuiabá apresenta uma variação sazonal conforme de seu tipo climático Tropical Continental alternadamente úmido e seco. A condição sazonal implicou na variabilidade da Ts das áreas analisadas; no período chuvoso, as áreas rurais apresentaram menores amplitudes diárias da Ts; no período seco estas foram maiores; as áreas edificadas de Cuiabá quase constantemente permaneceram mais aquecidas que o entorno rural; na estação seca, nos períodos noturnos, a diferença entra a Ts das áreas urbanas e rurais foi mais anunciada que na estação chuvosa; nos períodos diurnos, por sua vez, a diferença da Ts entra as áreas edificadas e as rurais foi maior no período chuvoso que no seco. Os dados atmosféricos e a Ts mostraram conformidade em sua variação sazonal e diária ao longo do ano; se observou a interdependência entre as variáveis analisadas em sua variabilidade temporal. Se verificou que a Ts das áreas edificadas apresentou maior amplitude ao longo do ano que as vegetadas; aquelas ainda se mostraram mais aquecidas; a área central da cidade de Cuiabá, mais densamente e continuamente edificada, com menor presença de áreas vegetadas, se mostrou a área mais aquecida da cidade, sob diferentes configurações climáticas estacionais e horárias.


Palavras-chave


temperatura da superfície; clima urbano; espaço urbano

Referências


CALLEJAS, I. J. A.; DURANTE, L. C.; OLIVEIRA, A. S.; Nogueira, M. C. J. A. Uso do solo e temperatura superficial em área urbana. Mercator, v. 10, p. 207-223, 2011.MAITELLI, G. T. Uma abordagem tridimensional de clima urbano em área tropical continental: o exemplo de Cuiabá-MT. Tese (Geografia Física). USP, São Paulo-SP. 1994.MONTEIRO, C. A. de F; MENDONÇA, F. (orgs.). Clima Urbano. São Paulo: Contexto. 2ªed. 2003.OKE, T. R.; MILLS, G.; CHRISTEN, A.; VOOGT, J. A. Urban Climates. Cambridge University Press. 1ªed. 2017.PREFEITURA MUNICIPAL DE CUIABÁ; Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano – SMDU; Diretoria de Urbanismo e Pesquisa – DUP. Perfil socioeconômico de Cuiabá. Vol. V. Cuiabá, MT: Central de Texto, 2012.TARIFA, J. R.. Mato Grosso clima: análise e representação cartográfica. Cuiabá, MT: Entrelinhas, 2011.TOMLINSON, C. J.; CHAPMAN, L.; THORNES, J. E.; BAKER, C. J. Remote sensing land surface temperature for meteorology and climatology: a review. Meteorologial Applications, v. 18, p. 296-306, 2011.UGEDA JÚNIOR, J. C. Correlação entre a temperatura da superfície e temperatura do ar na cidade de Jales-SP. In: AMORIM, M. C. C. T.; SANT'ANNA NETO, J. L.; MONETIRO, A. (Org.). Climatologia Urbana e Regional: questões teóricas e estudos de caso. São Paulo: Outras Expressões, p.291-316, 2013.