Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
Memórias escolares de pessoas surdas: olhares sobre a inclusão
Shirley Lopes Maidana de Oliveira

Última alteração: 20-10-18

Resumo


Esta pesquisa, em andamento, é sobre a educação dos surdos no município de Rondonópolis e sua relação com a proposta educacional da inclusão. A forma como está posta as políticas educacionais, na atualidade, considera que a perspectiva da inclusão seja o norte para a Educação Especial, inclusive dos surdos. A defesa da inclusão justifica-se no fracasso do modelo segregacionista da Educação Especial. Contudo, os Estudos Surdos, advindos de doutores surdos e ouvintes, apontam para uma proposta em direção contrária à da inclusão. O objetivo é buscar entender como os surdos do município de Rondonópolis percebem a educação inclusiva a eles ofertada. Com este objetivo traçado, será necessário compreender o contexto histórico, político e cultural dos surdos e de sua educação em Rondonópolis; analisar nas narrativas das memórias, do período de escolarização, os valores ideológicos que apontem percepções sobre a inclusão; e evidenciar possíveis percepções dos surdos de Rondonópolis sobre a educação inclusiva à luz das teorias de Bakhtin sobre a linguagem e a Teoria Crítica de Adorno, a fim de extrair seu olhar sobre o tema e a possível efetividade ou não da inclusão. Para tanto, o caminho metodológico segue numa abordagem qualitativa, uma vez que a preocupação é retratar as perspectivas dos participantes, através de análises dos dados coletados por meio de entrevistas semiestruturadas, que serão gravadas em formato de vídeo, devido à especificidade linguística dos entrevistados, a saber, utentes da língua de sinais. Pesquisas bibliográficas sobre a inclusão e a situação atual da educação no município estão sendo realizadas, e também estão previstas pesquisas sobre a história educacional, aspectos culturais e políticos. Além de fontes textuais, as fontes orais serão necessárias para coletar dados sobre a percepção dos surdos, em forma de entrevistas gravadas em vídeo, de maneira a visitar suas memórias sobre o período escolar requerido, a saber, a partir de 2005. Os dados coletados serão analisados à luz dos estudos sobre as narrativas de memórias, filosofia da linguagem de Bakhtin e da Teoria crítica por Adorno, de forma a conceber seus olhares sobre a inclusão. Até o momento, as pesquisas realizadas revelam um movimento por parte dos doutores surdos no Brasil contra o modelo educacional inclusivo e uma defesa pela educação de surdos em escolas. Outro dado importante encontrado, evidenciado em um mapeamento realizado no município, junto às secretarias de educação e aos dados do IBGE, é um cenário de inclusão educacional ainda desfalcado de profissionais intérpretes e a presença ínfima de surdos nas escolas regulares inclusivas. A configuração atual de políticas inclusivas supera o modelo de educação especial segregacionista, no que tange ao olhar sobre os surdos como utentes de uma língua própria. Contudo, sua problematização por parte dos surdos demonstra haver a necessidade de discutir ainda mais sobre o que se quer de uma educação e que educação é essa que se oferta.


Palavras-chave


Educação; Surdos; Inclusão.

Referências


BARROS, D. L. P. Dialogismo, Polifonia e Enunciação. In: BARROS, D. L. P.; FIORIN, J. L. (Orgs.). Dialogismo, Polifonia, Intertextualidade: Em torno de Bakhtin. 2. ed. 2. reimpr. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2011.

CAMPELLO, A. R. et al. Carta aberta ao ministro da educação elaborada pelos sete primeiros doutores surdos brasileiros, que atuam nas áreas de educação e linguística, 2012. Disponível em: <http://www2.unirio.br/unirio/cchs/educacao/grupos-de-pesquisa/CARTAABERTADOSDOUTORESSURDOSAOMINISTROMERCADANTE.pdf>. Acesso em: 9 jun. 2017.

HALBWACHS, Maurice. A memória coletiva. Tradução Beatriz Sidou. São Paulo: Centauro, 2006. 224p. (1877 – 1945).

LUDKE, M.; ANDRÉ, M. E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

NOBRE, Marcos. A Teoria Crítica. 2 ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2008.