Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
A (des)construção de perfis de mulheres fitness no Instagram
MARCELLA BORDINI LIRIO, JULIANA ABONIZIO ABONIZIO

Última alteração: 11-10-18

Resumo


O objetivo desta pesquisa é compreender as representações corporais do mundo fitness e as críticas a essa padronização que vem sendo retratadas no mundo contemporâneo por meio da rede social Instagram. O aplicativo tornou-se um ambiente propício à representação do próprio corpo por meio de fotografias, legendas e vídeos.

Como metodologia, recorremos à análise dos perfis de destaques femininos dentre os que partilham o estilo de vida fitness: GracyanneBarbosa, Camila Guper e Adriana Miranda e, como contraponto, analisamos os perfis de Mirian Bottan e Daiana Garbin, que fazem uma crítica a esse ‘ideal de corpo’.

A escolha dos perfis resultou do reconhecimento dessas mulheres dentro do mundo fitness, sejam endossando ou criticando as rotinas e os objetivos de construção de um tipo específico de corpo. O fitness pode ser interpretado como uma cultura – ou subcultura – na medida em que une pessoas por meio de crenças e valores, sobretudo acerca do corpo e sua performatividade. A cultura fitnesstem como valor máximo o corpo com a musculatura definida e hipertrofiada, corpo modificado através de técnicas físicas, almejado tanto por homens, quanto por mulheres. Apesar de ter um número muito expressivo de seguidores e representar um mercado em ascensão, esse estilo de vida vem sendo criticado por novos e novíssimos movimentos sociais aliados direta ou indiretamente às críticas feministas.