Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
Transporte cicloviário em Cuiabá e Várzea Grande: aspectos da cultura e questões da comunicação
Maria Luiza Queiroz Brandão, Yuji Gushiken

Última alteração: 15-10-18

Resumo


Entre os diversos problemas observados nas cidades, o transporte urbano tem sido um dos mais importantes. No caso particular dos ciclistas há uma série de experiências e dificuldades para que se conclua o trajeto de forma segura, seja para trabalho ou estudo. Faltam vias seguras, tais como ciclovias e ciclofaixas, e quando existem, deixam a desejar. E não somente em termos técnicos e construtivos, mas no que se refere ao seu uso, promoção e alcance social. Outros meios de transporte não motorizados, como skates, patins, patinetes etc., também são utilizados nas ciclovias, e, em alguns casos, podem ser compartilhados com pedestres, ampliando o seu uso. Um grande problema é que as ciclovias nem sempre são construídas com qualidade e de forma integrada entre si e com os demais tipos de transporte. Muitas vezes são desconectadas das áreas de consumo, trabalho, educação, lazer e bens de serviços. Na Grande Cuiabá, local desta pesquisa, a cultura da bicicleta ainda resiste historicamente. No entanto, na entrada do século XXI, ela reaparece com novas tecnologias, diversificada e com vista para a sustentabilidade, economia, senso de liberdade e de praticidade. A bicicleta foi por vezes desprezada no passado, mas agora deixa de ser vista como brinquedo e torna-se uma realidade irreversível nas cidades, como apontam vários pesquisadores. Uma das questões é pontuar em que medida a implantação das ciclovias tem significado um avanço para a prática de andar de bicicleta em Cuiabá e assim contribuído para a transformação cultural relacionada esta modalidade de transporte. O objetivo geral é descrever as ciclovias existentes na Grande Cuiabá, detalhando suas características, verificando sua forma de uso e sua influência cultural, bem como avaliar a contribuição da comunicação social no processo das mudanças quanto ao pensar a cidade. Os objetivos específicos são: (a) buscar aspectos históricos e socioculturais relativos as várias ciclovias; (b) identificar os atores sociais que movimentam a política de desejo das ciclovias e suas representações; (c) identificar os discursos dos órgãos de transportes urbano e engenharia de trânsito e a quem compete. Os procedimentos teórico-metodológicos incluem revisão da literatura, coleta de informações, pesquisa documental, mapeamentos, registros fotográficos, verbal e observação de campo, além de entrevistas. Espera-se que a descrição e o levantamento detalhado das informações possam mostrar como a malha cicloviária da cidade tem sido usada, para trabalho, estudo, lazer, turismo, etc. e como é vista pelos diferentes atores quanto ao pensar a cidade, seus espaços, suas contradições e narrativas. Este estudo é desenvolvido na Linha de Pesquisa - Comunicação e Mediações Culturais no Grupo de Pesquisa em Comunicação e Cidade (Citicom-UFMT) pelo Programa de Pós-Graduação em Estudos de Cultura Contemporânea pela Faculdade de Comunicação e Artes da Universidade Federal de Mato Grosso (PPGECCO-FCA-UFMT).


Palavras-chave


comunicação, cultura, ciclovias, cidades.