Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
CORRÊNCIA DE GENES DE RESISTÊNCIA AOS ANTIBIÓTICOS EM CEPAS DE Listeria monocytogenes ISOLADAS DE PRODUTOS DE ORIGEM ANIMAL NO ESTADO DE MATO GROSSO
Jaqueline Oliveira Reis

Última alteração: 24-10-18

Resumo


O gênero Listeria engloba seis diferentes espécies bacterianas, e dentre elas somente a Listeria monocytogenes tem sido considerada patogênica para humanos e animais. A infecção por Listeria monocytogenes (listeriose) é considerada uma patologia grave, e está relacionada frequentemente com o consumo de produtos de origem animal contaminados pelo microrganismo. Isso tem ocorrido pelo fato desse microrganismo ser amplamente distribuído no ambiente natural como solo, água e fezes de animais, o que propicia a contaminação das carcaças em algum momento do processo produtivo. Além disso, a Listeria monocytogenes tem a habilidade de se desenvolver tanto em baixas como em altas temperaturas (-0,4 a 45ºC), sobrevivendo também por longos períodos em alimentos congelados, o que favorece sua persistência nos ambientes de processamento da carne. Um fato preocupante é que na medida em que os antibióticos usuais vão sendo utilizados, cepas cada vez mais resistentes vão sendo isoladas, fato esse considerado preocupante e que representa um problema de saúde pública. Por esse motivo o presente estudo será dirigido com o objetivo de verificar a ocorrência de genes que codificam resistência aos antimicrobianos em cepas de Listeria monocytogenes, identificadas em carnes de bovinos e aves encontradas em dois estudos que foram realizados em frigoríficos no estado de Mato Grosso. De um total de 50 amostras de carne bovina produzidas por 13 diferentes matadouros frigoríficos, e 100 amostras de carne de frango de um único abatedouro, foram isoladas 6 cepas de Listeria monocytogenes em carne bovina e 37 cepas em carne de frango. Esses 43 isolados comporão o banco amostral a ser analisado no presente estudo. Para avaliar o perfil dos genes de resistência dos isolados a agentes antimicrobianos utilizados no tratamento de listeriose, será empregada a técnica de PCR multiplex , que consistirá na extração do DNA bacteriano com auxílio de kits de extração e incubação do DNA extraído junto a primers dos genes de resistência aos antibióticos: ampicilina, emipenem, gentamicina, tetraciclina, ciproflaxacina, eroflaxacina, , ácido nalidíxico, sulfonamidas, clorefenicol, forfenicol, nitrofurantaína, eritromicina, azitromicina, rifampicinas, trimetropim, sulfadiazina. Com esses resultados espera-se traçar um perfil dos genes de resistência das cepas de Listeria monocytogenes isoladas em carne de frango e carne bovina, gerando dados que sirvam de base ao desenvolvimento de políticas públicas voltadas ao melhor controle do microrganismo e que permitam traçar estratégias mais específicas para o tratamento da listeriose de origem alimentar em humanos.



Palavras-chave


Listeria monocytogenes; resistência antimicrobiana; carne bovina; carne de frango

Referências


MANTILLA. et al. Resistência antimicrobiana de bactérias do gênero Listeria spp. isoladas de carne moída bovina. Universidade Federal Fluminense, Niterói-RJ, 2008.

 

TEIXEIRA. L.A.C. Listeria monocytogenes em carne bovina produzida em Mato Grosso, Brasil: ocorrência, caracterização genotípica e perfil de resistência a antibióticos e sanitizantes. Univesidade federal de Mato grosso, Cuiabá-MT, 2018.

 

CARVALHO. T,F. caracterização fenotípica e genotípica de Listeria monocytogenes presente no processamento da carne de frango. Universidade federal de Mato Grosso. Cuiabá-Mt,2018.