Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
FORMAÇÃO CONTINUADA: NARRATIVAS DE FORMADORES DE PROFESSORES DOS CEFAPROS DE MATO GROSSO SOBRE POLÍTICAS E PRÁTICAS FORMATIVAS
Rosimeire Dias Camargo

Última alteração: 14-10-18

Resumo


O estudo em andamento vincula-se à linha de pesquisa Organização Escolar, Formação e Práticas Pedagógicas. O tema em pauta se insere no contexto de discussões sobre formação de professores, com recorte para a formação continuada e, mais especificamente sobre a formação e atuação dos formadores de professores. A questão de pesquisa “Que concepções de formação e práticas formativas perpassam os documentos oficiais utilizados na formação continuada desenvolvida pelos formadores do CEFAPRO e de que forma esse formador de professores ressignifica essa concepção na sua atuação profissional”, sinaliza para uma investigação em que objetivo compreender como as instituições responsáveis pela formação continuada legitimam a formação de professores através dos documentos oficiais de política e de seus arranjos curriculares e como os formadores de professores experienciam e narram suas práticas formativas na sua atuação profissional. Considerando o objetivo que aponta o caminho metodológico, delineamos as ações a serem desenvolvidas a fim de compreendermos a paisagem do contexto investigado, quais sejam; Identificar nos documentos de Políticas de Formação Continuada da SEDUC/MT, que concepção de formação está expressa para subsidiar a formação continuada de professores da rede pública de ensino; Conhecer como os formadores de professores que atuam nos Cefapros experienciam suas práticas formativas e quais desafios encontram na materialização do currículo. Desse modo, o estudo teórico que se encontra em fase inicial de desenvolvimento adota como abordagem teórico-metodológica os pressupostos da pesquisa narrativa. A pesquisa narrativa compreendida como um estudo das experiências vividas pelos sujeitos permite ao pesquisador participar deste movimento de reviver e recontar suas histórias de forma colaborativa com os participantes. Na pesquisa narrativa há uma variedade de textos de campo que podem ser empregados e entrelaçados pelo pesquisador. Os autores Clandinin e Connelly (2015) esclarecem que a denominação textos de campo em substituição ao termo “dados”, mais utilizado nas pesquisas formalistas, se deve ao fato de que estes são criados e não encontrados ou revelados pelo pesquisador e colaboradores. Neste sentido, afirmam os autores, “as histórias sendo vividas e contadas – dão forma à natureza dos textos de campo, assim como os tipos de textos de campo que podem ser compostos (p.133)”. Sendo assim, a fim de construir um arcabouço teórico consistente e coerente com a realidade em questão, os materiais de pesquisa serão compostos por diferentes tipos de registros: notas de campo, entrevista narrativa, conversas face a face, escritas narrativas das trajetórias pessoais e profissionais contemplando as experiências formativas, Ao adotar como abordagem teórica a pesquisa narrativa, me apoiarei nos pressupostos teóricos de Clandinin; Connelly (2015), Souza (2007; 2006), Nóvoa e Finger (2010), Dewey (2011) dentre outros pesquisadores desta linha teórica, bem como os estudiosos que discutem os pressupostos teóricos da formação continuada, entendida como uma das dimensões do processo formativo dos professores numa perspectiva de desenvolvimento profissional, este compreendido como um processo que abarca sentidos de evolução e continuidade e, por fim a aprendizagem da docência que, segundo Mizukami (2006), se dá a partir dos diferentes conhecimentos que o professor vai construindo e ressignificando na complexa tarefa de ensinar.


Palavras-chave


Professor Formador; Desenvolvimento profissional;Pesquisa Narrativa.

Referências


 

BITENCOURT, Loriege Pessoa. Aprendizagem da docência do professor formador de professores matemáticos. Cuitiba, CRV, 2017.

CLANDININ D. Jean; CONNELLY, F. Michael. Pesquisa Narrativa: a experiência e história em pesquisa qualitativa. Tradução: Grupo de pesquisa Narrativa e Educação de Professores – ILEEL/UFU, 2ª. Edição rev. Uberlândia: EDUFU, 2015.

DAY. Christopher. Desenvolvimento profissional de professores: os desafios da aprendizagem permanente. Porto-Portugal. Porto Editora, 2001.

DEWEY, J. – Experiência e educação (tradução de Renata Gaspar). 2.ed -  Petrópolis, RJ: Vozes, 2011.

GATTI, Bernardete Angelina (ettall), Políticas docentes no Brasil: um estado da arte / Bernardete Angelina Gatti, Elba Siqueira de Sá Barretto e Marli Eliza Dalmazo de Afonso André. – Brasília: UNESCO, 2011.

_______ Bernardete Angelina.  BARRETO, Elba Siqueira de Sá.  Professores do Brasil: impasses e desafios – Brasília: UNESCO,2009.

 

________ Bernardete Angelina.  Os professores e suas identidades: o desvelamento da heterogeneidade. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 98, p. 85-90, agosto,1996.

 

IMBERNÓN, Francisco. Formação docente e profissional: formar-se para a mudança e a incerteza. 9ª. Edição. São Paulo: Cortez, 2011.

 

__________, Francisco. Formação continuada de professores. Porto Alegre: Artmed, 2010.

 

MARCELO GARCIA, Carlos. A identidade docente: constante e desafios. In: Revista brasileira sobre formação docente. Belo Horizonte, v. 01, p. 109-131, ago./dez. 2009.

 

_________________, Carlos. O professor iniciante, a prática pedagógica e o sentido da experiência. Revista Formação Docente. Belo Horizonte, v. 02, n. 03, p. 11-49, ago./dez. 2010. Disponível em http://formacaodocente.autenticaeditora.com.br.

 

MARIANI, Fábio. Os processos formativos de licenciandos em física do IFMT: narrativas sobre o ser professor e ação de ensinar. 234 f. (Doutorado em Educação). Instituto de Educação. Programa de Pós Graduação em Educação. Universidade Federal de Mato Grosso. Cuiabá-MT, 2016.

MATO GROSSO, IOMAT. Portaria nº. 161/2016/GS/SEDUC-MT. MATO GROSSO, 2016. (14/04/2016).

MIZUKAMI, Maria da G. N. – Aprendizagem da docência: professores formadores. Revista E-Curriculum, São Paulo, v. 1, n. 1, dez. – jul. 2005-2006. http://www.pucsp.br/ecurriculum

MIZUKAMI, Maria da G. N. et all Escola e aprendizagem da docência: processos de investigação e formação. São Carlos: EdFUSCAR, 2002.

MONTEIRO, Filomena Maria de Arruda. NACARATO, Adair Mendes.  FONTOURA, Helena Amaral da (orgs). Narrativas docentes, memória e formação. Coleção Pesquisa (Auto) biográfica: conhecimentos, experiências e sentidos. Curitiba, CRV, 2016.

 

MONTEIRO, Filomena Maria de Arruda. CANEN Ana. Ressignificando práticas de ensino e de formação docente: Contribuições de narrativas, diálogos e conferências. Revista de Educação Pública. Cuiabá, v. 23, n. 53/2, p. 637-654, maio/ago. 2014.

 

MONTEIRO, Filomena Maria de Arruda et all. Trabalho docente na educação básica: contribuições formativas e investigativas em diferentes contextos.Cuiabá:EdUFMT,  2007

MUYLAERT, Camila Junqueira, et all. Entrevistas narrativas: um importante recurso em pesquisa qualitativa. RevEscEnferm USP2014; 48(Esp2):193-199www.ee.usp.br/reeusp.

 

NOBILE, Michelle Graziela de Oliveira. A política de formação continuada dos professores do Ensino Médio de uma escola estadual do Município de Diamantino/MT. 2014. 168 p. Dissertação (Mestrado) – Instituto de Educação, Universidade Federal de Mato Grosso,2014.

NÓVOA, António. Imagens do futuro presente. Lisboa: Educa, 2009.

NÓVOA, António (org). Vida de professores. 2ª edição. Porto-Portugal: Porto Editora, 2007.

NÓVOA, António. Profissão Professor (Org.), HAMELINE, D. SACRISTÁN, J.G. ESTEVE, J.M. WOODS, P. CAVACO, M.H. Porto: Porto Editora, 1995.

OLIVEIRA-FORMOSINHO, Júlia. Desenvolvimento profissional dos professores. In: FORMOSINHO, João. Formação de professores: aprendizagem profissional e acção docente. Coleção Currículo, políticas e Prática. Porto-Portugal. Porto Editora, 2009. p. 221/284.

RODRIGUES, Alessandra. Narrativas digitais, autoria e currículo na formação mediada pelas tecnologias: uma narrativa-tese. Tese – PUC-São Paulo, 2017.

SILVA, Adelmo Carvalho. CARVALHO, Ademar de Lima. CARDOSO, Cancionila Janzkovski. Formação docente e Práticas Educativas na escola. Cuiabá, EdUFMT, 2015.

SOUZA, Elizeu Clementino de. (Auto) biografias, histórias de vida e práticas de formação In: NASCIMENTO. AD.,and HETKOWSKI, TM., orgs. Memória e formação de professores [online]. Salvador: EDUFBA, 2007. 310 p. ISBN 978-85-232-0484-6.Available from SciELO Books.http://books.scielo.org.

SOUZA, Elizeu Clementino de. O conhecimento de si: estágio e narrativas de formação de professores. Rio de Janeiro: DP&A: Salvador, Bahia: UNEB, 2006.

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis, RJ: Vozes, 2002.