Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
Identidade Profissional: Narrativa de um grupo de Professoras Alfabetizadoras da Rede Municipal de Várzea Grande/MT
Rosilene Paula Silva, Filomena Maria de Arruda Monteiro

Última alteração: 14-10-18

Resumo


Esta pesquisa está vinculada ao Programa de Pós Graduação em Educação da Universidade Federal de Mato Grosso, ligada ao Grupo de Estudos e Pesquisas em Política e Formação Docente – GEPForDoc e tem como objetivo compreender, a partir das narrativas, como as professoras alfabetizadoras vêm (re)significando suas práticas cotidianas e suas experiências no processo de constituição da própria identidade. Assim, apontam Garcia, Hypolito e Vieira (2005) que a identidade docente é negociada entre múltiplas representações, de forma significativa as estabelecidas pelo discurso educacional oficial, através de definições da organização dos sistemas escolares, traçando objetivos e metas do trabalho de ensino e dos docentes, fala ainda da maneira pelos quais são vistos e falados, determinando uma ética e uma relação com eles mesmos, que constituem com a experiência que venham ter de si próprios. Ao narrar sua trajetória, cada professora terá a oportunidade de relembrar e refletir sobre o desenvolvimento do seu trabalho, os sentidos das experiências, além de poder lançar um olhar  sobre o processo de formação da sua identidade profissional como alfabetizadora. Será interessante também conhecermos como as mudanças no sistema educacional, as condições de trabalho, as diferentes funções desempenhadas na profissão, assim como sua história familiar e pessoal contribuíram na constituição do ‘Eu professora’. Trata-se de uma pesquisa qualitativa que abordará os pressupostos teóricos da pesquisa narrativa como método, de acordo com os autores Clandinin e Connelly (2011). O trabalho será desenvolvido em uma escola da Rede Municipal de Várzea Grande/MT, tendo a colaboração de 04 professoras alfabetizadoras. Ele consistirá de três momentos: O primeiro se dará através de conversas, que buscará estabelecer uma situação de confiança mútua, de escuta da experiência descrita pelas professoras colaboradoras. Durante as conversas será gravado a fala da professora com a pesquisadora, de maneira que permita apontar aspectos referentes às experiências vivenciadas ao longo dos anos de profissão. Faremos também uma composição de notas de campo em que registrará detalhes que completam as histórias contadas pelas professoras alfabetizadoras. No segundo momento passaremos a produção escrita da narrativa sobre sua trajetória, realizadas pelas professoras alfabetizadoras, retratando os diversos sentimentos adquiridos no contexto de uma constituição e (re)significações profissionais, buscando ter como foco as experiências e a sua trajetória na construção de sua identidade profissional. Por último, no terceiro momento, realizaremos uma entrevista narrativa compondo, desta maneira, junto com a narrativa do pesquisador o texto de pesquisa.  Nesta perspectiva, o texto de pesquisa será composto com pessoas, lugares e coisas, em movimento contínuo. Passamos a considerar a narrativa como processo de interação com o outro em que o sentido dado à experiência vivenciada, narrada pelas professoras participantes, permitirá ao pesquisador narrativo fazer parte desse processo com movimento formativo/investigativo, gerando aprendizagem e (re)significação na construção da identidade docente.


Palavras-chave


Identidade profissional. Narrativas docentes. Experiências de professoras alfabetizadoras

Referências


CLANDININ, D.J; CONNELLY, F M. Pesquisa narrativa: experiências e história na pesquisa qualitativa / D. Jean Clandinin, F. Michael Connelly; tradução: Grupo de Pesquisa Narrativa e Educação de Professores ILEEL/UFU. – Uberlândia: EDUFU, 2011

HYPOLITO, A. M.; GARCIA, M. M. A.; VIEIRA, J. S. As identidades docentes como fabricação da docência. Educação e Pesquisa, São Paulo, v.31, n.1, p. 45-56, jan./abr. 2005.