Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
AS CIDADES DO AGRONEGÓCIO: UM NOVO MODELO DE URBANIZAÇÃO E OS CONFLITOS TERRITORIAIS
LUZIRENE RODRIGUES DE MATOS TEIXEIRA

Última alteração: 31-10-18

Resumo


Ao longo da história de formação do nosso país a população brasileira cresceu significativamente, e neste processo, a urbanização foi responsável por uma nova configuração na organização sócioespacial, principalmente quando se ampliam as divisões econômicas e produtivas do espaço urbano e rural do país. A cultura da soja se expandiu, seguindo eixos rodoviários, procurando ocupar gradativamente áreas de planalto. É plenamente possível tomar como ponto de partida, que a moderna lavoura tecnificada se instalou em alguns locais, tendo em vista a existência de ambientes praticamente virgens até a chegada da agricultura, como ocorreu em Primavera do Leste - MT. A proposta investigativa desta pesquisa, tomará como marco temporal a difusão do agronegócio na região Centro Oeste, principalmente nas décadas de 1970/80, por se tratar do período quando se desencadearam as grandes transformações no interior do estado de Mato Grosso, dando origem ao município de Primavera do Leste, nos limites do qual se localiza a região de Nova Poxoréo, recorte espacial da pesquisa. A lógica adotada para a abordagem, utiliza como método o materialismo histórico dialético, garantindo a objetivação do conhecimento científico e a sua produção. O método considera as formas de produção econômicas, como fatores determinantes do desenvolvimento histórico social, inteiramente interligado às forças produtivas. Uma vez que a pesquisa se encontra em sua fase inicial ressalta a etapa do levantamento bibliográfico, cujos aportes teóricos, históricos e metodológicos tem norteado a pesquisa na busca pela compreensão da realidade que virá a contribuir no processo de construção do estudo. Uma primeira pesquisa de campo – exploratória – permitiu a formulação de questionamentos e hipóteses aumentando a familiaridade com o ambiente e subsidiando a realização de uma futura pesquisa, que poderá modificar e/ou clarificar conceitos. Neste sentido, Primavera do Leste destaca-se com a criação do município representando diretamente o modelo das cidades denominadas do agronegócio, cujo padrão de estrutura urbana é característico das zonas agrícolas de capital intensivo, onde a “falta” de planejamento urbano e de uma política econômica menos concentradora, refletem uma série de conflitos territoriais, problemas sociais e ambientais, resultando na divisão de duas classes distintas, uma com o controle dos meios de produção e a outra, apenas dona da sua força de trabalho. A população trabalhadora não dispondo do capital para se estabelecer em uma área com alto valor agregado, sofre com o fenômeno da segregação espacial que exclui os mais pobres das políticas públicas e das práticas do mundo formal do trabalho, restando a busca por lugares que possam lhes oferecer melhores condições de vida, comumente em áreas periféricas, de pouco interesse do capital financeiro e setores imobiliários.

Palavras-chave


Urbanização, Agronegócio, Conflitos territoriais, Segregação socioespacial.