Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
ALTERAÇÕES NOS ATRIBUTOS DE UM LATOSSOLO SOB DIFERENTES DOSES DE DSL
Rayza Trindade Silva

Última alteração: 23-10-18

Resumo


O aumento da demanda mundial alimentos tem como consequência o aumento das atividades agroindústrias e consequente a geração de resíduos o que requer soluções quanto à sua destinação. Dentre essas atividades agroindustriais está a suinocultura que tem a região Sul e Centro Oeste do Brasil.

Assim, o grande volume de dejetos produzidos além do alto potencial poluidor e carga orgânica aplicados sistematicamente também adiciona nutrientes essenciais às plantas como: N, P, K, Ca, Mg, S, Cu, Fe, Mn e Zn e Na. As aplicações sucessivas desse resíduo com alta concentração de sais (Ca, Mg, K, Na) mesmo em um Latossolo pode causar a dispersão das argilas e como consequência alguns impactos negativos, provavelmente, ocorrerem por exemplo, a diminuição da estabilidade dos agregados, o selamento superficial, e perda de solo por erosão, além da alteração eletroquímicas que tem relação direta com o estado de dispersão e floculação das partículas do solo. Diante disso, objetivou-se neste trabalho avaliar as prováveis alterações nos atributos físicos, químicos eletroquímicos de um Latossolo em função da aplicação de doses de DLS como efeito do impactos dos sais presentes nos dejetos de suínos.

O presente trabalho foi constituído por um experimento cujo solo foi incubado com DLS realizados no Laboratório de solo da Universidade Federal de Mato Grosso, Campus Cuiabá. O solo foi coletado no município de Campo Verde, MT (15 22 43, 13 S 50 09 31, 33 W). O experimento foi composto por seis doses de DLS (0, 50, 150, 450 e 600 m³).

O solo de incubação após 30 dias foi seco em estufa de ar forçado a 60 °C, e posteriormente realizou-se analises dos atributos físicos (argila total em água, índice de floculação, relação de adsorção de sódio condutividade elétrica, dispersibilidade química) e químico (matéria orgânica do solo e carbono total) e eletroquímico (ponto de efeito salino nulo).

Os dados resultantes das determinações físicas, químicas e mineralógicas de ambos os experimentos foram submetidos a analise estatísticas de regressão e correlação.

De acordo com os dados obtidos de CTC, MO e relação de adsorção de sódio se correlacionaram significativamente com as doses aplicadas, confirmando o incremento de nutrientes ao solo pela adição de Dejeto líquido de suíno. Para a dispersibilidade da argila em água houve diferença entre as doses, no entanto, não se pode afirmar que maiores doses seriam responsáveis por maior dispersibilidade, pois a relação não é explicada por modelo matemático, mas pela interação dos diversos fatores estudados. Podemos concluir com isso que doses crescentes de DLS não ocasiona maior grau de dispersão da fração argila do solo.


Palavras-chave


Dejeto líquido de suíno; dispersão de argila; sais no solo.