Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
Distribuição de conhecimento científico via redes sociais: Reflexões e desafios.
Leonardo Afonso Roberto, Giordanna Laura Da Silva Santos

Última alteração: 30-10-18

Resumo


A pesquisa em questão procura versar sobre a distribuição e a adaptação do conhecimento científico, produzido dentro das universidades, para redes sociais, nesse caso, o Facebook. O objeto a ser estudado é a experiência de compartilhamento do "Programa de Índio", produzido pela TV Universitária da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), em 1996, fragmentado e compartilhado na página do TecnoIndia entre julho e dezembro de 2017. Pertencente ao departamento de Arquitetura da Universidade, o Núcleo de Estudos em Tecnologia Indígena foi criado em 2007, a partir de pesquisa para o Ministério da Saúde sobre a construção de unidades de saúde para povos indígenas, no qual propôs-se um diálogo entre a arquitetura empregada nas construções indígenas e a arquitetura contemporânea. O TecnoÍndia tem uma produção de livros, artigos, apresentações em congressos nacionais e internacionais, cursos e obras de arquitetura em contexto urbano.

Na condição de gerenciador de conteúdo da página, procurei trazer retratos da produção do núcleo, bem como temas relacionados, que se encaixam ao Programa de Índio, indo além dos campos da arquitetura e urbanismo. Ao longo do período que interessa a pesquisa, houve 19 publicações com trechos do programa, atingindo, segundo as métricas disponibilizadas pela plataforma de gerenciamento de dados da rede, 84.355 usuários, com 30.420 visualizações, além de comentários e compartilhamentos, números esses, que continuam a crescer. Os dados quantitativos podem ser trabalhados para ilustrar o potencial das redes sociais como vetores na difusão do conhecimento científico, um dos temas a serem abordados e figurando como um dos objetivos da pesquisa, dentre outros de igual relevância, como o papel das redes sociais na aproximação da sociedade civil da produção científica, os desafios para adaptação do conteúdo em narrativas transmidiáticas e reflexões sobre experiências exemplares. Para isso será necessário contextualizar o surgimento do Programa de Índio e do TecnoIndia, discorrendo também sobre a fundação da Universidade da Selva e seus propósitos de descentralização do conhecimento. A partir dessa base contextual, a análise será feita na conjunção de dados quantitativos e qualitativos.

Palavras-chave


Ciência, Educação, Facebook, Redes sociais