Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
TÉCNICA DE LAVAGEM DE PULVERIZADORES COSTAIS DE BAIXO VOLUME
CRISLANE REIS ALVES, DOMINGOS SÁVIO BARBOSA, ANALY CASTILHO POLIZEL, ABRAÃO SILVA PEREIRA

Última alteração: 26-10-18

Resumo


Em virtude da contaminação dos agrotóxicos ao meio ambiente e seus efeitos à saúde da população, e considerando que a lavagem de pulverizadores contribui para essa realidade, o objetivo do trabalho foi adaptar um método de lavagem para pulverizadores costais, a fim de reduzir o volume de água gasto para viabilizar a implantação de mecanismos de pequeno porte para o tratamento do efluente. O pulverizador utilizado no trabalho foi da marca Vonder com volume de 20 litros. Testou-se três volumes de água (1,0 L, 1,5 L e 5,0 L) e cinco lavagens consecutivas (1, 2, 3, 4 e 5). O procedimento em cada lavagem foi realizado introduzindo água da torneira no tanque com temperatura de aproximadamente 23ºC. Logo após, a bomba foi acionada através da alavanca, por duas vezes, até a pressão de aproximadamente 50 psi. A haste foi direcionada as paredes do tanque, fazendo uma limpeza sob pressão. Logo após foi realizada agitação manual do tanque. Foi retirada uma amostra de 50 mL. Para maior segurança, ao invés da utilização de agroquímicos, foi utilizado corante alimentício para a condução do trabalho. Utilizou-se espectrometria para a leitura das concentrações das amostras de corante. Com os dados, aplicou-se a análise de variância e observando o efeito significativo aplicou-se teste de Tukey, a 5% de probabilidade, utilizou-se Software Sisvar. Conclui-se que os volumes de 1 L e 1,5 L conseguiram higienizar o equipamento com cinco lavagens, já o volume de 5 L conseguiu com quatro lavagens.

 

 


Palavras-chave


Lavagem de pulverizadores costais, redução do volume de água, redução da concentração.