Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
LETRAMENTO(S) DO PROFESSOR DE LÍNGUA PORTUGUESA DO BRASIL: UMA ANÁLISE CRÍTICO-DIALÓGICA
Rute Almeida Silva

Última alteração: 18-10-18

Resumo


 

RESUMO: Este trabalho está vinculado ao Grupo de Estudos Linguísticos e de Letramento (GELL) – CNPq/UFMT e tem como objetivo traçar o perfil do letramento do professor de Língua Portuguesa do Brasil, por meio de uma análise crítico-dialógica. Para tanto, assumimos o aporte teórico de Bakhtin e o Círculo (1929; 1952-53; 1970-1971/1979; 1974/1979), que tratam do dialogismo, e de Vygotsky (1930; 1934), acerca do sociointeracionismo. Recorremos igualmente aos pressupostos teóricos dos autores que discutem o Letramento Crítico: Freire (1987), The New London Group (1996, 2012), Cassany (2005) e Paes de Barros (2012, 2014), entre outros. A metodologia abordada é mista, em que partimos de um questionário fechado, elemento quantitativo, para uma análise mais qualitativa dos dados. O corpus da investigação está sendo constituído pelas respostas de professores de Língua Portuguesa de várias partes do Brasil a um questionário virtual, enviado por e-mail aos participantes. Tencionamos, com este trabalho conhecer e compreender as práticas de leitura e escrita dos professores e a influência (ou não) dessas práticas em sua atuação profissional em sala de aula. Este estudo poderá colaborar para as reflexões sobre as políticas públicas na área da formação inicial ou contínua dos docentes de Língua Portuguesa, além de colocar em pauta um tema tão importante como o letramento.


Palavras-chave


Letramento(s) do professor; Ensino-aprendizagem de leitura e escrita; Análise crítico-dialógica.

Referências


Referências Bibliográficas

 

BAKHTIN, M. (1920-1930/1979). Estética da criação verbal. Trad. Paulo Bezerra. 4.ed. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

_______ .([1974]). Metodologia das ciências humanas. In: (1920-1930/1979). Estética da criação verbal. Traduzido por Paulo Bezerra. 4.ed. São Paulo: Martins Fontes,1997.

 

BAKHTIN, M.; VOLOCHÍNOV, V. N. (1929). Marxismo e filosofia da linguagem. 13. ed. São Paulo: Hucitec, 2012.

 

BOGDAN, R.; BIKLEN, S. Investigação qualitativa em educação: Introdução à teoria e aos métodos. Portugal: Porto Editora, 1994.

 

CHARLOT, B. Da relação com o saber: elementos para uma teoria. Porto Alegre, Artmed, 2000.

 

CLANDININ, D. J.; CONNELLY, F. M. Pesquisa Narrativa: experiência e história em pesquisa qualitativa. Uberlândia: EDUFU, 2011.

 

DEMO, P. Pesquisa e Informação Qualitativa. Papirus, Campinas, 2001.

 

DINIZ-PEREIRA, J. E. Formação de professores, trabalho e saberes docentes. Trabalho & Educação. Belo Horizonte. v. 24, p. 143-152, set-dez, 2015.

 

DUARTE, T. A possibilidade da investigação a 3: reflexões sobre triangulação (metodológica). Cies e-working paper. Centro de Investigação e Estudos de Sociologia, 2009.

 

FREIRE. P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa.

São Paulo: Paz e Terra, 2003.

______. Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

 

GERALDI, J. W. (Org.). O texto na sala de aula. 4ª ed. São Paulo: Ática, 2006.

 

KLEIMAN, A. B; Preciso “ensinar” o letramento? Não basta ensinar a ler e

escrever? Cefiel/Unicamp & MEC, 2005.

 

LARROSA, J. Notas sobre a experiência e o saber de experiência. Rev. Bras.

Educ. [online]. n.19, pp.20-28. ISSN 1413-2478, 2002.

______. Experiência e Alteridade em Educação. Revista reflexão e ação. Santa

Cruz do Sul, v. 19, n. 2, p. 4-27, jul/dez 2011.

 

MARCELO GARCIA, C. Pesquisa sobre a formação de professores: o conhecimento sobre aprender a ensinar. Revista Brasileira de Educação, n. 09, p. 51-75, set./out./nov./dez. 1998.

______. Formação de professores: para uma mudança educativa. Porto: Porto Editora, 1999.

 

NÓVOA, A (org.). Professores: Imagens do futuro presente. EDUCA: Lisboa, 2009.

 

ROJO. R. A teoria dos gêneros discursivos do Círculo de Bakhtin e os multiletramentos. In: ROJO, R. H. R. (Org.) Escol@ conect@d@ - Multiletramentos e as TICs. São Paulo, SP: Parábola Editorial, 2013. p. 13-36.

 

SILVA, R. A.  GESTAR II: Desafio das práticas de escrita em material de formação continuada do professor de língua portuguesa. Dissertação de Mestrado apresentada ao Programa de Mestrado em Estudos de Linguagem do Instituto de Linguagens da Universidade Federal de Mato Grosso-UFMT. Cuiabá, 2011.

 

SERODIO, L. A. ; PRADO, G.V.T. Metodologia Narrativa de Pesquisa em Educação na Perspectiva do Gênero Discursivo Bakhtiniano. In: Prado, G. V. T.; Serodio, L. A.; Proença, H. H. D. M.; Rodrigues, N. C. (Org.). Metodologia Narrativa de Pesquisa em Educação: uma perspectiva bakhtiniana. 1ed.São Carlos: Pedro João Editores, 2015.

 

VYGOTSKY, L. S. (1930). A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. 7. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

______. (1934). Pensamento e linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 1984.