Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
A influência das paisagens montanhosas na gênese da Geografia Moderna
Aparecida Fátima Carvalho Soares Neta

Última alteração: 26-10-18

Resumo


Sabe se que a Geografia, ao estudar as relações entre a sociedade e a natureza, apresenta uma grande complexidade em termos de consolidação de um método único, sendo que os estudos referentes a natureza na Geografia costumeiramente trilham seu caminho metodológico via Ciências Naturais, enquanto os estudos da sociedade, seguem seu caminho metodológico via Ciências Humanas/Sociais. A análise conjunta ou integrada desses elementos sempre foi motivo de grandes esforços e disputas.  Sendo assim, no intuito de compreender melhor o complexo objeto de estudo da Geografia, buscaremos aprofundar nossos estudos sobre a gênese da Geografia Moderna, ou seja, a analise estará voltada para a base da ciência geográfica, para seu constructo filosófico, para seus elementos e questões primordiais. Entende-se que esta reflexão permitirá a apresentação de novas nuances estruturais sobre a história do pensamento geográfico, podendo, portanto, colaborar para um maior entendimento dos caminhos e rupturas epistemológicas da Geografia ao longo de sua história. Assim, como parte essencial para o desenvolvimento da pesquisa, se faz essencial o exercício hermenêutico como parte essencial para a compreensão do sentido de montanha e paisagens montanhosas, desde os mitos gregos, e evidenciando história da sociedade europeia ocidental, permitindo uma reanálise dos princípios filosóficos e científicos que agregaram aos elementos teóricos e metodológicos sua profundidade necessária, para além de um movimento de redução na ciência. Logo, compreendemos a montanha e sua gênese a partir de conceitos científicos referentes a dinâmica natural do Sistema Terra, porém, o alcance desse aprendizado foi marcado por várias etapas. Nesse sentido, indagar os princípios que remeteram a montanha despertar o fascínio ao olhar humano, implica em desvendar em como seu conhecimento nos remete no tempo histórico à uma série de momentos científicos e filosóficos não necessariamente lineares, e que foram responsáveis por formas distintas de percepção e análise. Hora a cognição da montanha esteve marcada por preceitos religiosos, hora teve como base a perspectiva estética, hora foi abordada através de uma perspectiva mecanicista de causa e efeito, ou até mesmo através de uma concepção de correlação entre as abordagens. Considerando estas variações, o estudo está organizado de um modo original para a compreensão da história da Terra, tanto em termos de estrutura, como em termos de organização dos elementos que compõe a superfície terrestre (físicos, biológicos, sociais, econômicos e culturais).

Palavras-chave


Paisagens Montanhosas; Geografia Moderna, Gênese