Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
“Aquele prédio branco”: Traduções e interpretações acerca da política de gestão do IFMT Campus Rondonópolis
Christiane Camilo Pires

Última alteração: 20-10-18

Resumo


Presente em todo território nacional, a Rede Federal inclui instituições que oferecem educação profissional e tecnológica nos diversos níveis, abarcando os Institutos Federais, os Centros Federais de Educação Tecnológica (CEFET’s), escolas vinculadas a Universidades Federais, o Colégio Pedro II e uma Universidade Federal Tecnológica. Instituída pelo governo federal, através da Lei nº 11.892/2008, porém, sua gênese remonta mais de cem anos atrás com a criação das Escolas de Aprendizes Artífices em 1909, como política de educação profissional e tecnológica visa a formação e a qualificação dos cidadãos para sua atuação profissional nos diversos setores da economia, com vistas ao desenvolvimento socioeconômico local, regional e nacional. Desse modo, criado a partir da integração da Escola Agrotécnica Federal de Cáceres e dos CEFET’s de Cuiabá e Mato Grosso, integra essa Rede o Instituto Federal de Educação de Mato Grosso (IFMT), que em Rondonópolis desde 2011, “aquele prédio branco” como alguns costumam se referir, tem atuado para atender as demandas socioeconômicas locais e da região sul do estado de Mato Grosso. Como parte de uma política nacional de educação, compreende um contexto histórico-político que o precede e o constitui e carrega em si um papel social a cumprir, portanto, problematizar esta realidade contribui para sua melhor compreensão. Assim, tendo definido o recorte da pesquisa para o estudo da política de gestão, no âmbito do IFMT, se apresenta como objeto principal de análise o Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) como instrumento norteador do trabalho pedagógico e institucional, no qual encontramos definidos objetivos, finalidades, estratégias, metas e plano de melhorias, além dos princípios e diretrizes do processo educacional. Posto isto, compreendendo que as políticas públicas educacionais sofrem modificações estando sujeitas a traduções e (re)interpretações, portanto, se faz necessário analisar as diferentes vozes que constituem o processo de construção da política, englobando a produção dos discursos da política e as interpretações que os sujeitos fazem na tentativa de associar seus textos com a prática, buscamos com esta pesquisa compreender qual a interpretação e tradução que os profissionais que atuam no IFMT/Campus Rondonópolis apresentam acerca da política de gestão da instituição presente em seu PDI. Delimitam-se estes profissionais aos servidores docentes e/ou técnicos administrativos educacionais que participaram de sua construção e, também aqueles que, atuam em sua execução. Estruturada numa abordagem qualitativa, recorresse como método na abordagem do Ciclo de Políticas proposto por Stephen Ball e Richard Bowe o qual se constitui como um importante instrumento para uma análise crítica da trajetória de políticas educacionais que, compreendendo a política como texto e como discurso, possibilita uma visão não linear e global oferecendo elementos para compreensão de todo percurso de sua formação, dos estágios iniciais à prática e os resultados, enfocando sua análise em três contextos inter-relacionais: contexto da influência, contexto da produção do texto e contexto da prática. Do ponto de vista operacional, definiu-se pela revisão bibliográfica, a análise documental e a entrevista semi-estruturada. Ressalta-se que a pesquisa encontra-se em andamento dispondo ainda de dados preliminares.

Palavras-chave


Políticas Públicas Educacionais; Gestão Educacional; PDI; IFMT