Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
Por uma poética do delírio: corpo ex-posto, narrativas de si e autoficção
Daniela Correa Leite, Maria Thereza de Oliveira Azevedo

Última alteração: 25-10-18

Resumo


Esse estudo em poéticas contemporâneas é uma tentativa de perceber a tessitura entre o sujeito do conhecimento teórico e o sujeito da experiência artística, as quais se apresentam em permanente questionamento dentro da perspectiva transdisciplinar em artes da cena. Para isso, apresenta-se junto a uma experiência prático-teórica com dois experimentos cênicos realizados em Cuiabá: OraMortem (2015) e in-Próprio para Dinossauros (2017-8). Estes são tomados como exercícios de autoficção, de criação de mundos possíveis e, nesse caso, partir e junto a uma poética do delírio, da relação, da impureza. A partir desse recorte, busca uma aproximação metodológica processual com a cartografia sentimental desenvolvida por Suely Rolnik e seu trânsito entre teoria e prática. Tais procedimentos de criação apostam e se constroem num corpo-ex-posto, como indica Larossa, um corpo-partilha, algo como um desnudamento em cena e a relação de cumplicidade de si e do outro que trago em mim.


Palavras-chave


Corpo Ex-posto; Autoficção; Poéticas contemporâneas