Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
AS POLITICAS PÚBLICAS PARA FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES EM MATO GROSSO: A TEMÁTICA DAS RELAÇÕES RACIAIS COMO AÇÃO E REFLEXÃO
Luciano pereira da silva, Claudia Miranda

Última alteração: 17-10-18

Resumo


Este estudo, em andamento, tem como objetivo identificar as políticas públicas para formação de professores no Estado de Mato Grosso, com o olhar para as discussões das relações étnico-raciais nesses espaços sociais. Tal estudo, se faz necessário para pensarmos uma elaboração teórica e prática de uma pedagogia decolonial como forma de insurgência de populações historicamente marginalizadas que ainda sofrem as influências das marcas da violência colonial na construção mental, que abarca comportamentos, modos de produzir conhecimento, estética, religiosidade e subjetividade e o professor em alguns momentos em sua prática, tende a reproduzir esse currículo eurocêntrico. Em Mato Grosso, as escolas estaduais possuem uma proposta de formação continuada denominada por alguns anos como “Sala do Educador”, momento em que os professores e equipe gestora se reúnem semanalmente por um período de quatro horas para discutir e refletir sobre a realidade educacional no estado. Em 2017 houve mudança da denominação da proposta, passando a ser chamar como “Projeto de Formação Docente na Escola – PEFE” seguindo a mesma metodologia, havendo apenas alteração na nomenclatura. Quanto aos procedimentos metodológicos, trata-se de um estudo qualitativo, utilizando como método a pesquisa-ação. Os instrumentos de coleta de dados são a observação participante, entrevista semiestruturada, análise documental e oficinas didáticos pedagógicas. Os sujeitos de pesquisa que compõem este estudo são os professores, coordenação, equipe de formadores do CEFAPRO. Os principais aportes teóricos, que permeia essa discussão são Miranda (2015), Quijano (2005), Munanga (2012), Tardif (2000), entre outros. Espera-se que os resultados deste estudo contribuam para pensar/repensar as políticas públicas para as formações continuada nas escolas públicas do Estado de Mato Grosso, bem como avançar as discussões sobre as relações étnico-raciais nesses espaços.


Palavras-chave


Educação. Formação de professores. Étnico-raciais.

Referências


MUNANGA, Kabengele. Rediscutindo a Mestiçagem no Brasil: Identidade Nacional versus Identidade Negra. Belo Horizonte: Autêntica, 2004.

QUIJANO, Aníbal. Colonialidade do poder, Eurocentrismo e América Latina. In: A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais. Perspectivas latino-americanas. Buenos Aires: Consejo Latinoamericano de Ciencias Sociales (CLACSO), 2005. Disponível em: http://bibliotecavirtual.clacso.org.ar/clacso/sur-sur/20100624103322/12_Quijano.pdf

TARDIF, Maurice. Ambigüidade do Saber Docente nas Reformas Relativas à Formação Universitária para o Magistério. Texto Digitado, 2000.