Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, X Mostra da Pós-Graduação: Direitos Humanos, trabalho coletivo e redes de pesquisa na Pós Graduação

Tamanho da fonte: 
Inclusão de pimentas (Capsicum spp.) sobre a digestibilidade dos nutrientes na alimentação de ovinos
Suellem Fernanda Perosa Zanin, Luiz Juliano Valério Geron, Alexandre Lima de Souza

Última alteração: 23-10-18

Resumo


As pimentas do gênero Capsicum spp. tornam-se cada vez mais conhecidas como fonte de vários compostos importantes como vitaminas, compostos fenólicos, flavonoides e carotenoides além de vários outros compostos secundários. Em não ruminantes e humanos foi constatado que a capsaicina atua sobre as membranas mucosas, tanto bucais quanto gástricas, com o aumento da secreção que ela promove no estômago melhora a digestão e reduz gases, diarreias e cólica. Um dos fatores que se usa para avaliar um alimento é a sua digestibilidade, a digestibilidade do alimento representa a capacidade do animal em utilizar seus nutrientes, em maior ou menor escala, expressa pelo coeficiente de digestibilidade do nutriente em apreço, sendo uma característica do alimento, e não do animal. Avaliou-se a inclusão de níveis de 0%; 0,2%; 0,4% e 0,6% de pimenta do gênero Capsicum spp. na alimentação de ovinos sobre o coeficiente de digestibilidade dos nutrientes (MS, MO, PB, EE, FDN e FDA). Utilizou-se delineamento experimental em quadrado latino (4X4) com quatro ovinos e quatro períodos experimentais. Amostras de alimentos, sobras e fezes foram coletadas para posterior determinação da MS, DO, PB, EE, FDN e FDA. As variáveis ​​foram interpretadas através da análise de variância no programa SISVAR e as diferenças observadas para os níveis de inclusão de pimenta (Capsicum spp.) nas variáveis ​​estudadas foram determinadas por análise de regressão considerando-se 5% de significância. As doses de pimenta não afetam (P>0,05) os Coeficientes de Digestibilidade da MS, MO, EE, FDN e FDA, mas detectou-se efeito quadrático dos níveis de Pimenta sobre a digestibilidade da PB, sendo estimada a máxima digestão da PB de 77,27% na dose de 0,26% de pimenta".


Palavras-chave


Aditivo; alimento fitogênico; matéria seca; proteína bruta

Referências


AGUIAR, A. C.; Encapsulation of pepper oleoresin by supercritical fluid extractionof emulsions. The Journal of Supercritical Fluids. 112 37- 43, 2016.

 

GALLO, R. Alimentos poderosos e seus efeitos curativos, Revista Vida Natural & Equilíbrio Especial-Pimenta. ed. 7,2009,p.15-31.

 

SILVA, D.J.; QUEIROZ, A.C. Análise de alimentos: métodos químicos e biológicos. 3.ed. Viçosa, MG: Editora UFV, 2002. 235p.

 

VAN SOEST, P. J. Nutritional ecology of the ruminant. 2 ed. Ithaca: Cornell University Press, 1994. 476 p.

 

VAN SOEST, P. J.; ROBERTSON, J. B.; LEWIS, B. A. Methods for dietary fiber and nonstarch polysaccaridies in relation to animal nutrition. Journal Dairy Science, Ithaca, v. 74, n. 9, p. 3583-3597, 1991.