Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, VIII Mostra de Extensão

Tamanho da fonte: 
Equoterapia como intervenção com crianças com necessidades educacionais especiais: um estudo de caso
Naysi Angelica Oliveira, Lisiane Pereira Jesus, Cely Mariani Melo Onã

Última alteração: 27-09-17

Resumo


A equoterapia é um recurso terapêutico, que utiliza o cavalo como co-terapeuta, visando  promover o desenvolvimento de habilidades dentro das esferas física, psíquica e social, apresentando-se como uma ferramenta para se trabalhar as dificuldades encontradas na aprendizagem escolar. Deste modo, o Centro de Equoterapia da UFMT, oferece este serviço, gratuitamente, à comunidade e propõe-se, neste resumo, a exposição do trabalho realizado com um dos integrantes do projeto ao longo do ano de 2016. Este praticante apresentava 12 anos de idade, foi diagnosticado com transtorno do espectro autista, apresentava dificuldades de aprendizagem e de leitura, de acordo com avaliações de leitura que foram realizadas e relatórios encaminhados pela escola. Objetivando o desenvolvimento da leitura e de aspectos psicossociais, foram realizados vinte e três encontros, que se dividiram em um primeiro momento, no qual ocorria a sessão de equoterapia com duração de 30 minutos, e um segundo momento, no qual foram realizadas atividades pedagógicas com duração de 20 minutos. No que tange a dimensão da leitura, tanto os testes realizados quanto as observações indicaram um aprimoramento no domínio desta habilidade. Dentro da esfera psicossocial, o praticante apresentava uma conduta sociável e cordial na maior parte do tempo, porém, sempre que era contrariado, descontrolava-se e adotava comportamentos agressivos. Nos momentos em que foram realizados jogos, manifestava uma postura semelhante, expressando satisfação quando vencia e grande agressividade quando derrotado, buscando driblar as regras do jogo e atacar os outros jogadores física e verbalmente, para vencê-lo. No decorrer das sessões, foi-se observando uma diminuição nos episódios de descontrole e descontentamento frente as derrotas, demonstrando compreender a importância das regras dos jogos e quando contrariado, conseguia manter a calma e utilizar argumentos para conseguir explicações que justificassem a negação. Com isso foi possível observar o aprimoramento nas habilidades que objetivava-se desenvolver, especialmente o desenvolvimento da leitura, e reafirmam a eficácia das intervenções equoterápicas com este público.


Palavras-chave


Equoterapia; Educação especial; Transtorno do espectro autista

É necessário inscrever-se na conferência para visualizar os documentos.