Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, VIII Mostra de Extensão

Tamanho da fonte: 
ANJO DA GUARDA: PRESTAÇÃO DE SERVIÇO NA ÁREA DE ANESTESIOLOGIA A ANIMAIS DE PEQUENO PORTE DA GRANDE CUIABÁ E ESTADO DO MATO GROSSO VINCULADO AO PROGRAMA: HOSPITAL VETERINÁRIO –SERVIÇO DE EXTENSÃO VETERINÁRIA À COMUNIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO
Giulia Maria Dilda Campos, Maria Julia Alencar Figueiredo

Última alteração: 27-09-17

Resumo


A anestesia é a obtenção de um estado reversível de não reconhecimento do estímulo doloroso. Diferente do procedimento de sedação, que o animal apresenta estado de consciência e pode ser associado a analgésicos para controle da dor. A anestesia e sedações para procedimentos cirúrgicos e ambulatoriais são comumente realizados na rotina hospitalar. Alguns medicamentos usados na anestesiologia podem apresentar efeitos colaterais como depressão do sistema cardiovascular e respiratório, assim, o anestesiologista tem a responsabilidade de preparar o paciente para o procedimento, escolher os fármacos adequados e realizar a monitoração do pré, trans e pós-operatórias. Mas ainda assim, a autorização redigida pelo do tutor declarando-se ciente do procedimento e dos riscos envolvidos é obrigatória. No Hospital Veterinário (HOVET) da Universidade Federal de Mato Grosso, foram feitos, de maio a dezembro de 2016 e de maio a agosto de 2017, 1556 anestesias e 201 sedações. As anestesias são classificadas de acordo com o risco anestésico em conformidade com os padrões da Sociedade Americana de Anestesiologia (ASA). Assim, foram realizadas 1246 anestesias gerais inalatórias ASA I à ASA III e 63 anestesias ASA IV e V. Destes, os animais classificados como ASA IV e V apresentam maior risco de morte e necessitam de fármacos com menos efeitos colaterais como opióides, benzodiazepínicos, etomidato, isofluorano ou sevofluorano, além de ser imprescindível maior atenção do anestesiologista na monitoração anestésica. Foram feitas também, 107 anestesias intravenosas em pacientes ASA I, II e III. Sabe-se que a maior parte das anestesias para procedimentos cirúrgicos são inalatórias, associadas ou não a analgesias loco infiltrativas. Em procedimentos ambulatoriais é comum utilizar anestesia geral inalatória ou intravenosa e em sedações opta-se pela neuroleptoanalgesia. Atualmente, há uma maior preocupação com a qualidade e expectativa de vida desses pacientes. Neste sentido, os procedimentos cirúrgicos na área veterinária têm avançado desencadeando uma maior preocupação com o controle adequado da dor, tornando o procedimento anestésico ou sedação fundamental para o bem-estar do animal.

É necessário inscrever-se na conferência para visualizar os documentos.