Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, VIII Mostra de Extensão

Tamanho da fonte: 
A HOSPITALIZAÇÃO DE CRIANÇAS NAS ASAS DOS PASSARINHOS: NARRATIVAS E PROCESSOS DE SIGNIFICAÇÃO INFANTIL
MILENE GABRIELA WINCK, ELIZA MARIA MOREIRA FIGUEIREDO

Última alteração: 27-09-17

Resumo


O Grupo de Pesquisa em Psicologia da Infância - GPPIN- desenvolve, desde 2010, o projeto de extensão Rede de Apoio à Infância: interface com a Psicologia e Pedagogia que possui no seu escopo dois subprojetos dedicados ao contexto de enfermarias pediátricas, a saber:  Binje: em busca de autorias infantis no contexto hospitalar (Enfermaria Pediátrica do Hospital Universitário Júlio Müller - HUJM) e Papo de Passarim (Hospital e Pronto Socorro Municipal de Cuiabá - HPSMC). Os mesmos, inspirados no paradigma da humanização hospitalar, caracterizam-se pelo uso da narrativa como modalidade discursiva capaz de atuar na iminência do desenvolvimento infantil (PRESTES,2010) possibilitando, o processo de tomada de consciência e a atitude de autocuidado. Autorias infantis no contexto hospitalar, o diálogo intergeracional entre crianças, seus acompanhantes e equipe de saúde e o processo de significação da realidade são aspectos privilegiados. A proposta é desenvolvida, concomitantemente por acadêmicos extensionistas, que interpretam a personagem Dra. Ana Tsuru (crionçologista – criança onça), e consiste na realização de oficinas de contação de histórias, oficinas socioafetivas e sessões de jogos temáticos com o objetivo de ampliar o potencial narrativo das brinquedotecas hospitalar das instituições mencionadas, fomentando experiências lúdicas individuais e coletivas com crianças, com foco nas vivências associadas ao adoecimento, a hospitalização e  a adesão ao tratamento. As sessões de contação das narrativas Binje (FREIRE, 2013) e Papo de Passarim (FREIRE, 2016) são realizadas na brinquedoteca e nos leitos das enfermarias pediátricas, uma vez por semana. A maioria das ações envolve em média 20 crianças hospitalizadas e seus familiares atendendo, aproximadamente, 640 pessoas por ano.  Destaca-se a elaboração e confecção de três jogos temáticos especialmente desenvolvidos a partir das demandas observadas: Jogo do Binje (ênfase na adesão a dieta - diabete, síndrome nefrótica, lupus), Jogo dos poemas(ênfase na verbalização de conflitos relacionados à hospitalização) e Jogo do Zé quebra-quebra (adesão ao tratamento associados aos problemas ósseos-oesteomielite e fraturas). No âmbito da avaliação das ações realizadas pelo projeto de extensão processos investigativos tem sido desenvolvidos sobretudo na perspectiva da pesquisa por meio da qual são desenvolvidos estudos de caso com consequente socialização em eventos acadêmicos. Todas essas experiências têm comprovado que a narrativa atua como ferramenta psicológica auxiliando a criança na compreensão da realidade hospitalar, promovendo a relação do adulto com a criança em uma perspectiva mais horizontalizada.


Palavras-chave


Crianças hospitalizadas. Narrativas. Mediação. Significação.

É necessário inscrever-se na conferência para visualizar os documentos.