Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, VIII Mostra de Extensão

Tamanho da fonte: 
Apoio a iniciativas de Arte, Cultura e a Exposição Santos Dumont na Coleção Brasiliana Itaú
Giulia Medeiros, Larrisa Pauli Dias, Wennder Tharso Martins

Última alteração: 27-09-17

Resumo


Em meio à uma cidade de tamanha efervescência cultural como Cuiabá, não nos parece natural a existência de poucos equipamentos de cultura ou patrimônios culturais que estejam com o livre acesso para a população cuiabana. Esta, como Capital do Mato Grosso, não tem tantos atrativos turísticos quanto o resto do estado, muitas vezes servindo apenas de passagem a caminho de outros lugares. Na experiência vivida durante a exposição sobre a vida de Santos Dumont, organizada pelo Itaú Cultural com curadoria da Luciana Garbin, com apoio da Universidade Federal de Mato Grosso através do projeto de extensão (PROCEV cultura, esporte e vivência) tivemos a oportunidade de perceber a importância dessa ferramenta para a formação histórica e social das pessoas que aqui vivem. O capital cultural é algo que se constrói a partir do hábito de frequentar museus, apreciar obras de arte e poder transcender olhares superficiais sobre os fenômenos da vida. Assim, criar maiores estímulos culturais para a sociedade cuiabana é muito importante para gerar esse vínculo com o turismo, proporcionando uma maior campanha para a dedicação ao turismo com a cidade. A arte cumpre portanto, um papel imprescindível para a consolidação de um público crítico que compreenda sua relação com a sociedade e a história, possibilita nos reconhecer como gente. Em uma cidade marcada por uma gestão pouco participativa no que tange a cultura, onde a arte é vista como supérfluo, por meio desta experiência como monitores da exposição, percebemos que a cultura é um mecanismo central para aglutinar a juventude e mostrar que nada é impossível de inventar.



Palavras-chave


Cuiabá; Turismo; Cultura; Arte; História.

É necessário inscrever-se na conferência para visualizar os documentos.