Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, IV Semana Acadêmica de Sinop

Tamanho da fonte: 
MELIPONÁRIO ITINERANTE NAS ESCOLAS MUNICIPAIS DE SINOP
Adilson Heidmann, Carmen Wobeto, Gabrieli da Silva, Deise Cristina Noronha Dornelles

Última alteração: 04-10-17

Resumo


A criação de abelhas sem ferrão (ASF) é uma atividade que deve ser incentivada, pois além dos benefícios da produção do mel, estas espécies colaboram com a manutenção do ecossistema como polinizadoras primárias de 30 a 90% das espécies vegetais da mata amazônica. Desse modo, os objetivos deste trabalho foram a implantação do meliponário experimental da UFMT/ Campus de Sinop e a conscientização de professores e alunos da rede Municipal de Ensino sobre a importância da preservação das ASF. As seguintes Escolas foram parceiras do projeto: EMEB Lizamara Aparecida Oliva de Almeida, EMEB Sadao Watanabe, EMEB Ver. Rodolfo Valter Kunze e EMEB Ana Cristina de Sena. Para dar início a essas tarefas, foi realizada a formação dos professores das Escolas parceiras, através de curso de 40 horas sobre noções de biologia das abelhas, de manejo, resgate e captura de enxames, demonstração de caixas racionais, além da discussão da inclusão do tema interdisciplinar das ASF no currículo das Escolas. Posteriormente, essas informações foram estendidas também aos alunos da educação básica, através do meliponário itinerante, no qual algumas colmeias do meliponário experimental da UFMT/Campus de Sinop foram transportadas para as Escolas parceiras, para a demonstração de diversidade de colmeias, sua estrutura e organização de castas e para despertar o interesse da comunidade escolar. O projeto doou algumas caixas com enxames para as escolas, sendo que as EMEB Ver. Rodolfo Valter Kunze e Sadao Watanabe já possuem meliponário instalado, pois desde 2016, as atividades do projeto vêm capacitando os profissionais em educação, para a captura de enxames por iscas, assim como para o resgate de colmeias em risco. Além disso, já foram doadas mais de 50 mudas de plantas nectaríferas e poliníferas para as Escolas parceiras, no momento aguarda-se o início do período de chuvas para dar continuidade a esta atividade. Além dos professores das Escolas parceiras, a equipe deste projeto promoveu cursos de curta duração aos acadêmicos das Ciências Agrárias nos seguintes eventos: 47º Congresso Brasileiro de Engenharia Florestal e II Encontro Regional de Agroecologia do Centro-Oeste. As ações deste projeto superaram nossas expectativas, visto que, algumas escolas se mobilizaram para a construção do meliponário e também as EMEB Sadao Watanabe e Lizamara Aparecida Oliva de Almeida apresentaram o projeto no desfile cívico municipal. Assim, o projeto está integrando a Universidade e a comunidade de forma satisfatória e expansiva.

Palavras-chave: Manejo de meliponíneos; Abelhas sem ferrão; Atividades de extensão.