Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, IV Semana Acadêmica de Sinop

Tamanho da fonte: 
UFMT na Comunidade: promoção e prevenção da saúde
Senhorita Luana Walicheski, Senhor Victor Augustho Barbosa, Senhora Márcia Carolina de Siqueira Paese, Senhora Pâmela Alegranci

Última alteração: 04-10-17

Resumo


Estamos vivendo a época da conscientização sobre mudanças no estilo de vida para se viver melhor. Ademais, discentes da área da saúde, próximo a sua formação, têm a capacidade para contribuir com essas modificações, alterando o quadro atual da saúde da população brasileira, contando com a promoção e prevenção da saúde como instrumento de transformação. Pensando nisso, o projeto UFMT na Comunidade foi criado visando integrar estes alunos, a fim de prevenir as doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) e outras doenças, como infecções sexualmente transmissíveis (ISTs); grandes problemas para a saúde pública, decorrentes das complicações dos cursos naturais dessas enfermidades. Foram desenvolvidas duas ações solidárias, de quatro que serão realizadas no ano de 2017, em bairros distintos de Sinop, com o propósito de beneficiar a população destes locais, identificando possíveis fatores de risco modificáveis e incentivando-a a hábitos de vida mais saudáveis. Assim, foi realizada a aferição da pressão ocular, o cálculo e avaliação do índice de massa corporal (IMC), relação cintura-quadril, orientações e aconselhamentos acerca de alimentação e estilo de vida saudáveis. Utilizou-se um folder como material de apoio, o qual foi elaborado pelos acadêmicos para um maior alcance do público alvo, e embasado nas diretrizes da Organização Mundial da Saúde (OMS), assim como prevenção de ISTs. Foram atendidas cerca de 250 pessoas nas duas ações, dentre as quais 40 realizaram a triagem para glaucoma, não sendo encontrada nenhuma alteração na pressão ocular. Em relação ao IMC, foram 112 participantes, onde predominou a obesidade com 34,8%, seguida de 32,1% de sobrepeso, 29,5% com peso adequado e 3,6% baixo peso. A relação cintura-quadril mostrou risco cardiovascular para 16,4% das mulheres e 12,1% dos homens. Ressalva-se que nem todos os participantes realizaram todos os testes oferecidos nos dias das ações, alguns receberam apenas orientações. O feedback dos participantes foi positivo, onde as notas atribuídas a ação foram superiores a oito, e não houve reclamações. Todas as ações, além de serem uma importante ferramenta de ensino, segundo os feedbacks da população, fortaleceram a aproximação da universidade com a comunidade e contribuíram com novas informações.

 

Palavras-chave: promoção; prevenção; saúde; UFMT.