Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, IV Semana Acadêmica de Sinop

Tamanho da fonte: 
MONITORIA NA DISCIPLINA DE CUIDADOS CRÍTICOS E O MÉTODO DE SIMULAÇÃO: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA
Adriana Kloch, Thais Fogaça Cardoso, Luciene M. S. Andrade, Cezar Augusto S. Flores, Neide T. C. Araújo, Patrícia R. de Souza, Bruno Jonas Rauber

Última alteração: 05-10-17

Resumo


A monitoria é um processo de ensino aprendizado no qual os monitores têm na pratica a experiência de docentes. A troca de saberes é reciproca, entre o monitor e alunos, somado a isso os docentes instruem esse processo proporcionando um aprendizado baseado em evidencia. Congregando o uso da monitoria para fixar conteúdos está o uso do método ativo de aprendizagem como um recurso contemporâneo explorado nas profissões da saúde, sendo a simulação clínica uma das ferramentas utilizadas a fim de garantir aos discentes experiências prévias, que garantam segurança no cuidado ao paciente, e aos próprios alunos principalmente no contexto do paciente crítico, além de contribuir para a formação inovadora, critica e responsável, levando o discente a promover as competências profissionais antes do contato real com o paciente. O presente trabalho trata-se de um relato da experiência vivenciada pelos monitores da disciplina de cuidado ao paciente crítico, com o uso da simulação clínica à alunos de graduação em enfermagem da Universidade Federal do Mato Grosso do Campus de Sinop. O local da experiência foi Laboratório de Práticas Hospitalares, da universidade, com alunos de graduação em enfermagem matriculados na disciplina Cuidado à pacientes em Situação Crítica, no semestre de 2017/1. As monitorias ocorreram semanalmente, em horários pré-fixados, e o método da Simulação foi aplicado com o uso de casos clínicos que foram elaborados pelas monitoras, contendo uma situação problema. Dividiu-se os discentes em grupos e a atividade foi orientada, após um sorteio os grupos através de sua interpretação do caso e pensamento crítico, executavam uma simulação da tomada de decisão de forma clara e organizada. As monitoras tinham como papel organizar os cenários, avaliar o desenvolvimento da simulação, e realizar o debriefing com os discentes, discutia-se o alcance dos objetivos propostos em relação à tomada de decisão, retomada de conteúdos apreendidos e autorreflexão. Como resultados foi observado que a simulação como ferramenta de ensino utilizada pelos monitores foi satisfatória, e permitiu aquisição de conhecimento quanto a cenários, estratégias de simulação e conteúdos. Para os discentes percebeu-se falta de adesão às monitorias, ainda que com o uso da simulação, e compreensão da mesma, sendo essa uma dificuldade encontrada, mesmo que a aceitação e o esforço dos discentes seja nítido durante a aplicação do método. Percebeu-se que esta ferramenta estimula o pensamento crítico na tentativa de minimizar erros ao paciente, no entanto é fundamental incorporar novas formas de ensino, ainda que com limitações.

Palavras chaves: Simulação; monitoria; enfermagem.


Referências


[1] Discente do Curso de Graduação em Enfermagem da Universidade Federal de Mato Grosso – Campus Universitário de Sinop, Monitora Bolsista do Programa de Bolsa Monitoria da UFMT/CUS.

[1] Discente do Curso de Graduação em Enfermagem da Universidade Federal de Mato Grosso – Campus Universitário de Sinop, Monitora Voluntária do Programa de Bolsa Monitoria da UFMT/CUS.

[1] Docentes do Curso de Graduação em Enfermagem da Universidade Federal de Mato Grosso – Campus Universitário de Sinop. Mestres em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação/UFMT Cuiabá

[1] Docente do Curso de Graduação em Enfermagem da Universidade Federal de Mato Grosso – Campus Universitário de Sinop. PhD em Ciências pela Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto – USP/RP.

[1] Docente Substituto do Curso de Graduação em Enfermagem da Universidade Federal de Mato Grosso – Campus Universitário de Sinop.