Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, IV Semana Acadêmica de Sinop

Tamanho da fonte: 
LEISHMANIOSE VISCERAL EM CANINO DE SINOP, MATO GROSSO
Riam Rodrigues Ribeiro, Regina Tose Kemper, Joicy Oliveira Castro, Pedro Antonio Dias Guimarães Flores, Daniely Patricia Oenning de Souza, Joaz Wellington Lopes, Nadia Aline Bobbi Antoniassi

Última alteração: 05-10-17

Resumo


A leishmaniose visceral canina (LVC) é uma doença progressiva crônica, e frequentemente fatal. É uma zoonose de grande impacto na saúde pública, causada pelo Leishmania chagasi, um protozoário transmitido pela picada de flebotomideo, tendo como principal vetor o Lytzomyia longipalpis (mosquito palha). O trabalho trata-se de lesões macroscópicas e microscópicas em caso de leishmaniose visceral canina, no município de Sinop, Mato Grosso.  Canino, fêmea, 2 anos de idade foi encaminhado para laboratório de patologia animal da Universidade Federal de Mato Grosso campus universitário de Sinop para exame de necropsia. De acordo com o histórico clinico o animal apresentou equimoses por todo o corpo, apatia, tosse, perda de apetite, vômitos, leucocitose, anemia, trombocitopenia, anemia hemolítica e nos exames bioquímicos apresentou fosfatase alcalina aumentada.  Durante o exame de necropsia foi observado mucosas oral, ocular e vaginal ictéricas, esplenomegalia com áreas esbranquiçadas multifocais, hepatomegalia com coloração amarronzada, estômago com áreas focalmente externa avermelhadas com sangue digerido próximo a piloro, rim apresentando coloração amarelada difusa e com estriações avermelhadas em cortical e pulmão com coloração vermelha escura. No exame histológico observou-se no fígado, baço, pulmão, rins, linfonodos mesentéricos e coração infiltrado inflamatório linfoplasmocitário difuso acentuado e múltiplos macrófagos apresentando em seu interior estruturas compatíveis com a forma amastigota de Leishmania sp. Tendo em vista estas alterações clinicas, macroscópicas e microscópicas sendo compatíveis como em outros casos de LVC descritos na literatura, possibilitou o diagnóstico. Por tratar-se de uma zoonose, cujo à taxa de letalidade pode alcançar 10% em humanos, quando não tratada de forma correta. Casos esporádicos de LVC servem para alertar os clínicos da importância desta enfermidade. No qual cães são reservatórios domésticos e fundamentais na manutenção do ciclo da doença. Em 2007 a secretaria de estado de saúde de Mato Grosso recebeu confirmação de 19 casos de  leishmaniose visceral no estado, três casos resultaram em óbito, um em Rondonópolis e dois em Cuiabá.

Palavras chaves: Leishmania, patologia, zoonose