Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, V SEMANA ACADÊMICA DE SINOP

Tamanho da fonte: 
MALNUTRIÇÃO PUBERAL INDUZ OBESIDADE ASSOCIADA À ELEVADA ATIVIDADE DO EIXO HIPOTÁLAMO-PITUITÁTIA-ADRENAL EM RATOS
Milena Herrera Scaffi, Júlio Cezar de Oliveira, Tássia Caroline Beckert Viana, Bárbara Letícia Antonio Membrive, Sara Santos dos Reis, Deyane Melo Costa Bonatto, Thalyne Aparecida Leite de Lima

Última alteração: 17-10-18

Resumo


A malnutrição em períodos críticos da vida contribui para o desenvolvimento de várias disfunções metabólicas. Na adolescência, pode prejudicar o eixo hipotálamo-pituitária-adrenal (HPA), uma vez que este ainda não se encontra maduro. Neste trabalho, constatamos a função do eixo HPA em ratos adolescentes e adultos que foram malnutridos durante a puberdade. Aos 30 dias de vida, ratos Wistar machos foram alimentados a uma dieta baixa em proteínas (4%, grupo LP) até os 60 dias e depois, para reabilitação dietética, foram alimentados a uma dieta com teor normal de proteínas (20,5 %) dos 60 aos 120 dias de vida. Ratos controle (grupo NP) foram alimentados a uma dieta com teor proteico normal por toda a vida. O peso corporal e a ingestão alimentar foram avaliados durante o período experimental. Aos 60 e 120 dias de vida, um lote de ratos foi eutanasiado para remoção de gordura visceral (gordura retroperitoneal), sangue e hipotálamo para se quantificar deposição de gordura corporal por análises biométricas, níveis de corticosterona e hormônio adrenocorticotrófico (ACTH) por ELISA e receptor de glicocorticoide (GR) por western blot, respectivamente. Os procedimentos experimentais foram aprovados pelo Comitê de Ética em Pesquisa para uso dos animais pela Universidade Federal de Mato Grosso (protocolo: 23108.709618/2015-21). Todos os dados foram analisados por meio do teste t de Student através do Graph Pad Prism para Windows. Aos 60 dias de idade, ratos LP estavam mais magros (peso corporal reduzido, -72%, e gordura retroperitoneal, - 67%, P<0.001), apresentavam hipercorticosteronemia (+54%, P<0.01) e ACTH elevado (+57%, P<0.01) comparado aos ratos NP. De modo interessante, notou-se que a expressão hipotalâmica de GR estava reduzida por 79% (P<0.001). Na vida adulta, após a reabilitação dietética, ratos LP apresentaram maior crescimento de recuperação (+94%, P<0.001) e gordura retroperitoneal (+29%, P<0.001) que os ratos NP. Apesar dos valores normais de corticosteronemia, os valores de ACTH (-27%, P<0.001) e de expressão hipotalâmica de GR (-44%, P<0.05) estavam reduzidos em relação aos ratos NP. Dessa forma, o desenvolvimento de obesidade em ratos adultos, malnutridos durante a puberdade, pode ser influenciado pela hiperatividade precoce do eixo HPA durante um insulto nutricional.

 


Palavras-chave


malnutrição; disfunções metabólicas; obesidade; corticosterona; hipotálamo.