Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, V SEMANA ACADÊMICA DE SINOP

Tamanho da fonte: 
Ações do Consultório Farmacêutico em uma Farmácia Pública (SUS) de Sinop, MT
Laryza Fernanda Santos Avelar, Ana Paula Melgarejo, Vania Rosa Bernardo, Rafaela Grassi Zampieron

Última alteração: 09-10-18

Resumo


O farmacêutico possui um papel importante, no modelo atual de assistência com ênfase na atenção primária a saúde. Esse profissional, atualmente, pode realizar atividades como avaliação da prescrição, orientação correta sobre o uso do medicamento, comunicação com o prescritor a fim de apontar, evitar e resolver problemas relacionados a medicamentos, qualificar o usuário para a adesão ao tratamento e orientá-lo para o autocuidado em saúde. Considerando o crescente número de casos nos quais ocorrem complicações relacionadas ao diabetes, iniciou-se o projeto consultório farmacêutico, em 2014, na Farmácia Regional I em Sinop-MT. O objetivo deste trabalho foi promover o acompanhamento dos pacientes diabéticos, identificando possíveis problemas relacionados aos medicamentos (PRMs), na busca de solucioná-los e aumentar a efetividade do tratamento. Trata-se de um estudo de intervenção, no qual a população alvo são diabéticos tipo 1 ou tipo 2. O processo de adesão dos pacientes ao projeto ocorreu por meio de campanhas realizadas nas farmácias privadas e também na farmácia regional, assim como através de ligações para os pacientes portadores de diabetes cadastrados na farmácia regional. Utilizou-se a metodologia de Dáder de atenção farmacêutica para o acompanhamento farmacoterapêutico. O projeto possui 82 pacientes cadastrados no Consultório farmacêutico, destes 35 são homens e 47 mulheres. Em 2018 foram realizados 277 atendimentos a pacientes diabéticos e hipertensos. Foram encontrados 41 PRMs. O PRM que prevaleceu, foi da necessidade de monitoramento, no qual se identificou em 11 pacientes, em seguida veio o tratamento não efetivo com 9 pacientes, posteriormente administração e adesão em 8 pacientes e reação adversa ao medicamento em 7 pacientes. A identificação destes PRMs, seguido das orientações, mostrou que alguns foram passíveis de resolução, melhorando a adesão ao tratamento e qualidade de vida dos pacientes. Também foram realizadas 3 intervenções com encaminhamento ao médico sugerindo mudança na farmacoterapia e um encaminhamento para diagnóstico de hanseníase. Este trabalho continua sendo desenvolvido no mesmo local como projeto de extensão com 1 bolsa para os acadêmicos participantes, subsidiadas pela PROCEV/UFMT.


Palavras-chave


Farmacêutico, Diabetes, Consultório Farmacêutico, Atendimento.