Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, V SEMANA ACADÊMICA DE SINOP

Tamanho da fonte: 
O papel do médico de família e comunidade na identificação de abuso sexual
Marcella Vitória Volkweis Segura, Tassia Caroline Beckert Viana, Guilherme William Roberto Ansolin, Isabela Ropelli Huck, Viviane Macedo Moura Dias Martins, Valdir Rosado Martins Junior

Última alteração: 09-10-18

Resumo


Violência sexual é um grave problema de saúde pública que atinge todas as classes sociais, etnias, religiões e culturas, em especial crianças e adolescentes do sexo feminino. O objetivo do presente relato é expor o impacto de uma intervenção cognitivo- comportamental em uma adolescente de 14 anos vítima de abuso sexual e a importância do médico da família e comunidade em identificar o ocorrido para proceder da melhor maneira. Nesse contexto, este relato de caso revela a experiência traumática de M.F.S que foi abusada pelo pai de uma amiga. A paciente teve o episódio revelado após apresentar crise de ansiedade associada a taquicardia, sudorese e irritabilidade. Foi levada a Unidade de Pronto Atendimento pelos pais e, ao ser questionada sobre os últimos acontecimentos, contou a médica plantonista o ocorrido. A partir daí, foi encaminhada a uma Unidade Básica de Saúde (UBS) e recomendou-se realizar boletim de ocorrência. Orientou-se a procura de atendimento psicológico e psiquiátrico, além de uma avaliação física e emocional. Dentre os enfoques do relato destaca-se a confiança da adolescente depositada no médico da Unidade Básica e o quanto demonstrava-se abalada, agressiva e com sintomas depressivos, apesar de todo o suporte oferecido. Ademais, como o médico de saúde da família e comunidade deve impor-se diante dos acontecimentos e preocupações posteriores ao abuso, como tentativa de suicídio, isolamento social e demais desmotivações.


Palavras-chave


medicina de família e comunidade; abuso sexual; médico de família;