Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, V SEMANA ACADÊMICA DE SINOP

Tamanho da fonte: 
SCHWANNOMA MALIGNO CUTÂNEO EM CANINO
Joaz Wellington Lopes, Alice Heller Silva, Kamilla Santiago Santos Bertipaglia, Nadia Aline Bobbi Antoniassi, Ed Johnny Rosa Prado

Última alteração: 09-10-18

Resumo


Schwannoma é uma neoplasia de bainhas dos nervos periféricos que acomete os nervos craniais e espinhais. Esses tumores ocorrem principalmente em raízes nervosas das porções cervical caudal ou torácica cranial do plexo braquial. São pouco frequentes em pequenos animais, com maior prevalência em cães de médio e grande porte, com idade entre 7 e 8 anos.Um canino, Rotweillwer, fêmea, com 8 anos de idade foi atendido pelo setor de Clínica Cirúrgica e Obstétrica de Pequenos Animais do Hovet, UFMT/Sinop com queixa principal de um nódulo subcutâneo, localizado em região dorsolateral da coxa, com evolução de dois meses. Após radiografia torácica sem indícios de metástase, realizou-se excisão cirúrgica da lesão, e o material coletado foi encaminhado para exame histopatológico ao Laboratório de Patologia Animal da UFMT/Sinop. Macroscopicamente a amostra correspondia a uma neoformação com formato arredondado, medindo 9 cm com cobertura pilosa, superfície lisa, bem delimitada, e com consistência firme, ao corte o tecido possuía coloração esbranquiçada com áreas multifocais amarronzadas, aspecto multinodular, consistência firme e com pequenas áreas císticas aleatórias repletas por liquido fluido translúcido. A amostra foi fixada em formalina 10%, processada rotineiramente, corada em hematoxilina e eosina e analisada em microscopia óptica de luz. Histologicamente observou-se fragmento de pele em que na hipoderme haviam múltiplos lóbulos por vezes mal delimitados, circundados por tecido conjuntivo, compostos por proliferação neoplásica de células mesenquimais, formando ninhos e com feixes entrelaçados organizados em diferentes direções.As células eram alongadas, o citoplasma eosinofilico com bordos não definidos e o núcleo fusiforme a ovalado, basofílico, com nucléolos múltiplos e proeminente. Moderada anisocitose e anisocariose, além de múltiplas figuras de mitose foram observadas.Os achados macroscópicos deste caso são compatíveis com as características dos schwannomas já mencionados pela literatura. O Schwannoma é descrito em caninos, de médio e grande porte, em região de membro pélvico, coincidindo com as características do paciente deste relato, contudo, ainda não haviam sinais clínicos de perda de sensibilidade do membro acometido.Microscopicamente esses tumores são compostos por lâminas celulares densas dispostas em padrões de feixes entrelaçados, observados neste caso, ou ainda em lagos ou redemoinhos concêntricos. A excisão cirúrgica completa e com ampla margem de segurança costuma ser um tratamento eficaz, com raros episódios de metástase. A radiografia prévia neste paciente não apresentou qualquer evidência de metástase pulmonar, como esperado nestas neoplasias.Os achados macroscópicos e microscópicos corroboram com o diagnóstico de Schwannoma.

Palavras-chave


neoplasia, canino, bainha de mielina