Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, VIII Semana de Psicologia da UFMT

Tamanho da fonte: 
Intervenções com crianças de uma pré-escola no âmbito de estágio em contextos socioeducativos
Sr Wilker Sherman Barcelos Andrade, Sra Rafaella Elika Borges, Ma Andréia Maria Lima Assunção

Última alteração: 18-06-19

Resumo


O presente trabalho circunscreve uma experiência proporcionada pela disciplina de Estágio Básico I – contextos socioeducativos, componente da grade curricular do Curso de Psicologia da UFMT. As práticas de estágio desenvolvidas delinearam como objetivo organizar estruturas de oportunidade de desenvolvimento e aprendizagem junto à crianças de uma escola municipal de educação infantil da cidade de Cuiabá. Entretanto, compreendeu a realização de duas etapas: a realização de observação e planejamento e, posteriormente, a execução de um projeto de intervenção junto ao grupo de crianças. Participaram deste projeto 23 crianças com idades entre 4 anos e 4 anos e 11 meses. Os fundamentos teóricos que apoiaram as referidas ações compreenderam as discussões fomentadas por Vygotsky (1996), Sarmento (2007) e Sayão (2007). A metodologia empregada compreendeu a utilização das técnicas de observação participante Corsaro (2005) e elaboração de oficinas socioafetivas Freire (2017) segundo os conteúdos mobilizados pelas crianças ao longo do estágio. Neste campo, valorizou-se o uso de narrativas no contexto pré-escolar, bem como a adoção da postura de adulto atípico, empregado por Corsaro (2005), com o propósito de aproximação das experiências infantis. Esta técnica foi empregada durante ambas as etapas, abrangendo a observação e o planejamento, bem como durante a etapa subsequente de realização da intervenção. Os primeiros seis dias vivenciados na instituição foram utilizados para aplicação da observação participante, consistindo na inserção da/o estagiários/as no meio social das crianças tal como “crianças grandes” ou um “amigo adulto” (CORSARO, 2005) para acessar as conversas internas e narrativas originais contadas pelas crianças e entre crianças. Após a observação elaboramos quatro intervenções embasadas na narrativa oficial da instituição, intitulada “Você conhece o Tatu-Bola?” que foi inaugurada durante a presença dos/as estagiários/as em campo e teve como foco a exploração de elementos essenciais da narrativa institucional, sendo eles: as características do personagem principal, a fauna e flora do Pantanal MatoGrossense. A narrativa conta a história de um menino aventureiro que amava a natureza, os animais e que gostava de colecionar carrinhos e figurinhas de animais. Um dia essa criança decide procurar o Tatu-Bola e sai perguntando para os animais do Pantanal se algum deles o conhecia; então, através de uma investigação, finalmente o encontra, ocasião esta em que todos os outros bichos do Pantanal se juntam para brincar e dançar rasqueado. A partir deste desfecho, o Tatu-Bola vira bola e sai rolando combinando novas aventuras, assim, a narrativa termina, mediante a abertura de outros mundos possíveis a partir da inscrição de novos enredos. O projeto de intervenção elaborado ao longo da disciplina foi denominado como ‘Explorando o Pantanal” e abrangeu a realização de quatro etapas de intervenção que tiveram como propósito enaltecer as características regionais, tão presentes na identidade da instituição, proporcionando às crianças o contato com elementos importantes da trajetória de vida do patrono e dos biomas locais, mais especificamente o Cerrado e o Pantanal. A primeira intervenção, nomeada como “O que é colecionar?”, abarcou a apresentação do conceito de colecionar através de exposições de coleções reais de brinquedos, objetos e imagens de coleções. A segunda, designada como “Quer ver minha coleção?”, circunscreveu a realização de uma dinâmica de separação de imagens de coleções por categorias e de confecções de carros de papelão, remetendo a uma coleção real de carros antigos do patrono da instituição. A terceira intervenção, intitulada “Onde os bichos moram?” buscou apresentar elementos naturais da fauna e flora do Pantanal para que as crianças compreendessem o cenário da narrativa. E, ao final, a quarta intervenção, sob o título “Você conhece o Tatu-Bola?”, ocorreu em formato de Caça ao Tesouro, remetendo ao processo de investigação da personagem principal em busca do TatuBola. Conclui-se que esta experiência de estágio delineou estruturas de oportunidade para a promoção de desenvolvimento para as crianças através de potenciais atividades guia com enfoque na narratividade e brincadeiras de faz-de-conta para o ensino de conhecimentos sociais locais, bem como de conceitos pertinentes à história de vida do patrono da instituição. Evidenciou-se também a efetividade das intervenções através de resultados visíveis advindos das atividades desenvolvidas pela equipe docente da instituição, que estabeleciam diálogos com as primeiras fases da intervenção, abarcando o planejamento de atividades pedagógicas em outras turmas da escola inspiradas no projeto de intervenção realizado no âmbito do estágio.

Palavras-chave: Infância; Educação Infantil; Estágio em Psicologia; Narrativa.

Referências Bibliográficas

Corsaro, W. A. (2005). Entrada no campo, aceitação e natureza da participação nos estudos etnográficos com crianças pequenas. Educação e sociedade, 26(91), 443-464.

Sarmento, M. J. (2007). Visibilidade social e estudo da infância. infância, 25-49.

Sayão, D. T. (2002). Crianças: substantivo plural. Zero-a-Seis, 4(6), 24- 32.

Vygotsky, L. S. A formação social da mente. Rio de Janeiro: Martins Fontes, 1996.