Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, VIII Semana de Psicologia da UFMT

Tamanho da fonte: 
PSICOLOGIA ESCOLAR/EDUCACIONAL – PRÁTICA, REFLEXÃO E AÇÃO
Tayná Silva Alves

Última alteração: 24-06-19

Resumo


Este estudo discorre sobre a importância da reflexão sob a práxis do psicólogo em unidades escolares mediante a necessidade e possibilidades de atuação, a partir da vivência no lócus escolar e das intervenções realizadas. Tendo como proposta a reflexão de possibilidades de atuações, bem como, questionamentos de práticas já realizadas, visando a compreensão de um prática ética, contextualizada em um campo que demonstra inúmeras afetações aos que ali estão. O profissional dentro de uma unidade escolar pode prestar auxílio para o melhor desenvolvimento de crianças e adolescentes, possibilitando o acompanhamento não só do aluno, bem como da família junto a instituição. A atuação dentro das instituições escolares, é uma temática que gera debates e reflexões sobre as possibilidades da prática. Reflexões estas que visam a contribuir para melhorar o sistema educativo, bem como, pensar para além de uma atuação que anteriormente era clínica e que atualmente ainda se tem essa visão por parte de alguns profissionais, cabendo aos psicólogos realizar a desconstrução dessa visão. As reflexões sobre a atuação de acordo com alguns autores não se restringe somente aos psicólogos, o que pode vir a possibilitar enriquecimento nas formas de (re)pensar e (re)fazer, podendo incluir na discussão, por exemplo, gestores, professores e outras especialidades do campo da educação (Martínez, 2010). Para Antunes (2008) tais questionamentos viabiliza a discussão também sobre o compromisso dos psicólogos em instituições escolares com as classes populares integrando junto as políticas públicas educacionais. Além das reflexões e discussões sobre as possibilidades de atuação, o psicólogo deve pautar a sua práxis de acordo com Antunes (2008) no referencial teórico da psicologia justaposto á educação, relacionando e conhecendo os referenciais do campo educacional e áreas relacionadas, ou seja, na integração de saberes das áreas necessários para atuação e principalmente conhecer e reconhecer a realidade da instituição para a aplicação de intervenções cabíveis. A partir do mencionado acima a atuação do psicólogo escolar/educacional exigi uma práxis crítica e reflexiva sobre os processos nos quais está inserido, viabilizando um diálogo entre os saberes e toda a comunidade escolar, pois, não é adequado aplicar uma intervenção fora da realidade dos ali presentes. Dessa forma, pensando em uma atuação que a partir da prática possibilita uma reflexão, concorda-se com Martínez (2010) quando a mesma traz formas de atuação, que ela denomina de “emergentes” em que o psicólogo pode atuar sob várias formas, como por exemplo, uma análise e diagnóstico em nível institucional, ou seja, quando a reconhecimento que os sujeitos são constituidores dos contextos sociais aos quais estão inseridos, bem como se constituem, a subjetividade social da escola passa a ter grande relevância (Martínez, 2010). Pensar que a reflexão se possibilita também a partir da prática e através dela nos faz questionar sobre as formas de atuação dentro desse espaço, espaço esse que é riquíssimo e necessita de uma atenção. É pensar e repensar a atuação para uma ação cada vez mais aperfeiçoada e abrangível dentro do contexto educacional, tendo a ética e a consciência de reconhecer as limitações da atuação o que não exclui a necessidade da presença de um profissional dentro da unidade, pois é a partir das possibilidades e limites reconhecidos que se faz a reflexão sobre uma ação possível e cabível e também repensar as atuações passadas para melhorar as futuras. Sendo assim, o fazer dentro das unidades educacionais deve ser pautado por uma prática ética, contextualizada e necessária. O profissional deve pôr-se a refletir sobre a sua atuação, possibilitando abertura para dialogar juntos aos demais profissionais da educação e outros áreas, corroborando para o melhor desenvolvimento possível dos alunos, bem como atuação da comunidade escolar e o funcionamento da instituição como organização. Sendo necessário discussões que promovam reflexões de uma práxis/ação que possua uma visão que englobe todos os sistemas.

 

Palavras-chaves: Psicologia escolar. Atuação. Reflexão. Educação.

 

REFERÊNCIAS

ANTUNES, Mitsuko Aparecida Makino. Psicologia Escolar e Educacional: história, compromissos e perspectivas. Psicol. Esc. Educ. (Impr.),  Campinas ,  v. 12, n. 2, p. 469-475,  Dec.  2008 .   Available from http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-85572008000200020&lng=en&nrm=iso. access on  19  June  2019.  http://dx.doi.org/10.1590/S1413-85572008000200020.

MARTÍNEZ, Albertina Mitjáns. O que pode fazer o psicólogo na escola?. Em aberto, v. 23, n. 83, 2010.