Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, VIII Semana de Psicologia da UFMT

Tamanho da fonte: 
Psicologia do trabalho e o trabalhador do campo em mato grosso: uma vivência de estágio
Alessandra de Campos Lima, Rose Angela Bueno, Sâmela de Paula e Silva

Última alteração: 07-07-19

Resumo


Desde o início da civilização, o homem é considerado um ser social, apreendendo normas, valores, regras, hábitos de vida e elegendo uma forma de ser, construindo assim sua identidade. E é por meio do trabalho que o homem apropria-se da natureza na qual está inserido, evoluindo-se enquanto indivíduo ativo e cidadão (RODRIGUES, 2013). O trabalho, por sua vez se constitui foco de estudo e intervenção da Psicologia Organizacional e do Trabalho que inclui larga abrangência. Esta busca compreender o comportamento das pessoas que trabalham, tanto em seus determinantes e suas consequências, como nas possibilidades da construção produtiva das ações de trabalho, com preservação máxima da natureza, da qualidade de vida e do bem-estar humano. Zanelli, (2004) destaca que o comportamento humano no trabalho é foco de interesse em diferentes níveis ou âmbitos de análise e é tomado como objeto de estudo e de  intervenção nos âmbitos individual, grupal e organizacional.O interesse pela ação humana, no entanto, inscreve-se no interior de dois outros fenômenos: o trabalho e a organização. Como três vértices de um triângulo, as interfaces entre esses fenômenos constituem a superfície que delimita três subcampos dentro da área de Psicologia Organizacional e do Trabalho. Segundo Leão (2012), a psicologia do trabalho pode ser designada como campo de compreensão e intervenção sobre o trabalho e nas organizações, visando analisar a interação das diversas dimensões que caracterizam pessoas, grupos e as organizações, com a finalidade de construir habilidades e procedimentos que promovam e preservem e estabeleçam o bem-estar dos trabalhadores. Este trabalho tem por finalidade expôr as vivências no estágio externo supervisionado específico no cotidiano da psicologia organizacional e do trabalho do curso de Psicologia de uma instituição de ensino superior privado no ano de 2019. Através de uma proposta de diagnóstico e intervenção realizou-se observação da estrutura organizacional de uma federação agrícola do estado de Mato Grosso. Durante a vivência de estágio diagnosticou-se a necessidade de assessoria ao evento Juventude Rural com a elaboração de novas cartilhas. A intervenção, portanto,  deu início auxiliando o programa “Jovem Saber” que é um evento antigo da federação e busca através desse movimento a conscientização sobre o abuso sexual no campo e a violência que existem e não é registrado nas mídias e nem nos dados estatísticos oficiais. Neste contexto, algumas dificuldades atingem de forma mais direta os jovens rurais, como a dificuldade em acesso à escola que geralmente está nas áreas urbanas e não nas rurais, sendo assim preciso muitas vezes se deslocarem às cidades mais próximas para dar continuidade aos seus estudos, e às vezes geram até as desistências dos mesmos. Por isso, a federação oferece cursos técnicos de agropecuária aos filhos dos agricultores no período de dois anos e com essa capacitação, os jovens da área rural têm a oportunidade de buscarem técnicas novas, mudanças e inovação para o negócio de suas famílias e desta forma buscando novos empregos, ou abrindo seu próprio empreendimento. Com esse movimento, a federação, junto com outras parcerias, também busca conscientizar os jovens do campo sobre informação de violências e o abuso sexual existentes na área rural, assentamentos, entre outras agressões e que por medo ou ignorância não denunciam, ou até mesmo se sentem sem apoio e se calam diante dos fatos. O campo de estágio disponibilizou materiais para reelaboração de uma nova cartilha, destinada às famílias da área rural, levando informações atuais e conscientização  para o campo. Com as demandas levantadas, compreendeu-se a necessidade de uma atuação mais voltada à psicologia (social) do trabalho que visa compreender e intervir em diversos fenômenos do mundo do trabalho a partir de referenciais críticos e não positivistas, implicada na transformação da sociedade e na emancipação humana. (LEÃO, 2012). Dessa forma, o estágio se tornou pertinente colaborando em todos os aspectos na construção de um saber psicossocial onde o trabalhador e seu trabalho são levados em consideração. Importante destacar para as questões e situações de trabalho no campo, pois a agricultura é uma realidade que desafia o Brasil e tem sido marginalizada nas práticas da psicologia do trabalho.

Palavras-Chave: Psicologia Organizacional e do Trabalho, Agricultura, Juventude Rural,Federação.

Referências

BASTOS, Antônio Virgílio Bittencourt; GALVÃO-MARTINS, Ana Helena Caldeira. O que pode fazer o psicólogo organizacional. Psicol. cienc. prof., Brasília, v. 10, n. 1, p. 10-18, 1990.

Castro, Elisa. Juventude Rural No Brasil, Processos de Exclusão e a Construção de um Ator Político. 179-208, 2009.

Leão, Luís. Psicologia do Trabalho: aspectos históricos, abordagens e desafios atuais. ECOS - Estudos Contemporâneos da Subjetividade. Rio de Janeiro, 2012.

Rodrigues, Carlos. Psicologia organizacional e do trabalho. 2013.