Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, VIII Semana de Psicologia da UFMT

Tamanho da fonte: 
A LIGA ACADÊMICA COMO INSTRUMENTO DE FORMAÇÃO DO PSICÓLOGO HOSPITALAR
Mirelli França Santos, Brunna Gabriela Cavalheiro

Última alteração: 04-07-19

Resumo


As Ligas Acadêmicas são entidades sem fins lucrativos, formadas e organizadas por um grupo de alunos com interesse comuns, sendo supervisionadas por um ou mais profissionais da área. Caracterizam-se pelo objetivo de aprofundar um tema específico a ser estudado, funcionando a partir do tripé pesquisa, ensino e extensão (AZEVEDO; DINI, 2006). Santana( 2012)  em sua pesquisa aborda que a área de saúde tem a tradição das Ligas Acadêmicas, principalmente a Medicina, pioneira nessa forma de organização estudantil; mas, apesar de as primeiras ligas terem sido fundadas já há algumas décadas, ainda são escassos as publicações e os estudos sobre esse assunto. O psicólogo hospitalar interessa-se pelos aspectos psicológicos em torno do adoecimento, pois a doença implica perdas e ganhos. Perde-se a saúde, a autonomia e muitas outras coisas, correndo-se o risco de perder até mesmo a própria vida, mas em contrapartida, se ganha mais atenção, cuidado, o direito de não trabalhar, etc. Desta forma, é preciso dar lugar ao sujeito, dar voz a subjetividade do paciente, tratar o adoecimento no registro do simbólico. Para isso, o psicólogo deve escutar sempre; ele escuta todo o enredo do paciente diante de sua doença, e a subjetividade do sujeito (SIMONETTI, 2015).  Diante disso, é relevante explanar a importância da liga acadêmica na construção do profissional de psicologia hospitalar, nesse contexto de práticas, onde se une, ensino, pesquisa e extensão afim de fomenta-la como uma estratégia de aperfeiçoamento da formação acadêmica.  A metodologia utilizada nessa pesquisa é de revisão bibliográfica, de tipologia qualitativa e descritiva, cujo objetivo é resgatar trabalhos já realizados a fim de demonstrar a importância das ligas acadêmicas na formação do psicólogo. As ligas acadêmicas no percurso de promoção do tripé ensino, pesquisa e extensão, realizam eventos como seminários, palestras, estudos de textos, projetos voltados ao paciente e ações sociais. Torres et al (2008) e Costa (2012) defendem a necessidade do currículo formal como tarefa constituinte na participação da assistência aos pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS), somado com as atividades das ligas, o que reforça a contribuição social com as diversas atividades, sendo uma delas a promoção da saúde. Portanto, é necessário a curiosidade e interesse do estudante direcionando o conhecimento e o aprendizado para uma área específica. O resultado de tudo isso fica evidente no final da graduação, quando os acadêmicos que buscaram potencializar sua formação através da participação na liga acadêmica apresentam melhor desempenho frente ao mercado de trabalho, se comparados aos que obtiveram a mesma formação acadêmica. Neves (2008) relata que os integrantes, ao vivenciar áreas de pesquisa distintas ao currículo formal, tornam-se potencialmente melhores profissionais, devido à ampliação da visão crítica e aumento do poder reflexivo, afetando positivamente no posterior desempenho profissional, destacando a tendência de se tornar líderes locais ou regionais devido ao aprendizado de se expressar baseado em informações sólidas. As ligas acadêmicas além de propor um conhecimento maior sobre a área proposta de estudo também é um meio de adquirir experiências com as práticas que a mesma oferece, sendo assim após a graduação o aluno que participou de tal liga sairá graduado e com um conhecimento a mais, devido sua participação dentro das atividades da mesma. As ligas são de grande influência para os alunos durante a jornada acadêmica, onde oferecem grupos de estudo, eventos, seminários e práticas, além do aluno se identificar com que está sendo proposto pela liga, o mesmo poderá se inscrever no processo seletivo, sendo assim se for aprovado se tornará membro e irá participar das atividades em conjunto aos outros alunos que adentraram na liga e no decorrer semestre realizaram cronograma dos eventos acadêmicos dentro do tema da liga que no caso seria explanar sobre a saúde e o ambiente hospitalar.

Palavras-Chaves: Liga Acadêmica; Psicologia Hospitalar; Formação Universitária.

REFERENCIAS

AZEVEDO, R. P; DINI, P. S. Guia para construção de Ligas Acadêmicas. Ribeirão Preto: Assessoria Científica da Direção Executiva Nacional dos Estudantes de Medicina, 2006.

COSTA, B. E. P. et al. Reflexões sobre a importância do currículo informal do estudante de medicina. Revista Scientia Medica, Porto Alegre, v. 22, n. 3, p. 162-168, jul./set. 2012.

NEVES, F. B. C. S. et al. Inquérito nacional sobre as ligas acadêmicas de medicina intensiva. Revista Brasileira de Terapia Intensiva [online], São Paulo, v. 20, n. 1, p. 43-48, jan./mar. 2008.

SANTANA, A. C. D. A. Ligas acadêmicas estudantis. O mérito e a realidade. Ponto de Vista, Medicina (Ribeirão Preto), vol. 45, ed.1, p. 96-98, 2012.

SIMONETTI, A. Manual de psicologia Hospitalar: o mapa da doença. 8 ed. Casa dos psicólogo, São Paulo, 2015. 200p

TORRES, A. R. et al. Academic Leagues and medical formation: contributions and challenges. Translated by Philip Sidney Pacheco Badiz. Interface. Comunicação, Saúde e Educação [online], Botucatu-SP, v. 4, 2008.