Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, VIII Semana de Psicologia da UFMT

Tamanho da fonte: 
PREPARAÇÃO PARA O PARTO HUMANIZADO: A PSICOLOGIA E CONSTRUÇÃO DA AUTONOMIA DA GESTANTE
Melissa Grazielly BARETTA, Jordana Luz Queiroz NAHSAN, Bruna TONDIN, Fernanda CÂNDIDO-MAGALHÃES

Última alteração: 01-07-19

Resumo


Trata-se de estudo resultante de projeto de pesquisa do mestrado, realizado no âmbito do Programa de Pós-Graduação em Psicologia (PPGPsi), da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), tendo como temática o parto humanizado e as possibilidades interventivas da Psicologia. Nesse sentido, a inserção da Psicologia, enquanto ciência e profissão, visa acolher as demandas das gestantes no processo de preparação para o parto e nascimento. Destaca-se a relevância da inserção desta área, entendendo que o processo de humanização aproxima-se das relações tecidas entre as pessoas, muito distante da realidade tecnológica que está permeando a cena do parto na atualidade. A utilização rotineira das cesarianas como via de nascimento foi tema discutido pelas autoridades responsáveis da saúde mundial, a OMS, que esclarece na Declaração da OMS sobre Taxas de Cesáreas que o parto cesariano é intervenção que deve salvar vidas da mãe e bebê quando bem indicada (OMS, 2015). Isso nos faz questionar sobre a triste realidade quanto a prática abusiva de cesárea, especialmente no Brasil, onde os números indicativos da OMS ultrapassam o que é proposto e aconselhado (15%), ocupando o 2º lugar no mundo que mais realiza tal procedimento. Segundo a Agência Nacional de Saúde Suplementar, a cesariana surgiu para resolver situações de complicações de parto, em que ocorria risco de mortalidade materna e fetal, sendo importante instrumento da medicina para salvar vidas. Nesta conjuntura, o presente projeto de pesquisa tem como objetivo realizar estudo através da compreensão sobre o parto, de acordo com gestantes acolhidas em grupos de preparação para o parto, com atuação de equipe multiprofissional. O procedimento a ser utilizado é a Pesquisa Participante que será empenhada na relação pesquisadora-participantes, através do exercício de interação com as mulheres grávidas que dará a compreensão da realidade social diante a temática pesquisada, partindo da ideia que todas as mulheres são fontes originais do saber. O referencial teórico e metodológico que será utilizado na pesquisa será Abordagem Centrada na Pessoa, Psicologia Humanista proposta por Carl Rogers, na década de 50. Propondo-se atividade multidisciplinar, a pesquisa ocorrerá com grupos de mulheres gestantes atendidas pelo curso de Fisioterapia, na Clínica Escola do Centro Universitário de UNIVAG. Nesse aspecto, pretende-se que a pesquisadora Psicóloga, facilitadora do grupo, seja o mais transparente possível, nos aspectos que envolvem a experienciação com as grávidas e com a equipe, com isso, a pesquisa buscará compreender as subjetividades oriundas da experiência da mulher e sua gestação, buscando suas percepções de sentimentos, como estas se percebem nesse momento de gestação e preparação para o parto e nascimento do filho. Para isto, a temática será desenvolvida pelo modo experiencial utilizado pela ACP, através do qual será possível uma aproximação entre pessoas para que seja possível a expressão dos sentimentos e a possibilidade da significação do vivido. Nesse processo de crescimento humano, acredita-se que seja possível auxiliar as mulheres na construção da autonomia, diante sua noção do eu e como estas se percebem como indivíduos atuantes em busca de sua autoestima e preservação corporal, isto é, reconhecendo seus direitos para que evitem a violência obstétrica durante o trabalho de parto, consequentemente, experienciem o crescimento resultado da promoção de saúde. De acordo com o referencial proposto, ao proporcionar esses espaços facilitadores de crescimento, mudanças significativas na personalidade das gestantes podem ocorrer possibilitando que um conjunto de novas significações se formem a partir da vivência com outras mulheres e equipe multiprofissional. Por se tratar de pesquisa em andamento, não há resultados da pesquisa, mas o encaminhamento institucional para a realização dos grupos, bem como a submissão ao Comitê de Ética em Pesquisa, considerando que se trata de pesquisa com seres humanos, necessita-se resguardar eticamente os participantes da pesquisa.

 

Palavras-chave: Humanização do Parto, Abordagem Centrada na Pessoa, Preparação para o parto.

 

BIBLIOGRAFIA

World Health Organization and Jhpiego 2015. Recomendações para o aumento do trabalho de parto. Rio de Janeiro: WHO; 2011 [acesso em 20 dez 2018].

ROGERS, Carl. Psicoterapia e Consulta Psicológica. 2ª Ed. Santos: Martins Fontes, 1973.