Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, VIII Semana de Psicologia da UFMT

Tamanho da fonte: 
IMPACTOS PSICOLÓGICOS EM ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS DURANTE A PASSAGEM PELA GRADUAÇÃO
Lurian Rodrigues Dorna, Fernanda Carolina Brum Borges, Laisa dos Santos Figueiredo, Laurielenn Torres de Melo, Raphaella Costa Freitas, Tammy Meireles

Última alteração: 02-07-19

Resumo


Os estudantes universitários atravessam experiências conflituosas durante a passagem pela graduação, podendo tais vivências impactar na saúde física e mental destes, estima-se que certa de 15% a 25% dos universitários apresentam algum tipo de desorganização psíquica durante a vida acadêmica, tratando-se de um grande índice de depressão e de ansiedade, e a explicação para esse acontecimento origina-se das perdas e afastamentos que essas pessoas sofrem ao adentrarem em uma universidade, tais como relacionamento familiar, social e cultural, o que propícia o desencadeamento de crises psicológicas e emocionais, também há a probabilidades de desenvolvimento de desfechos mais severos, podendo manifestar comportamento suicida. O uso de drogas lícitas e ilícitas também se mostra como outra estratégia utilizada para lidar com os problemas vivenciados durante essa trajetória. O presente trabalho tem como objetivo analisar as possíveis consequências desencadeadas durante a experiência acadêmica na vida do universitário. Sendo assim, questiona-se quais são os impactos psicológicos que podem ser desencadeados a partir das  experiências vividas durante a graduação e identificar como os estudantes tem lidado com esses impactos. Estudos de Júlio de Melo Cavestro, Valdir Aquino Lemos, Clarissa Tochetto de Oliveira, Marco Antônio Pereira Teixeira e Ricardo da Costa Padovani, revelam a ocorrência de transtornos psicológicos em universitários, afirmando que estes sofrem impactos na saúde física e mental, por alguns fatores, entre eles, por não terem um acompanhamento psicológico para auxiliá-los a enfrentarem os conflitos apresentados ao adentrarem em uma universidade, apontando assim como resultado um aumento nas disfunções mentais, que se caracteriza pelo fato de não conseguirem lidar com uma grande demanda de responsabilidade e uma exigência elevada de cobrança por parte da instituição, da família, da sociedade e do mercado de trabalho, o que acaba ocasionando prejuízos em seu desempenho acadêmico e em sua vida pessoal. Para realização deste estudo, utilizou-se do método de pesquisa bibliográfica, que se caracteriza pelo levantamento de materiais já publicados como, artigos, livros, revistas científicas, teses e dissertações que seguem a temática e a teoria abordada e incorporada na psicologia; sobre o tema, foram encontrados vinte e oito artigos, nas bases de dados Pepsic, Scielo, Psicologia.pt, Revista Brasileira de Terapias Cognitivas e Revista de Ciências Humanas. Obteve-se como resultado através do levantamento bibliográfico que alguns universitários manifestam sintomas depressivos e ansiosos durante a graduação, sendo que os fatores estressores principais ocorrem no início do curso, pois é quando o estudante recebe toda a informação nova, onde ocorrem mudanças na forma de estudo e altera-se os horários de sua rotina; e no final do curso, relacionado com a insegurança de não estar preparado para assumir a profissão escolhida e/ou se será aceito ao mercado de trabalho após a sua formação. A partir disso é visível que há uma necessidade de criação de estratégias que garantam a prevenção de futuros casos de adoecimento psicológico e de intervenções nos casos já existentes, de forma que o universitário permaneça exercendo suas atividades acadêmicas com qualidade de vida. Através destes estudos verifica-se a importância de intervenções para que haja a redução do uso de estratégias disfuncionais como o uso de drogas lícitas e ilícitas para conter o sofrimento destes e de estratégias para reduzir os comportamentos de risco e o comportamento suicida. Existe a necessidade de se realizar estudos com a população universitária e, portanto, ao identificar as consequências dos impactos psicológicos e sociais que essas pessoas sofrem ao tornarem-se acadêmicos, tem o objetivo de, a partir do olhar da psicologia serem desenvolvidos programas de intervenção para o cuidado da saúde mental destes, incentivando as Instituições de Ensino Superior a fortalecer as intervenções e prevenções para auxiliar na qualidade de vida dos universitários.

 

Palavras-chave: Estudantes universitários, Impactos psicológicos, Graduação

 

Referências Bibliográficas

ANDRADE, Antônio dos Santos et al. Vivências Acadêmicas e Sofrimento Psíquico de Estudantes de Psicologia. Psicol. cienc. prof. [online]. 2016. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/pcp/v36n4/1982-3703-pcp-36-4-0831.pdf>. Acesso em: 13 de março de 2018.

CAVESTRO, Júlio de Melo; ROCHA, Fabio Lopes. Prevalência de depressão entre estudantes universitários. J. bras. psiquiatr. [online]. 2006. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/jbpsiq/v55n4/a01v55n4.pdf>. Acesso em: 14 de março de 2018.

LEMOS, Valdir Aquino; BAPTISTA, Makilim Nunes; CARNEIRO, Adriana Munhoz. Suporte familiar, crenças irracionais e sintomatologia depressiva em estudantes universitários. Psicol. cienc. prof., Brasília, 2011.   Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/pcp/v31n1/v31n1a03.pdf>. Acesso em:  01 de novembro de 2018.

OLIVEIRA, Clarissa Tochetto de; DIAS, Ana Cristina Garcia; PICCOLOTO, Neri Maurício. Contribuições da terapia cognitivo-comportamental para as dificuldades de adaptação acadêmica. Rev. bras. Ter. cogn., Rio de Janeiro, 2013. Disponível em <http://pepsic.bvsalud.org/pdf/rbtc/v9n1/v9n1a03.pdf>. Acesso em: 16 de maio de 2018.

PADOVANI, Ricardo da Costa et al. Vulnerabilidade e bem-estar psicológicos do estudante universitário. Revista brasileira terapia cognitiva.  Rio de Janeiro, 2014. Disponível em: <http://pepsic.bvsalud.org/pdf/rbtcc/v10n1/v10n1a02.pdf>. Acesso em: 14 de abril de 2018.

TEIXEIRA, Marco Antônio Pereira et al. Adaptação à universidade em jovens calouros. Psicol. Esc. Educ. (Impr.), Campinas, 2008. Disponível em:  <http://www.scielo.br/pdf/pee/v12n1/v12n1a13.pdf>. Acesso em:  25 de outubro de 2018.