Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, VIII Semana de Psicologia da UFMT

Tamanho da fonte: 
GRUPO DE PAIS POR ADOÇÃO – UMA PROPOSTA METODOLÓGICA BASEADA NA PSICANÁLISE
Rafael de Souza Pereira Gomes, Camila Correia Farias, Henrique de Oliveira Lee

Última alteração: 11-07-19

Resumo


Atualmente segundo os dados estatísticos do Conselho Nacional de Justiça (2019) sobre as informações do Cadastro Nacional de Adoção indicam que existem no Brasil: 9529 crianças e adolescentes disponíveis para adoção, e 45983 pretendentes cadastrados para adoção, desse total 1,26%, 120 crianças e adolescentes, e 2,15%, 988 pretendentes cadastrados, são do estado de Mato Grosso (CNJ, 2019). De acordo com pesquisas realizadas sobre o processo de adoção no Brasil, são encontradas diversas informações que falam sobre o cuidado com as crianças, adolescentes e candidatos a pais durante o processo de adoção, demostrando que há inúmeros programas e projetos que cuidam desses sujeitos durante esse percurso, mas poucas são as informações encontradas sobre os cuidados no processo de pós adoção, indicando que há uma possível falta de trabalhos realizados com esse público, o que se apresenta como justificativa principal para a realização do presente trabalho. Desta forma, o presente trabalho tem como objetivo apresentar projeto de pesquisa que tem sido realizado pelo psicólogo Rafael de Souza Pereira Gomes, mestrando do Programa de Pós Graduação em Psicologia da Universidade Federal de Mato Grosso, na linha de pesquisa práticas clínicas e contextos institucionais. O projeto de pesquisa tem como objetivo investigar, através da escuta grupal de pais por adoção, quais são os significantes, ou seja, os elementos do universo subjetivos de cada um, que marcam a experiência de ser pai/mãe por adoção para fomentar a elaboração de um protocolo de dispositivo grupal de escuta de pais por adoção no processo de pós adoção. A metodologia para a realização da pesquisa será a qualitativa, sendo o método utilizado o clínico- qualitativo. Turato, 2003, nos propõe esse método como um meio de investigação científico para conhecer e interpretar os conteúdos que os indivíduos, participantes de uma pesquisa, dão aos acontecimentos do campo saúde-doença. De acordo com ele, esse método se dá dentro da Ciências do Homem, a partir do paradigma fenomenológico, buscando compreensão da angústias e ansiedades dos participantes da pesquisa a partir de um estudo interdisciplinar de referências teóricas com ênfase nas concepções psicanalíticas básicas. (TURATO, Egberto, 2003). A análise dos dados se dará a partir de uma  análise de conteúdo  orientada pelos pressupostos teóricos da psicanálise.  Minayo, 2010, propõe que, do ponto de vista da aplicação da análise de conteúdo, parta-se inicialmente da leitura das falas, depoimentos e documentos dos participantes da pesquisa, para construir modelos de compreensão sobre os sentidos manifestos no material coletado. A partir da fundamentação psicanalítica tensiona-se relacionar as estruturas de ordem semântica (significantes) com as estruturas de ordem sociológicas (significados) contidas nos dados coletados e articulá-los à superfície dos enunciados destes com os elementos que determinam suas características. Para tanto, serão realizados 12 encontros com dois grupos com cerca de 10 participantes cada um, cada encontro terá a duração de uma hora e serão realizados nas dependências do Serviço Aplicado de Psicologia da Faculdade de Psicologia da Universidade Federal de Mato Grosso, campus de Cuiabá – MT, os encontros terão como objetivo proporcionar um espaço para que os pais possam falar da sua experiência em ser pai/mãe.  Para tanto, o pesquisador poderá se utilizar de temas disparadores para as falas dos pais. Os participantes da pesquisa serão os pais que participam do grupo de pós adoção da AMPARA - Associação Matogrosensse de Pesquisa e Apoio à Adoção. Os encontros serão gravados e registrados em forma de diário de campo. As gravações dos encontros serão escutadas pelo pesquisador que irá transcrever as partes em que há estabelecimento de padrões nas falas dos participantes em relação ao que é ser pai/mãe, indicando assim pontos que se repetem nos discursos e podem ser considerados como significantes privilegiados compartilhados pelos participantes na nomeação dessa experiência. Ao final da pesquisa as gravações serão apagadas. Os conteúdos das transcrições e do diário de campo serão analisados a partir dos pressupostos teóricos da psicanálise, para poder assim compreender quais são os significantes que marcam a experiência de ser pai/mãe por adoção, para então derivar eixos norteadores que possam ajudar na criação de um dispositivo grupal de escuta de pais por adoção.

Palavra-chave: psicanálise; adoção; grupo de pais

 

 

1- ABRÃO, Salete Maria. Construindo vínculo entre pais e filhos adotivos. São Paulo : Editorial Primavera. 2011.

2 - AMPARA - ASSOCIAÇÃO MATOGROSENSSE DE APOIO À ADOÇÃO. Disponível em: www.ampara.com.br . Acesso em: 12 out. 2018.

3 - BRASIL. Lei n. 13509, de 22 de nov. de 2017. Dispõe sobre adoção e altera a Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990 (Estatuto da Criança e do Adolescente), a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), aprovada pelo Decreto-Lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943, e a Lei nº 10.406, de 10 de janeiro de 2002 (Código Civil). Lei nº 13.509/2017. Brasília, p. 1-1, nov. 2017. Publicada no diário oficial da União, seção. Disponív esso em: 12 out. 2018.

4- CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA - CADASTRO NACIONAL DE ADOÇÃO – RELATÓRIO DE DADOS ESTATÍSTICO. Disponível em: www.cnj.jus.br/cnanovo/pages/publico/indexjsf. Acesso em: 20 de mai. 2019.

5- FREUD, Sigmund. Uma introdução ao narcisismo. In. Obras psicológicas de Sigmund Freud. Trad. Luiz Alberto Hans. Rio de Janeiro: Imago, 2004, v. 1.

6- GHIRARDI, Maria Luzia de Assis Moura. Devolução de crianças adotadas – um estudo psicanalítico. 2015. ed. SÃO PAULO: PRIMAVERA EDITORIAL, 2015. 141 p.

7- GHIRARDI, Maria Luzia de Assis Moura; FERREIRA, Marcia Porto. Orgs. Laços e Rupturas – Leituras psicanalíticas sobre adoção e o acolhimento institucional. São Paulo : Escuta : Instituto Tortuga. 2 ed. 2018.

8- HAMAD, Nazir. A criança adotiva e suas famílias. Companhia de Freud, 2002.

9- LEVINZON, Gina Khafif; LISONDO, Alicia Dorado de. Orgs. Adoção -  Desafios da contemporaneidade. São Paulo : Blucher, 2018.

10- LEVINZON, Gina Khafif. Adoção. 2. Ed. São Paulo : Casa do Psicólogo, 2004.

11- LEVINZON, Gina Khafif. Tornando se pais – a adoção em todos os seus passo. São Paulo : Casa do Psicólogo, 2015.

12- LEVINZON, Gina Khafif. A criança adotiva psicoterapia psicanalítica. 4. Ed. São Paulo : Escuta, 2014.

13- MERLETTI, Cristina Keiko Inafuku de. Escuta grupal de pais de crianças com problemas de desenvolvimento: uma proposta metodológica baseada na psicanálise. 2012. Tese de Doutorado. Universidade de São Paulo.

14- MINAYO, Maria Cecília. O desafio do conhecimento – pesquisa qualitativa em saúde. 12. Ed.  São Paulo : Hucitec, 2010.

15- TURATO, Egberto Ribeiro. Tratado da metodologia da pesquisa clínico-qualitativa. Rio de Janeiro : Vozes, 2003. .