Programa

Dia 9/10/2017

8h00 às 12h00 e 14h00 às 18h00

MINI CURSOS(SIMULTÂNEOS)

-> Diário de Campo e Etnografia - Sala 09 ICHS

Coordenadores: Ms.Wagner Stephan de Azevedo (PPGAS/UFMT) e Prof. Dr. Aloir Pacini (Deptº de Antropologia ICHS/UFMT, PPGAS/UFMT)

Ementa: Algumas técnicas e métodos nas pesquisas em Antropologia encontram na escrita seu ponto de apoio primordial. Possibilidades e limites dos “diários” no trabalho de campo. Os métodos da abordagem qualitativa na disciplina etnográfica levam a uma amostragem significativa nas investigações antropológicas. O Diário de Campo, como técnica e método antropológico de acesso aos dados de campo, deve ser exercitado e problematizado para chegar à etnografia. Os primeiros passos deste processo de apropriação de dados precisam ser refletidos em suas abordagens teórico-metodológicas. A construção da etnografia em si, do começo ao fim, é o cerne da disciplina, bem como os diversos temas de pesquisas etnográficas.

-> Mulheres e a Filosofia – sala 07 ICHS

Coordenadores: Discentes Ada Cristina Ferreira e Matheus Vinicius Cavalcante (Deptº de Filosofia/ICHS/UFMT)

Ementa: Quem são as filósofas? O que pensaram? Onde encontrar referências? Pensando nessas questões e na pouca presença de filósofas nos livros didáticos foi criado o Projeto: Filósofas em Cena. Seus objetivos: 1) apresentar, de forma introdutória, o pensamento de algumas filósofas, 2) discutir a presença e a ausência de mulheres na história da filosofia. A partir deste projeto do PIBID FILOSOFIA UFMT, iremos, no minicurso, discutir questões em relação à invisibilidade da mulher na história da filosofia e apresentar a grande importância do pensamento filosófico feminino. Materiais didáticos foram elaborados para auxiliar o trabalho em sala de aula nas escolas atendidas pelo PIBID Filosofia, desse modo, serão também utilizados no minicurso. De modo geral, nosso objetivo é questionar essa realidade de invisibilidade através dos exemplos de mulheres filósofas como: Hipátia de Alexandria, Rosa Luxemburgo, Simone de Beauvoir, Hannah Arendt, Angela Davis, Aspásia de Mileto, Ayn Rand, Christine de Pisan, Diotima de Mantineia, Edith Stein, Graciela Hierro, Hildegarda de Bingen, Judith Butler, María Zambrano, Nísia Floresta, Olympe de Gouges e Simone Weil.

-> Questão Social – sala 08 ICHS

Coordenadores: Mestrandas Vanessa Martins Galhardo Lopes; Marilza de Fátima Souza et al. (PPGPS/UFMT)

Ementa: Reflexões sobre conceitos e emergência da questão social. A Questão Social no Brasil. As expressões da Questão Social no capitalismo.

-> Dívida Pública e Desregulamentação do Trabalho – sala 04 - ICHS

Coordenadores: Profª Drª Marluce Souza (Deptº de Serviço Social/ICHS/UFMT), Willian Rossi (SIPROTAF/MT) e Bruno Ricci Boaventura (ONG Moral).

Ementa: A crise financeira no Brasil é resultado de um conjunto de medidas do poder público, que em busca de seu "desenvolvimento" tem criado dificuldades financeiras históricas e dependência permanente do país ao mercado financeiro internacional. Desta forma, é necessário conhecer e reconhecer que o grau de precariedade experimentado no Brasil, na lógica neoliberal, tem demandado reformas das instituições e desregulamentação do mercado de trabalho, nada mais é do que um Estado trabalhando a favor dos interesses do capital. Reformas Trabalhistas e da Previdência Social aparecem como instrumento de combate à "crise financeira", ainda que seja destruindo direitos sociais dos trabalhadores.

-> Mídia e Formação da Consciência de Gênero – Sala 01 - ICHS

Coordenadoras: Profª Ms. Ivna O. Nunes (Deptº de Serviço Social ICHS/UFMT), Profª Ms Qelli Viviane Dias Rocha (Deptº de Serviço Social ICHS/UFMT)

Ementa: O minicurso objetiva compreender como as relações de gênero são caracterizadas pela mídia. Entende-se que a mídia, principalmente a televisiva, desperta questionamento em vários segmentos da sociedade; pelo apelo sexual, expresso, principalmente, pelo uso da figura feminina, em que de um lado reforça a ideia de autonomia e liberdade e de outro, contraditoriamente, propaga-se a violência e dominação/exploração feminina.

-> Mulheres: classe e direitos – Sala 02 ICHS

Coordenadoras: Profª Ms. Madalena Rodrigues (Deptº de Serviço Social/ICHS/UFMT); Mestrandas Jessica Federici e Taynara Humbelino (PPGPS/UFMT),

Ementa: Os direitos humanos das mulheres devem ser garantidos e efetivados em todos os espaços, discussão sobre marcadores sociais da diferença, como classe, raça/etnia, sexualidades, gerações, de origem e lugar. Reflexão crítica às novas e velhas configurações sociais e políticas que abarcam os múltiplos feminismos em diferentes temporalidades e em determinados contextos e diversas conjunturas.

-> Introdução ao Método Marxiano – Sala 03 ICHS

Coordenador: Prof. Ms. Paulo Wescley Maia Pinheiro (Deptº de Serviço Social/ICHS/UFMT)

Ementa: Formação de curta duração com objetivo de tratar de modo introdutório as principais características do materialismo histórico dialético, a trajetória teórico-metodológica do pensamento marxiano, abordando seus principais conceitos e categorias, a noção de totalidade, as mediações entre universalidade-singularidade-particularidade, a dinâmica das contradições sociais, a percepção do trabalho como categoria fundante do ser social e as classes sociais como elementos fundamentais da sociedade capitalista.

-> Tráfico Humano e Fronteiras – sala 05 ICHS

Coordenadora: Profª Drª Arlete Benedita de Oliveira (Deptº de Serviço Social/ICHS/UFMT)

Ementa: Transferir conhecimentos básicos, capacidade e habilidades para compreender o fenômeno do tráfico de pessoas e a sua interface com os fluxos migratórios em região de fronteira, com foco no desenvolvimento, implementação de equipamentos públicos e gestão de políticas e programas voltados ao atendimento humanizado de assistência, acolhimento, refúgio e integração laboral de grupos vulneráveis, como os migrantes e as vítimas de tráfico de pessoas.

-> Populismo e Neopopulismo Latino-americano – Sala 06 ICHS

Coordenadora: Profª Drª Alair Silveira (Deptº de Sociologia e Ciência Política/ICHS/UFMT)

Ementa: Estudo comparativo entre o populismo e o neopopulismo, a partir das experiências latino-americanas, em meados do século XX e primeiras décadas do século XXI.

-> Questões Fundiárias, Agronegócio, Agricultura familiar e Economia solidária – Auditório I do ICHS

Coordenadoras: Profª Drª Irenilda Santos (Deptº de Serviço Social/ICHS/UFMT), Mestrandas Marcia Verdego e Luara Caiana (PPGPS/UFMT)

Ementa: As intervenções territoriais do Estado e dos agentes do capital no campo, a expansão e consolidação do agronegócio, os grandes projetos de desenvolvimento, problematizando as contradições do modelo do agronegócio, a grilagem de terras, assim como as contradições, os conflitos, as resistências e os enfrentamentos que emergem nesse processo; reforma agrária, agricultura familiar economia solidaria e meio ambiente.

 

18h30 - Abertura Oficial - Auditório do Museu Rondon

 

19h00 - LANÇAMENTO DE LIVROS

-> Para onde caminha(rá) o Brasil?

Organizadores: MARTÍN, Nuria Belloso; RODRIGUES, Saulo; CAMILOTTO Bruno e SILVEIRA, Alair

Prefácio: Paulo Bonavides

-> ADEUS AO TRABALHO? Ensaio sobre as metamorfoses e a centralidade do mundo do trabalho.

Autor: ANTUNES, Ricardo

Editora Cortez, 2017.

-> MAX WEBER; religião, valores, teoria do conhecimento.

Organizadores SENEDA, Marcos César; CUSTÓDIO, Henrique F. F.

Editora: UFU, 2016

 

19h30 - Conferência de Abertura:

Conciliação, Golpe e Contrarrevolução: os (des)caminhos da dominação no Brasil - Auditório do Museu Rondon

Conferencista: Prof. Dr. Ricardo Antunes (Deptº de Sociologia/IFCHS/UNICAMP)

 

10/10/2017

 

7h30 às 11h30


MESAS REDONDAS

Mesa 1 - Auditório ICHS

As Sociologias Clássicas na Contemporaneidade

Palestrantes: Prof. Dr. Sávio Machado Cavalcanti (Deptº de Sociologia/IFCH/Unicamp), Prof. Dr. Alexandre Braga Massella (Deptº de Sociologia/FFLCH/USP); Prof. Dr. Daniel Fanta (Deptº de Sociologia e Ciência Política/ICHS/UFMT).

Mediadora: Profª Drª Sirlei Silveira (Deptº de Sociologia e Ciência Política/ICHS/UFMT)

Ementa: A mesa-redonda, em virtude do centenário de morte de Émile Durkheim, dos 150 anos da publicação do (primeiro volume) do "Capital" de Karl Marx, e dos 100 anos da palestra sobre a "Ciência como Vocação" de Max Weber, propõe debater temas e problemas relacionados a esses autores e textos clássicos da teoria sociológica na interface com o debate das questões sociais contemporâneas.

Mesa 2 - Auditório IGHD

Filosofias: novas alternativas

Palestrantes: Prof. Dr. Ari Brito (Deptº de Filosofia/ICHS/UFMT), Profª Drª Sara Juliana Pozzer da Silveira (Deptº de Filosofia/ICHS/UFMT);

Mediador: Profª Drª Beatriz Sorrentino Marques (Deptº de Filosofia/ICHS/UFMT)

Ementa: A mesa tratará de temas não contemplados na tradição filosófica como, por exemplo, o "lugar" das mulheres na filosofia, a influência de culturas não ocidentais na reflexão filosófica. Com isso, pretendemos contribuir para o redimensionamento do papel da filosofia na atualidade.

Mesa 3 – Auditório Museu Rondon

Ação afirmativa no ensino superior e relações étnico-raciais

Palestrantes: Profa. Dra. Cândida Soares da Costa; Prof. Dr. Sérgio Pereira dos Santos e Zizele Ferreira dos Santos (NEPRE/UFMT)

Mediador: Luis Guilherme Rocha

Ementa: Refletir sobre as ações afirmativas no âmbito acadêmico, os desafios e as conquistas da juventude negra, de modo a repensar a universidade, a diversidade pela qual é composta e a participação dos movimentos negros e núcleos/grupos de pesquisa na UFMT.

 

14h00 às 18h00

 

GRUPOS DE TRABALHO – GTs

GT- 1 – sala 01

Dívida Pública e Desregulamentação do Trabalho

Coordenadores: Profª Drª Marluce Souza e Silva (Deptº de Serviço Social/ICHS/UFMT)

Ementa: A crise financeira no Brasil é resultado de um conjunto de medidas do poder público, que em busca de seu "desenvolvimento" tem criado dificuldades financeiras históricas e dependência permanente do país ao mercado financeiro internacional. Desta forma, é necessário conhecer e reconhecer que o grau de precariedade experimentado no Brasil, na lógica neoliberal, tem demandado reformas das instituições e desregulamentação do mercado de trabalho, nada mais é do que um Estado trabalhando a favor dos interesses do capital. Reformas Trabalhistas e da Previdência Social aparecem como instrumento de combate à "crise financeira", ainda que seja destruindo direitos sociais dos trabalhadores.

GT – 2 – sala 02

Epistemologia, Mente e Linguagens

Coordenadores: Profª Drª Beatriz Sorrentino Marques (Deptº de Filosofia/ICHS/UFMT)

Ementa: Investigação sobre os fundamentos do conhecimento, sua natureza e suas implicações, os fundamentos das explicações científicas e suas relações com a filosofia da mente. Campos de pesquisa como epistemologia geral, epistemologia formal e aplicada, epistemologia social, filosofia da ciência, filosofia da mente, neurofilosofia, filosofia da informação, filosofia da psicologia, filosofia da linguagem, lógica, filosofia da matemática e filosofia da física são partes das contribuições pertinentes. A relação interativa entre esses campos é pautada pela questão fundamental de como o conhecimento se une e se ramifica a partir de conceitos de justificação e verdade.

GT – 3 – sala 03

Subjetividades, Corporalidades e Marcadores Sociais da Diferença no Mundo Contemporâneo

Coordenadores: Prof. Dr. Moisés Lopes (Deptº de Antropologia/ICHS/UFMT e PPGAS/UFMT), Prof. Dr. Márcio Alessandro Neman do Nascimento (PPGAS/UFMT)

Ementa: O Núcleo de Antropologia do Contemporâneo (NAPlus) da UFMT convida pesquisadores, estudantes de graduação e de pós-graduação da Antropologia e das Ciências Humanas a participarem do Grupo Temático Subjetividades, corporalidades e marcadores sociais da diferença no mundo contemporâneo, que pretende reunir trabalhos cujos temas sejam os das produções das subjetividades, das identidades e das corporalidades no contexto contemporâneo. Tais temáticas sofreram um grande afluxo de pesquisadores e pesquisadoras nas últimas décadas e tem se consolidado no âmbito das Ciências Humanas e Sociais como uma área de investigação relevante com a produção de instigantes trabalhos que dialogam e vem questionar as grandes dualidades que fundamentam o imaginário ocidental. Assim, esse GT buscará dialogar com trabalhos que enfoquem os temas dos modos de subjetivação, das identidades, das corporalidades, dos gêneros, das sexualidades, das configurações familiares insurgentes sejam nas cidades ou em contextos interioranos, caboclos, ribeirinhos e em situações etnicamente diferenciadas, indígenas e quilombolas. Desse modo, o GT objetiva: (1) instigar as reflexões nas Ciências Humanas, em particular, sobre a construção das corporalidades, das produções de subjetividades e da diversidade sexual e de gênero em situações rurais e em contextos etnicamente diferenciados, mas não exclusivamente; (2) articular o debate sobre corpos, subjetividades e identidades entre as pesquisas desenvolvidas no contexto das cidades, em situações rurais e em contextos etnicamente diferenciados; (3) apresentar novos resultados de pesquisas realizadas nesses contextos (no Brasil em particular e nas Américas como um todo); (4) propor mais aportes teóricos ampliadores de análises e planear metodologias inovadoras para lidar com essas temáticas.

GT – 4 – sala 04

Antropologia, Direitos Indígenas, Quilombolas e Comunidades Tradicionais em Diálogo com o Sistema Jurídico do Brasil

Coordenadores: Prof. Dr. Aloir Pacini (Deptº de Antropologia/ICHS/UFMT e PPGAS/UFMT), Profª. Drª. Verone Cristina da Silva (Deptº de Antropologia/ICHS/UFMT)

Ementa: Este Grupo de Trabalho propõe discutir etnografias, estudos e relatos de experiências sobre racismo, pré (conceitos) e discriminação, atuações indígenas, quilombolas e de comunidades tradicionais em diálogo com os regulamentos e práticas jurídicas oficiais. Muitas instituições oficiais têm atuado junto às populações indígenas e tradicionais controlando práticas e intervindo em seus modos de vida, rituais e cerimônias, cujas ações revelam sinais de novas formas de colonização. Por outro lado, a agência indígena e os movimentos sociais também se apropriam das “formas jurídicas” e produzem iniciativas de defesa de seus direitos em diálogo com o sistema jurídico oficial. A antropologia pode contribuir nessa relação por meio da “tradução cultural” de questões indígenas e das comunidades tradicionais.

GT – 5 – sala 05

Antropologia, Criminalidade e Sistema Penitenciário

Coordenadores: Prof. Dr. Clark Mangabeira (Deptº de Antropologia/ICHS/UFMT e PPGAS/UFMT), Profª. Ms. Eliane Montanha (Psicóloga Jurídica da Secretaria de Justiça e Direitos Humanos de Mato Grosso e Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Estudos de Cultura Contemporânea – ECCO/UFMT).

Ementa: O objetivo deste Grupo de Trabalho é articular as pesquisas que tratam de investigações etnográficas, estudos antropológicos e/ou trabalhos de cunho qualitativo sobre o sistema penitenciário, a violência e a criminalidade, em especial no estado de Mato Grosso. Objetiva-se, em primeiro lugar, discutir as temáticas e tendências antropológicas e das ciências sociais sobre violência e sistema penitenciário, e, em segundo lugar, constituir um fórum de discussão sobre pesquisas de cunho qualitativo, empíricas, com base em pesquisa de campo, sobre questões criminais em suas articulações com a violência e o sistema penal.

GT - 6 – sala 06

Sociedade e Ambiente: questões rurais e urbanas (Serviço Social)

Coordenadores: Profª Drª Irenilda dos Santos (Deptº de Serviço Social/ICHS/UFMT, PPPS/UFMT)

Ementa: Este Grupo de Trabalho propõe discutir aspectos diversos que incidam sobre território e sociedade em áreas rurais e urbanas, estudos e relatos de experiências sobre racismo ambiental, questões afetas a territórios indígenas, quilombolas e de comunidades tradicionais. Cabem também às discussões sobre agricultura familiar, agronegócio, trabalhadores rurais e quaisquer outros que sejam afetos a temática.

GT – 7 – sala 07

Consumo e Cultura

Coordenadora: Profª Drª Juliana Abonizio (Deptº de Sociologia e Ciência Política/ICHS/UFMT, PPG Estudos de Cultura Contemporânea ECCO/UFMT)

Ementa: O presente GT incentiva o envio de trabalhos que tratem das manifestações do consumo na cultura contemporânea e reflitam sobre o fenômeno do consumo como distinção social, como construção de identidades, como forma de pertencimento e como cultura material dentre outras abordagens.

GT – 8 – sala - 08

Gênero, Corpo e Subjetividades na Contemporaneidade

Coordenadores: Prof. Dr. Flávio Tarnovski (Deptº de Antropologia/ICHS/UFMT, PPGAS/UFMT), Profª Drª Silvana Maria Bitencourt (Deptº de Sociologia e Ciência Política/ICHS/UFMT, PPGS/UFMT), Prof. Dr. Elton Corbanezi (Deptº de Sociologia e Ciência Política/ICHS/UFMT, PPGS/UFMT).

Ementa: Este GT tem por objetivo refletir sobre os desafios e as perspectivas contemporâneas relacionadas a gênero, corpo e subjetividades, tanto na interseção entre os temas como em suas especificidades. A partir da perspectiva das Ciências Sociais, pretende-se compreender as transformações e os processos que ocorrem em relação a práticas corporais, subjetividades, sexualidades e representações de gênero em diferentes contextos sociais: relações familiares, trabalho, escola, universidade, comunidades sexuais dissidentes, mídia, entre outras instituições sociais. Serão problematizados temas transversais com outros marcadores sociais como classe, raça, etnia, idade, religião e geração.

GT 9 – sala 09

Ensino de Filosofia

Coordenador: Prof. Dr. Ari R. T. Brito (Deptº de Filosofia/ICHS/UFMT)

Ementa: A proposta deste GT tem razão de ser dada à oportunidade de problematizar o ensino de Filosofia e sua relação com a Filosofia propriamente dita. Aspectos como a formação do professor de Filosofia, o currículo do curso de Licenciatura em Filosofia, o currículo da disciplina de Filosofia no ensino médio,  os sentidos do livro didático de Filosofia, a prática pedagógica do professor de Filosofia, a política pública educacional que vem orientando o ensino de Filosofia serão abordados. Com a eminente perda da obrigatoriedade do ensino de Filosofia no currículo do ensino médio brasileiro, é fundamental refletir sobre o impacto que essa política vem tendo na educação nacional, desde a formação do professor de Filosofia até o que é efetivamente o ensino disciplinar de Filosofia.

Objetivos: possibilitar o debate em torno da formação acadêmica do professor de Filosofia; problematizar o ensino de Filosofia no ensino médio; - debater os diferentes aspetos da prática pedagógica no ensino da Filosofia, tanto na educação básica como no ensino superior;

Delimitação da Temática do grupo: A temática do GT abrangerá as questões referentes ao ensino de Filosofia no ensino médio abarcando desde os diversos aspectos da formação dos professores de Filosofia e a prática docente do professor de Filosofia, bem como as políticas educacionais que vêm orientando o ensino de Filosofia.

Descritores: Ensino de Filosofia. Política educacional. Formação de professores.Pesquisa em Filosofia nas escolas

GT 10 – Auditorio ICHS

Mulheres, Classe e Direitos Humanos

Coordenadora: Madalena Rodrigues dos Santos Vieira

Ementa: Os direitos humanos das mulheres devem ser garantidos e efetivados em todos os espaços, discussão sobre marcadores sociais da diferença, como classe, raça/etnia, sexualidades, gerações, de origem e lugar. Reflexão crítica às novas e velhas configurações sociais e políticas que abarcam os múltiplos feminismos em diferentes temporalidades e em determinados contextos através de diversas conjunturas. Mulheres, corpo e saúde. Mulheres em privação de liberdade. Mulheres do campo. Adolescentes, Mulheres quilombolas. Mulheres indígenas. Perspectivas históricas, sociológicas, educacionais e antropológicas dos movimentos de mulheres e/ou feministas. 

19h00 - Conferência

Crise Econômica, Financeirização do Capital e Reação Conservadora - Auditório do Museu Rondon

Conferencista: Prof. Dr. Marcelo Dias Carcanholo (Faculdade de Economia da Universidade Federal Fluminense)


11/10/2017

7h30 as 11h30

MESAS REDONDAS

Mesa 1 - Auditório do ICHS

Política Social, Pobreza e Desigualdades

Palestrantes: Profª Drª Luana Siqueira (UFRJ), Profª Drª Glaucia Lelis Alves (UFRJ)

Mediador: Profª Ms. Ruteléia Cândida de Souza Silva (Deptº de Serviço Social/ICHS/UFMT)

Ementa: Esta mesa objetiva discutir as politicas sociais no Brasil,  globalização, exclusão social e marginalidade avançada e os novos formatos da pobreza no Brasil. Busca oferecer reflexões para melhor entender as diferentes configurações da pobreza  e o  crescimento das desigualdades sociais.

Mesa 2 - Auditório do IGHD

Criminalização dos Movimentos Sociais e Indígenas

Palestrantes:Prof. Dr. Jorge Eremites de Oliveira (UFPel); César Augusto Lima do Nascimento (Procurador Federal que atua junto à FUNAI); Prof. Dr. Paulo Delgado (Deptº de Antropologia/ICHS/UFMT e PPGAS/UFMT) e mestrando Adriano Boro Makuda (PPGAS/UFMT)

Mediador: Prof. Dr. Aloir Pacini (Deptº de Antropologia/ICHS/UFMT e PPGAS/UFMT)

Ementa: As leis no Brasil se conformam aos poderes estabelecidos com algumas exceções. As remoções forçadas de grupos indígenas foram recorrentes em diferentes períodos da história brasileira com o aval do Estado. As invasões para a escravização dos indígenas, para a extração de especiarias, madeira, látex etc; ouro, diamantes e outros minerais; para criação de gado e o agronegócio, geralmente associadas aos grandes empreendimentos (ferrovias, rodovias e/ou hidrelétricas) manifestam um processo colonizador que deve ser analisado pelos pesquisadores. O relatório final da Comissão Nacional da Verdade (CNV), concluído em 2014, no capítulo dos grupos indígenas indicou o que se passou com os indígenas no século passado, especialmente no período militar. Mais recentemente a Constituição Federal garantiu o território tradicional dos indígenas, quilombolas e outras comunidades tradicionais. Resistindo a estes direitos, a bancada do agronegócio quer que a demarcação das Terras Indígenas passe pelo Congresso e a criminalização dos/as indígenas, dos/as antropólogos/as e de outros parceiros dos indígenas aparece no Relatório Final da CPI da FUNAI/INCRA.

 

14h00 às 18h00

GRUPOS DE TRABALHO (GTS) – Continuação – (mesmas salas)

 

19h30

CONFERÊNCIA DE ENCERRAMENTO: O Desmonte do Estado de Direito: movimentos sociais hoje no Brasil - Auditório do Museu Rondon

Conferencista: Prof. Dr. Jorge Eremites de Oliveira (UFPel)