Sistema de Eventos Acadêmicos da UFMT, 2º Encontro de Jovens Pesquisadores do Centro-Oeste e Norte do Brasil

Tamanho da fonte: 
IMBRICAÇÕES ENTRE MEDIAÇÃO, PRÁTICAS PEDAGÓGICAS E EVASÃO: UM ESTUDO EM REPRESENTAÇÕES
Magali Aparecida Mendes de Queiroz, Vania Maria de Oliveira Vieira

Última alteração: 08-09-18

Resumo


A evasão escolar tem sido considerada um grande problema na educação brasileira. Presente em todas as modalidades  e acentuada no ensino Médio, de acordo com o índices do  IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) apontados em 2010,  o Brasil tem a maior taxa de abandono de alunos entre os países do Mercosul. Considerando esses dados, o presente estudo, de abordagem quali-quantitativa, realizado por meio de pesquisa bibliográfica e de campo,  identificou e analisou as representações sociais de 60 professores de uma escola púbica do município de Uberaba/MG, sobre a mediação pedagógica transcritas por eles na forma como interagem com os alunos, organizam o conteúdo, utilizam as estratégias de ensino, avaliam e relacionam estas mediações com a permanência ou não do aluno na escola. Os dados foram coletados a partir de um questionário com perguntas fechadas e abertas e a  Técnica de Associação Livre de Palavras, tratadas pelo software EVOC. Tomou-se como referencial teórico-metodológico a Teoria das Representações Sociais de Moscovici (1978); a subteoria do Núcleo Central (Abric, 1994) e  os pressupostos da  Análise de Conteúdo de Bardin (2011). Os resultados mostram que a maioria dos professores tem construído representações ancoradas em  elementos que denotam sentimentos de: comprometimento”, “aprendizado”, “desafio” e “construção”. Concluiu-se que a causa da evasão escolar pode ser a falta de interesse do aluno pela escola e as dificuldades de aprendizagem, o que evidencia, portanto, imbricações das práticas pedagógicas realizadas por eles com a permanência  do aluno na escola.




Incluir comentário